Notícias Adventistas

Dos palcos de forró para os braços de Jesus

Valdir Cardoso decidiu montar o seu próprio negócio, optou pela carreira artística. As apresentações variavam em termos de valores, de 5 a 15 mil reais. A sua vida foi transformada por meio de um apelo feito pelo pastor Ivan Saraiva na TV Novo Tempo.

31 de julho de 2014
Valdir Cardoso garante que sua vida  e da família mudou e para melhor.  Foto: (Álbum de família)

Valdir Cardoso garante que sua vida e da família mudou e para melhor.
Foto: (Álbum de família)

São Francisco, MG… [ASN] Valdir Cardoso decidiu montar o seu próprio negócio, optou pela carreira artística. As coisas melhoraram substancialmente para ele e sua família. Idealizou e criou a banda Pancadão do Djavu, que conquistou o seu espaço e chegou a ter 17 funcionários, muitos de outras cidades como Montes Claros, Pirapora e Belo Horizonte. As apresentações variavam em termos de valores, de 5 a 15 mil reais.

A Banda percorreu várias cidades do Brasil e da região do Norte de Minas. No auge do sucesso um dos integrantes da banda, o vocalista Michel Spina, decidi abandonar o grupo para se tornar membro da igreja Adventista do Sétimo Dia da cidade de São Francisco.
Conheça na entrevista que se segue, como a vida de Valdir Cardoso foi transformada por meio de uma mensagem de Esperança e um apelo direto do pastor Ivan Saraiva na TV Novo Tempo. 
Atualmente ele é líder do Ministério Pessoal de um grupo Adventista em São Francisco e sua esposa Georgiane, é diretora do Ministério da Mulher. Ele garante ter encontrado o caminho que conduz a salvação: os braços de Jesus.

Conte um pouco da sua trajetória como cantor onde percorreu várias cidades do Brasil promovendo uma banda musical

Nasci na cidade de São Francisco no Norte de Minas, às margens do Rio São Francisco, venho de família pobre e passei muitas dificuldades. No ano de 1979, houve uma grande enchente, passamos por um momento difícil, sem ao menos ter o que comer.  Naquela época muitas pessoas tiveram que abandonar suas casas porque a água chegou às portas, e não foi diferente da gente.

Mas Deus providenciou tudo. Eu me dirigia para beira do rio São Francisco para ajudar aquelas pessoas que viviam nos seus barcos. Eles acabavam me dando abóboras, e peixes e foi com que alimentamos durante aquele tempo.

Deus nos alimentou e quando completei meus 17 anos fui para São Paulo. Prestei concurso nos Correios para carteiro e fiquei por lá até o ano 2000, quando retornei para Minas Gerais.
O tempo passou e me tornei promoter de eventos. Fazia shows de vários artistas como Calcinha Preta, Calypson dentre outros. Fui empresário de várias bandas de músicas, algumas delas se tornaram conhecidas na área forrozeira tais como: Forró Bom Dimais, As Patricinhas do Brasil, Batidão Bahiano, e por último Pancadão do Djavu.
Foram dois anos de viagem de 2009 a 2011 fizemos shows com essa última banda em vários estados, começando por Goiás nas cidades: Abadiânia, Anápolis, Goianezia. Em Brasília DF: São Sebastião. Em São Paulo: Guarulhos, Águas de Lindoia. No Espírito Santo, Marechal Floriano, Serra. Rio de Janeiro: Teresópolis, Petrópolis, Itaipava, Pati dos Alferes, Campos de Goytacazes, Macaé, Niterói, em Minas Gerais fizemos apresentações em Belo Horizonte, e várias outras cidades pelo interior.
Em Belo Horizonte apresentamos em alguns programas de Televisão como o Jota Lenno Rodeio, na TV Bandeirantes, em São Paulo na TV Diário, TV Gazeta; Rede TV e na Rede Globo de Anápolis GO.

Como você conheceu a mensagem Adventista e a influência dela na sua vida e da sua família?

Bom, o cantor vocalista da banda, o Michel Spina, após quase dois anos com a gente, chegou me dizendo que decidira parar de cantar pois estava se preparando para batizar na igreja Adventista. Naquele momento fiquei sabendo sobre esta igreja, e ele me disse que não poderia mais continuar na banda.
Fiquei desabado, pois tinha vários contratos para cumprir, e sendo ele o cantor principal, ofereci o dobro do cachê, mas ele recusou. A banda tinha mais dois vocalistas o Marquinhos e a Georgiane (esposa). Tínhamos mandado vários materiais para cidades onde teria os eventos. Certo dia no Rio de Janeiro fomos fazer um show na cidade de Magé e o pior estava por vir. A contratante começou a perguntar pelo Michel e ele não estava mais na banda daí tivemos que fazer meio show e foi um problema, a contratante queria chamar a polícia dizendo que nossa banda era falsa. Foi um trabalho para poder sair. Acabei dando aquele show de mais de 10 mil reais por nada.
Não entendia porque Michel tinha saído só porque ia se batizar, mas Deus já estava me trazendo para Ele. A algum tempo eu que era um católico vinha discordando de algumas coisas que acreditava não ser o correto.
Um certo dia estava na faculdade (curso administração), e em umas das minhas pesquisas sobre religião, me deparei com o apóstolo Mateus como um contador, e me aprofundei no assunto na internet, até descobrir sobre os livros apócrifos.
Depois estava eu na casa de um amigo, tinha combinado para ir a casa dele de manhã, mas só fui à noite e quando cheguei por lá estava um irmão da igreja Adventista dando estudo bíblico. Fiquei observando eles falarem e naquele momento o assunto foi sobre livro apócrifos.
O irmão Adventista me convidou para estudar a Bíblia. Disse para ele que pensaria no assunto.
Passado mais de um mês, eu o avistei de novo no hospital, ele me convidou de novo para fazer o estudo. Acabei aceitando, fizemos quatro estudos bíblicos e a cada estudo eu pesquisava na internet o que ele me dizia para ver se era verdade.
Fui convidado pelo irmão José Martins (meu professor de estudos bíblicos), a ir a igreja. Aquela era uma semana evangelística, ele me convidava todas as vezes que o estudo terminava, mas eu nunca quis ir. No entanto, um certo dia ele me convidou e acabei aceitando. Chegamos na igreja do bairro São José, minha esposa gostou muito da recepção, e voltamos posteriormente.
Já estávamos sentindo-nos tocado pelas pregações do pastor Luis Gonçalves, fomos convidados a ir a Belo Horizonte pois teria batismos e poderíamos ver como era. Ficamos entusiasmados e aceitamos o convite.

 Qual a influência da TV Novo Tempo em sua decisão de se tornar um Adventista do 7º dia?

 Pois bem, no dia antes da viagem para Belo Horizonte, ainda tínhamos dúvidas se a igreja Adventista era realmente uma igreja verdadeira. Eu estava assistindo um programa de esportes, minha esposa estava me perguntando se realmente a igreja era verdadeira.

Sem saber o porquê eu troquei de canal naquele momento, e acabou caindo na TV Novo tempo. Quando o pastor Ivan Saraiva proferiu as seguintes palavras: “eu ia falar outra coisa mas não sei porque o Espírito Santo está me tocando para dizer a vocês dois, este casal que está me vendo neste momento. Vocês não precisam mais ter dúvidas. A igreja Adventista do Sétimo é a igreja verdadeira”…. Naquele momento eu me desabei, pois a resposta estava ali diante dos meus ouvidos e olhos. Quando me dirigi para minha esposa, ela estava chorando. Daquele momento em diante, nós sentimos uma vontade de ser batizados, fui a igreja a noite e pedi para que preenchessem nossa ficha batismal.

 Quando e onde foi batizado?

Viajamos pra Belo Horizonte, isso foi no ano de 2012, mas o pastor conversou conosco dizendo que não seria possível naquele momento pois eu teria que arrumar minha vida primeiro. Eu era separado de um outro casamento e não tinha o divórcio. Então ficamos no ginásio Mineirinho em Belo Horizonte ouvindo o pastor Luiz Gonçalves.

Cada vez mais eu, minha esposa e meu filho Gabriel sentíamos vontade de batizar, nós chorávamos muito. O pastor foi tentar resolver o caso com a comissão da igreja e só saiu a resposta depois que quase todo mundo já havia batizado.
Nós éramos os primeiros da fila, e acabamos por último naquele momento. Nós choramos muito e pedimos a Deus que fossemos batizados, pois tínhamos muito vontade naquele momento. Graças ao nosso bom Deus saiu a resposta e fomos batizados, foi uma alegria contagiante.

 O que mudou na sua vida depois e ter deixado o sucesso, a fama, onde se apresentou inclusive em programas de rádio, e TVs como Bandeirantes e Rede TV?

 Bom, eu teria que abandonar minha vida anterior, e agora o que fazer? Eu vivia das bandas e dos eventos que realizava, eu cancelei os shows que ainda tinha.

 O que faz atualmente o Valdir Cardoso na cidade de São Francisco interior de MG?

Fiquei desempregado apenas dois meses, coloquei minha vida nas mãos do Senhor. Saiu um concurso público, um processo seletivo municipal. Então prestei com o cargo de motorista, e passei em primeiro lugar, hoje sou motorista da prefeitura. Já se passaram dois anos, trabalho na assistência social de São Francisco, Minas Gerais. Minha esposa é agente de Saúde em um PSF, o Michel hoje é empresário, montou uma loja de peças de bicicletas e motos.

Em relação aos amigos, qual foi a reação deles no tocante a sua decisão de não mais fazer parte da banda?

 Bom meus amigos sumiram de casa, eles ficavam me ligando para poder marcar shows para eles, mas eu disse que não mais me envolveria com esse tipo de coisa. A maioria dos amigos sumiram. Não me ligam mais. Apenas uma das bailarinas, a Luana, que também se converteu pouco tempo depois e se casou com um pastor da igreja assembleia, e o Gilvan o tecladista, se batizou. Também hoje ele é Adventista e o Robson o contrabaixista, fiz estudo bíblico com ele e o seu pai, hoje são batizados. Dou estudos bíblicos e já ganhei várias pessoas para Jesus.

 Algum personagem bíblico ou texto que é o seu preferido?

 Davi, vejo como ele errou muito, mas buscou Deus de todo o seu coração e Ele o Salvou.

Gosto muito do Salmo 37:5 Onde eu confio no Senhor e o mais Ele Faz por mim.

 Sua mensagem final

Sou muito grato a Jesus por ter me tirado do mundo do erro.
Deixo aqui uma mensagem a você irmão: não fique se importando com as coisas deste mundo, pois Jesus está voltando, e o mais importante: Vamos com Ele morar no céu, nunca se esqueça disso, morar no Céu é o nosso objetivo.

[Equipe ASN, Samuel Nunes]

 

Notícias Relacionadas


Comentários

WordPress Image Lightbox