Notícias Adventistas

Igreja Adventista aprova sugestões de mudanças sobre reuniões mundiais

Comissão Diretiva da sede adventista aprova petição que recomenda, por exemplo, possibilidade de participações virtuais em reuniões mundiais.

Por Beth Tomas, ANN 9 de outubro de 2020

Sede mundial adventista localizada nos Estados Unidos. (Foto Adventist News Network)

Durante as reuniões do Concílio Anual da Igreja Adventista mundial, nesta semana, a Comissão Diretiva aprovou uma petição para recomendar à Sessão da Associação Geral três emendas relevantes para a Constituição da organização.

Leia também:

Líderes da Igreja Adventista votam declaração “Uma humanidade”

A primeira emenda foi ao Artigo V, das sessões da Conferência Geral (reunião mundial com a liderança adventista que ocorre a cada cinco anos). E permitiria que a Comissão Diretiva determinasse o tempo das sessões da Associação Geral subsequentes quando uma sessão fosse adiada porque “as condições do mundo tornam imperativo fazê-lo”.

Durante a discussão sobre a petição, Karnik Doukmetzian, conselheiro geral da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, esclareceu que “a Comissão Diretiva da Associação Geral tem o poder, pela constituição, de designar e anunciar a data e o local das sessões da Conferência Geral ou sessões extraordinárias. Também lhe é dada autoridade para adiar uma sessão por até dois anos quando a condições mundiais tornarem tal adiamento necessário e para notificar tais reuniões ou adiamentos a todas as suas organizações constituintes”.

O adendo proposto ao artigo diz: “No caso de a Comissão Diretiva da Associação Geral exercer sua autoridade para adiar uma sessão, ela também terá a autoridade de definir a sessão regular subsequente na hora e local que considerar adequados, não exceder cinco anos civis a partir da data da que foi adiada”. Embora a reunião da Conferência Geral de 2020 tenha sido remarcada para maio de 2021 devido à pandemia do coronavírus, a data para o próximo evento deste tipo permanecerá em 2025.

Participações virtuais

A segunda emenda prevê que os delegados participem virtualmente das reuniões e votem eletronicamente, em vez de presencialmente, desde que eles possam se ouvir e ser ouvidos.

Hensley Moorooven, subsecretário da Igreja Mundial, explica que os pioneiros “fizeram um excelente trabalho garantindo que nos reuníssemos fisicamente sobre o mesmo teto e realizássemos reuniões com pessoas que estão fisicamente presentes. Mas, dentro deste ambiente em constante mudança, tivemos de ser ágeis e até proativos. A comissão está fazendo algumas emendas, algumas cláusulas, para a presença eletrônica para participação virtual em uma Sessão”.

A terceira mudança permitiria que as comissões da Sessão se reunissem virtualmente. Isso afetaria as quatro comissões principais que se reúnem durante as sessões regulares: Nomeações, Diretiva, Manual da Igreja e Regulamentos e Constituição da Igreja.

O pastor Ted Wilson, presidente da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, observou que essas emendas não seriam implementadas até que um quórum de delegados fosse capaz de se reunir em Indianápolis, Estados Unidos, na sessão da Conferência Geral em maio de 2021 e votar a aprovação. A Comissão Diretiva faz recomendações à Sessão da Conferência Geral, que em sessão de negócios tem autoridade final para emendar a Constituição.

Sessões adiadas

De acordo com David Trim, historiador da Igreja e diretor do departamento de Arquivos, Estatísticas e Pesquisa da Associação Geral, adiar uma Sessão da Conferência Geral não é inédito. Pelo menos quatro outras sessões foram remarcadas. A Sessão de 1917 foi adiada devido à eclosão da Primeira Guerra Mundial; a Sessão de 1934 foi remarcada devido às dificuldades financeiras durante a Grande Depressão; e as Sessões de 1940 e 1945 foram adiadas devido ao início da Segunda Guerra Mundial e seus efeitos continuados.

Você pode assistir aos procedimentos do Concílio Anual pelo site live.adventist.org até 14 de outubro.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox