Notícias Adventistas

Mulher doa cabelo após manter os fios longos por 15 anos

Doação envolvendo estudantes e familiares foi realizada para o projeto Mechas de Esperança

18 de outubro de 2016
Palmira e neta doam cabelos juntas em projeto [Foto: Wallcley Rêner]

Palmira e neta doaram cabelos juntas (Foto: Wallcley Rêner)

São Paulo, SP [ASN] Palmira dos Anjos, de 65 anos, deixou seu cabelo crescer por mais de 15 anos para permanecer com o aspecto dos fios longos. Porém, no dia 16 de outubro mudou o corte de cabelo para participar do projeto Mechas de Esperança.

As mechas grisalhas se uniram às da neta e de mais aproximadamente 30 voluntárias que doaram 15 centímetros de cabelo. “Fiquei sabendo pela minha neta que na escola dela iria ter o projeto”, conta.

Leia também:

Viviane com a família esperando para doar os fios

Viviane com a família esperando para doar os fios

Já a pequena Viviane de Carvalho, chamada de “Rapunzel” por causa de sua longa trança, após 10 anos sem cortar as madeixas, decidiu destinar pouco mais de 30 centímetros dos fios para ajudar as portadoras de câncer. “Há algum tempo nós conversávamos em casa em doar o cabelo dela. Dissemos que Deus iria mostrar a hora certa. Ficamos sabendo do projeto na igreja e a hora chegou”, relata a mãe da menina, Genivalda Carvalho.

Projeto

A divulgação da ação beneficente ocorreu nos templos adventistas e no Colégio Adventista do Tucuruvi, onde aconteceu a ação.

De acordo com uma das organizadoras do evento, Marziani Guimarães, o objetivo é confeccionar perucas com os cabelos das doadoras para amenizar a dor de quem passa pelo tratamento de câncer.

Para a idealizadora da atividade e ex-portadora de câncer, Ezeni Miranda, o cabelo é muito importante para a mulher e uma peruca pode ajudar a reconstruir a autoestima.

As mechas foram recolhidas pelo grupo “Somos Todas Uma” e enviadas para a Vitória Régia Perucas. Com 1 quilo de cabelo, três perucas podem ser fabricadas. Outras mechas são disponibilizadas para megahair em pacientes pós-tratamento.

Mechas solidárias

Aluna do Colégio Adventista do Tucuruvi doa mecha

Aluna do Colégio Adventista do Tucuruvi doa mecha

Qualquer tipo de cabelo é compatível com o projeto. Fios quimicamente tratados, naturais ou ressecados podem ser matéria-prima para as perucas. Os fios recolhidos passam por tratamento, coloração e montagem até chegar às pacientes.

Durante 10 anos, Adriana Oliveira e a irmã Andrea tem trabalhado de forma voluntária no Vitória Régia Perucas para confeccionar e atender diversos públicos, inclusive pacientes de câncer.

A proprietária explica que mesmo quem não pode pagar R$390 pela peruca de fios naturais sai da loja com uma unidade personalizada. “Não importa, atendemos todas as pessoas. Às vezes ficamos quatro horas atendendo só uma dessas mulheres. Cada dia é uma história diferente. Não há nada que pague esse trabalho. É uma alegria muito grande”, explica.

Além de alegria

Após o corte das mechas, as voluntárias também receberam brindes, limpeza de pele e maquiagem da empresa Mary Kay. A equipe de reportagem do Fala Brasil, da TV Record, esteve presente no evento e recebeu exemplares do livro Esperança Viva.

Nesta segunda-feira, 17, o projeto foi citado no jornal matutino da emissora. [Equipe ASN, Michelle Martins]

Conhece uma mulher que precisa de ajuda? Entre em contato:

Somos Todas Uma: mechasdeamor@gmail.com

Vitória Régia Perucas: Tel: (11)2768-2237

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox