Notícias Adventistas

Criada comissão para elaborar novo Hinário Adventista

Novo hinário adventista vai unir melodias tradicionais e contemporâneas e a expectativa é que fique pronto ainda em 2020

Por Felipe Lemos 7 de novembro de 2017

 

Comissão vai iniciar seus trabalhos imediatamente. (Foto: Shutterstock)

O atual Hinário Adventista do Sétimo Dia, de 1995 e com 613 hinos, é fruto de uma série de outras coletâneas que o antecederam e que formaram o que hoje milhares de pessoas cantam. Em português, o Hinário Adventista completou cem anos em 2014 e, em espanhol, houve uma reformulação em 2009. Na reunião desta segunda-feira, 7, os delegados do Concílio Anual votaram a criação de uma comissão que estudará um novo hinário em português a ser lançado até 2020.

Segundo o pastor e músico Jael Eneas, membro dessa comissão e autor de uma dissertação de mestrado sobre o centenário do Hinário Adventista, houve edições principais do hinário nos anos de 1914, 1933, 1963 e 1996 com acréscimos, suplementos e revisões em outras épocas. Uma das músicas mais antigas data de 1623 e se chama Vós, criaturas do Senhor (hino número 15), com letra de Francisco de Assis e música extraída do Geistliche Kirchengesang Cologne. A primeira versão saiu em 1914, em português, com 104 hinos e se chamava Cantae ao Senhor – Psalmos e Hymnos para cultos e solemnidades religiosas.

As justificativas para a produção de um novo hinário se pautam no fato de que, nos últimos anos, muitas novas composições foram elaboradas por músicos cristãos e que já poderiam ser incorporadas ao catálogo, sem necessidade de esperar mais duas décadas para atualização.

A comissão estabelecida para organizar esse novo hinário será composta de 27 pessoas – em sua maioria, músicos e teólogos -, que terão algumas tarefas ao longo do próximo ano. A cargo dessa equipe, está a deliberação sobre as temáticas, critérios para retirada e inserção, mudança de tonalidade e harmonizações, e sobre o número total de canções. Já há a intenção de reduzir o número atual, visto que uma boa parte das músicas não são mais cantadas nas congregações e se tornam desconhecidas da maioria dos que utilizam o Hinário Adventista do Sétimo Dia.

Atualização necessária

Segundo Jael Eneas, um ponto muito importante para uma comissão como essa é entender a linha teológica da denominação. Eneas frisa, ainda, que o hinário é, também, um chamado à adoração e ao discipulado. O teólogo lembra que os reformadores como Lutero e os irmãos Wesley davam uma grande importância aos hinos por conta da relevância estratégica da música na confirmação da mensagem pregada. Ele entende que é necessária a revisão periódica do hinário para que ele possa se conectar às gerações. “O hino tem um papel importante no discipulado cristão”, comenta.

O maestro José Newton da Silva Júnior, coordenador de produções artísticas da Casa Publicadora Brasileira (CPB), explica que a música, assim como toda a linguagem, é um recurso dinâmico que reflete a cultura de uma geração. “Os tempos atuais trouxeram muitos novos cânticos que serviram como trilha sonora da experiência religiosa de novos crentes. E muitos destes novos cânticos revelam maturidade e nível técnico à altura de outros bons cânticos da hinologia tradicional”, ressalta.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox