Notícias Adventistas

Garota recupera movimentos após 10 Dias de Oração

A igreja se uniu e juntos oraram por uma solução. O resultado disso, nem os médicos esperavam

21 de fevereiro de 2017

Membros da Igreja Adventista de toda a América do Sul se reuniram em oração durante 10 dias. (IASD Divisa Alegre)

Rubim, MG…[ASN] O projeto 10 Dias de Oração e 10 horas de Jejum aconteceu em toda a Igreja Adventista na América do Sul. No leste de Minas, não foi diferente. Os mais de 18 mil membros da igreja espalhados pela região estavam engajados no programa que incentivava 10 dias diferentes com Deus. Momentos especiais foram separados para oração, dentro das igrejas, casas ou praças. As reuniões aconteciam todos os dias às 5h30 e no período da noite. O projeto que teve início no dia 09 de fevereiro, finalizou no último sábado, 18.

Na cidade de Rubim, uma história diferente marcou esse período. Tudo começou no início do ano, enquanto os adolescentes e jovens da igreja estavam envolvidos na Missão Calebe, e Ísis Costa Ruas, 17, recebeu uma visita. A garota, que já havia conhecido os adventistas tempos atrás, decidiu ser batizada, influenciada pelos novos amigos que formara. A festa de batismo foi no sábado, 28 de janeiro.

Ísis Costa Ruas, 17, (à direita) sendo batizada pelo pastor Kleber Reis, presidente da Igreja Adventista para o Leste de Minas.

Dois dias depois de seu batismo, o quadro mudou. “Eu estava lavando meu cabelo quando senti uma dor muito forte na coluna e dormência nas pernas”, relembra. Levada para a cama, Ísis parou de sentir completamente a parte de baixo do seu corpo, que permanecia imóvel. Após uma consulta com um especialista, foi encaminhada a Belo Horizonte para obter um diagnóstico mais preciso.

Diversos exames foram realizados, porém nenhum apontava o problema. Passado alguns dias na UTI, a garota foi informada do início dos 10 Dias de Oração e que todos os adventistas na cidade de Rubim estariam orando em favor da sua saúde. Crente de que Deus estava no controle da situação, ela também decidiu participar do projeto. “Ela recebia ligações todos os dias. Eles oravam com ela e nas reuniões também. Em nenhum momento nos abandonaram”, relatou a avó, Delcidia dos Santos Ruas.

A mãe e a avó acompanhavam a menina no hospital, em Belo Horizonte. Junto com elas, Ísis lia o material que recebia dos amigos de Rubim, referente ao projeto de oração. Mesmo não fazendo parte da denominação, a família a apoiou em todos os momentos. “Uma das coisas que me motivou a lutar contra isso foram meus estudos. Eu me formo esse ano e não queria parar de estudar. Mas fiquei tranquila, pois sabia que Deus não me abandonaria”, ressaltou.

No dia do seu batismo, Ísis (ao centro) acompanhada de seus colegas da Missão Calebe

“Um dia eu acordei e resolvi falar com Deus com toda a minha sinceridade. Eu disse: ‘Senhor, me ajuda a andar. Eu não posso ficar assim. Eu preciso sair daqui’”. Ela conta que orou e então tentou colocar-se de pé. Com muita dificuldade, Ísis conseguiu dar alguns passos, arrastando as pernas e apoiando-se na mãe. Para os médicos, o avanço não teve explicação, já que movimentos como aqueles só poderiam ser feitos após meses de fisioterapia. “Ela não podia sentir as pernas e agora consegue andar sozinha. Ainda tem dificuldade, mas já pode tomar banho, permanecer em pé, caminhar curtas distâncias. Eu sei que foi Deus quem fez isso”, afirma dona Delcidia.

Grupo de Rubim que se reunia todas as manhãs na praça da cidade para orar pela garota

Na igreja em que Ísis foi batizada a alegria não pode ser medida. “Foi maravilhoso saber que Deus ouve nossas orações. Não sabemos nem como agradecer. Foram 10 dias em que a igreja se uniu por um único propósito e colher os frutos disso não tem preço”, comemorou Cassildo Braga, um dos líderes locais.

A família deve voltar à cidade na próxima sexta-feira, 24, e será recebida pelos amigos. Ísis continuará a fazer fisioterapia a fim de alcançar os movimentos normais, como tinha antes. “Ela está ansiosa para voltar e já se inscreveu até para participar do retiro de Carnaval da igreja. Diz que quer agradecer aos amigos pelas orações”, contou a avó.

[Equipe ASN, Jenny Vieira, com informações de Cassildo Braga]

Salvar

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox