Notícias Adventistas

“Eu sabia que se Deus quisesse, meu filho seria curado” 

Foi no projeto dos 10 Dias de Oração que Ramila intensificou a Deus o pedido de cura pela vida de seu filho. E o milagre aconteceu.

Por Vanessa Moraes  14 de fevereiro de 2020

Miguel, hoje com 5 anos, foi totalmente curado de seus problemas de saúde (Foto: Arquivo Pessoal)

Quem vê o sorrisinho de Miguel Montenegro, de apenas 5 anos de idade, não imagina que desde bebê ele já enfrentava sérios problemas de saúde. Por volta dos 8 meses de vida, apareceram manchas brancas em volta de sua boca e olhos. Sua mãe, Ramila Montenegrochegou a pensar que se tratava de vitiligo, uma doença caracterizada pela perda da coloração da pele. Ao consultar um dermatologista, Miguel foi diagnosticado com dermatite atópica, doença crônica da pele marcada pela ausência da barreira de proteção da mesma, que apresenta feridas que coçam, principalmente nos braços e na parte de trás dos joelhos.  

Leia também:

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), a dermatite atópica atinge 7% da população adulta e 25% das crianças brasileiras. Apesar de ser uma doença que normalmente acompanha a pessoa por toda a vida, é possível viver bem com alguns cuidados e medicamentos. No entanto, no pequeno Miguel, o problema também comprometeu seu sistema respiratório. “No meio desse processo, meu filho também desenvolveu uma alergia alimentar muito forte, a ponto de um dia quase ter um choque anafilático devido a um alimento que ingeriu“, conta Ramila.  

Reeducação alimentar 

A partir desse acontecimento, os médicos orientaram Ramila a mudar a alimentação do pequeno. “Cortamos todo tipo de corante, laticínio, gordura e mais uma série de coisas, tudo que comprávamos tínhamos que ler o rótulo, desde alimentos a produtos de higiene pessoal e limpeza, pois sistema imunológico dele entendia quase tudo como perigo devido à dermatite“, complementa a mãe. A família parou de frequentar festas de aniversário e confraternizações a fim de proteger a saúde de Miguel.  

Os problemas de Miguel não davam trégua. Às pressas, em um único mês, a família precisou ir entre quatro a cinco vezes ao hospital devido às fortes crises. “Algumas vezes ele não conseguia respirar ou passava a noite inteira tossindo, sem parar”, lembra a mãe. 

Orações intensificadas 

Nessa época, Ramila frequentava a Igreja Adventista do Sétimo Dia, mas ainda não era batizada. Em um dos cultos de 2019 ela conheceu o projeto dos 10 Dias de Oração e 10 Horas de Jejum. Na ocasião, o pastor Roberto Albuquerque, atual líder de publicações e Espírito de Profecia da Associação Paulista Leste, pregava um sermão. “Lembro que ele disse: ‘Você vai orar por algo que acha impossível acontecer’. Aquilo mexeu muito comigo. Então coloquei no altar do Senhor dois pedidos, sendo um deles a cura do meu filho, mesmo sabendo que o dermatologista me disse que essa enfermidade não tem cura e sim controle, e ele teria que conviver o resto da vida com ela, mas também sabia que Deus é o Deus do impossível e se Ele quisesse, meu filho seria curado“, emociona-se. 

Ramila conta que fez jejum e oração durante os dez dias do projeto. A cada novo amanhecer, sentia Deus lhe dar conforto. Ela começou a encarar a doença do filho como um alerta de Deus para que a alimentação de toda a sua família fosse reestruturada e santificada. “Passados os 10 Dias de Oração, senti que as coisas tinham mudado. Meu filho ainda teve algumas crises, mas confiei no Senhor e no Seu propósito. E mesmo depois de terminar os 10 Dias de Oração, eu refiz a jornada algumas vezes com a revista e o jejum“. 

A cura  

Certo dia, Ramila entrou no quarto de Miguel e pegou todos os medicamentos que ele tomava. Eram mais de 15 vidros de remédio. “Diante de Deus, joguei tudo fora. Desde então, meu filho está completamente curado. Nunca mais teve nenhuma crise. Até fizemos um teste, deixamos ele comer algumas coisas e nada, absolutamente nada de mal aconteceu. É claro que nossa alimentação continua a mais saudável possível e estamos, a cada dia, procurando honrar ainda mais esse Deus maravilhoso que pode todas as coisas”, reconhece. 

Hoje, Miguel tem cinco anos e frequenta a escola. Ramila foi batizada com seu esposo em novembro de 2019, na Igreja Adventista do Sétimo Dia do Jaraguá, região norte de São Paulo 

10 Dias de Oração e 10 Horas de Jejum 

Assim como Ramila, milhares de pessoas já experimentaram os resultados de uma vida dedicada à oração. Para incentivar essa prática, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, todos os anos, promove o projeto dos 10 Dias de Oração e 10 Horas de Jejum. Neste ano, o projeto foi iniciado no dia 6 de fevereiro, com jejum praticado no dia 8, e findará neste sábado, 15, com uma programação especial nas igrejas de pelo menos oito países da América do Sul. O programa prevê a presença de amigos que se afastaram da igreja e já não frequentam mais os cultos. A proposta é resgatar essas pessoas e trazê-las para um Reencontro com Deus. Você pode participar desse programa especial procurando a Igreja Adventista mais próxima de sua casa (encontre uma igreja aqui). 

Para conhecer mais o projeto dos 10 Dias de Oração e 10 Horas de Jejum, clique aqui. 

Ações nas igrejas 

Durante esses 10 Dias de Oração e 10 Horas de Jejum, as igrejas administradas pela Associação Paulista Leste realizaram ações especiais para motivar os membros a praticarem, com mais intensidade, a oração e a comunhão com Deus. Veja o que algumas igrejas preparam durante esse período: 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox