Notícias Adventistas

Projeto “Mãos quentes” da ASA coleta agasalhos para temporada de frio

Por Ana Clara Silveira 26 de maio de 2021

Doações atendem às necessidades dos moradores de Engenheiro Coelho, cidade do interior de São Paulo

 

Registro das doações recebidas pela Ação Solidária Adventista, ASA, em Engenheiro Coelho-SP (Imagem: acervo pessoal Érika Coutinho)

 

O inverno pode ser rigoroso em algumas regiões do Brasil. No interior de São Paulo, a temperatura cai, mas a solidariedade entra em ação. O projeto “Mãos Quentes” tem o objetivo de coletar agasalhos, roupas e cobertores para serem doados a famílias em situação de vulnerabilidade social das proximidades da Igreja Adventista do Unasp Engenheiro Coelho.

Para seguir todos os protocolos de segurança, as doações foram recolhidas por voluntários do departamento da Ação Solidária Adventista, a ASA. Os pontos de coleta foram escolhidos próximos as casas dos membros da igreja, de maneira que os doadores pudessem manter o distanciamento social e, ainda assim, levar esperança por meio da ajuda ao próximo.

A diretora da ASA Érika Coutinho organizou o projeto e esclarece que as doações continuam para quem ainda não teve oportunidade de contribuir. No primeiro momento de coleta, foram arrecadados mais de 150 agasalhos, além de cobertores e outros itens. O pastor adjunto da igreja, Claudiomar Nascimento, acompanhou de perto a campanha e acredita que “a igreja através da ASA tem sido um instrumento para atender a comunidade”.

Voluntários e doadores de esperança

Registro dos voluntários da Ação Solidária Adventista, ASA, em Engenheiro Coelho-SP (Imagem: acervo pessoal Érika Coutinho)

 

Para Letícia Davoli, ser voluntária da ASA é uma experiência indescritível. “Assumir um compromisso com o próximo e dedicar um tempo com atitudes simples pode mudar a vida de alguém”, comemora. Ela conta que cada ação pode levar esperança para as pessoas, principalmente suprindo suas necessidades. “Quando doamos algo, o amor e a esperança também são doados”, afirma.

Além dos voluntários, os doadores também se sentem realizados. Wanda Versiani comenta que recebeu o dom de Deus para doar e aprendeu com o exemplo da sua mãe. Quando criança, observava o frio intenso de São Paulo e como sua família ajudava aos outros. “Cresci e tinha dentro de mim a sensibilidade para perceber as pessoas que precisavam de ajuda”, reforça.

Desde estudante, Wanda já trabalhava e dividia o que tinha com quem estava ao redor. Após o casamento, seu esposo também foi motivado a se envolver no trabalho social. Em sua história, Wanda agradece a Deus pelas oportunidades e reitera que sempre orava: “Senhor, me dê condições para poder ajudar”.

Apoio da igreja

A diretora da ASA explica que a retirada dos objetos será feita na sede do departamento por meio de agendamento prévio para evitar aglomeração. “Um membro da família entra em contato via WhatsApp e nos informa sua necessidade. Separamos o cobertor e agasalhos para entrega”, finaliza.

As doações foram motivo de celebração para a igreja do Unasp Engenheiro Coelho. O pastor Claudiomar afirma que “além da ASA ser uma benção para a comunidade, também é uma benção para o envolvimento da igreja em ações sociais”. Ele reforça que o departamento é organizado e busca atender ao máximo de pessoas.

Além desse projeto, a ASA atende a outras necessidades da comunidade. Por meio da ação desse departamento, muitas famílias são acolhidas mensalmente com ajuda na alimentação, incentivo à profissionalização, acompanhamento pastoral e estudo da bíblia.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox