Notícias Adventistas

Testemunhos marcam encerramento da Missão Calebe no centro do RS

Através da amizade, calebes conduziram a jovem Kimberly à Cristo.

31 de janeiro de 2017
1

Após batismo, Kimberly vestiu a camiseta dos calebes e cantou ao lado de Duane e demais amigas.

Porto Alegre, RS… [ASN] “Os calebes apareceram como anjos em minha vida”. Esta é uma frase de Kimberly dos Santos Fagundes (20), ex-adventista que foi rebatizada na última sexta-feira(27), durante o encerramento da temporada de Missão Calebe 7.0, em Farrapos, Porto Alegre.

Leita também:

Missão Calebe envolve jovens inativos na missão da igreja

Calebes iniciam atividades no centro do Rio Grande do Sul

Kimberly havia se afastado da igreja após descobrir um câncer de mama e sentir-se desmotivada. Porém, as visitas, estudos bíblicos, e incentivo que recebeu dos calebes, fez brotar em seu coração novamente a alegria de viver ao lado de Cristo e o desejo de voltar à igreja.

“Quando soube da minha doença, o mundo tinha desabado sob meus pés, mas foi neste exato momento, na época mais difícil da minha vida, que eles apareceram, me botaram pra cima, me mostraram que existe esperança, e que eu podia me entregar a Jesus e enfrentar tudo isso ao lado dEle. Pra mim, estes calebes são como anjos em minha vida”, conta Kimberly.

Kimberly entrou no tanque bastismal acompanhada das calebes que lhe ajudaram a chegar até ali.

Kimberly entrou no tanque batismal acompanhada das calebes que lhe ajudaram a chegar até ali.

A afinidade entre Kimberly e os calebes tornou-se tão grande, que ao final do batismo, ela vestiu a camiseta dos calebes e formou um grupo musical com outras quatro amigas. Juntas, cantaram a música “Hospedando Anjos sem saber”, do grupo Prisma.

Os últimos laudos de Kimberly mostraram uma diminuição muito expressiva do tumor, e ela continua lutando pela cura total da doença tendo o apoio direto de seu esposo, filho de 2 anos, comunidade adventista e calebes.

Agora, porém, ela carrega consigo um sorriso no rosto, e um coração confiante. “A Esperança que tenho é maior que tudo. Hoje vivo pela fé.  Mesmo que morramos aqui, morrendo em Cristo ainda há esperança. Ele é a minha esperança de cura e de vida”, afirma.

Enfrentando desafios

Duane Hellen Guizo (21), de Carlos Barbosa, RS, foi uma das calebes que deu estudos bíblicos para a Kimberly. Porém, para que ela e seu esposo pudessem participar da missão, também enfrentaram grandes desafios. “Deus já tinha chamado a gente outras vezes para a missão mas não participamos, e agora, quando nos convidaram, tínhamos uma dificuldade em relação ao trabalho. Mas sentimos Deus falando muito forte ao nosso coração, então, largamos nossos empregos e viemos para a Missão Calebe”, relata Duane.

sem-titulo12

Duane se sente realizada em participar de histórias como a da Kimberly.

Para eles, testemunhar de perto histórias de transformação de vidas foi o que compensou todo o esforço. “Nós entramos no lar das pessoas, oramos por elas, por seus desafios, e percebemos que às vezes um abraço já é suficiente. Pra maioria das pessoas nós somos loucos, mas nós somos loucos por Jesus”, acrescenta.

Duane entrou no tanque batismal ao lado de Kimberly, e não conteve a emoção. “Conhecer e poder ajudar pessoas é inspirador, a gente fica feliz e agradece muito a Deus por isso. Sem dúvida esta foi a melhor decisão de nossa vida, porque a nossa maior recompensa vai ser no céu”, conclui. [Equipe ASN, Andréia Silva]

Outras dezenas de histórias aconteceram pelo restante do centro do estado e Brasil a fora. Acompanhe em: adventistas.org/missaocalebe

Veja fotos!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox