Notícias Adventistas

Gente

Acidente leva jovem a decidir por ministério pastoral

No dia 25 de outubro, Igreja Adventista do Sétimo Dia celebra o Dia do Pastor e homenageia aqueles que ajudam a anunciar a volta de Jesus.


  • Share:
Pastor Osvaldo Lima com sua família

Pastor Osvaldo Lima com sua família

São Paulo, SP... [ASN] No dia 25 de outubro, a Igreja Adventista do Sétimo Dia celebra o Dia do Pastor. A Associação Paulista Leste (APL), sede administrativa da instituição para o Leste da cidade de São Paulo, homenageia os pastores que atuam nas igrejas, departamentos e instituições com a história do pastor Osvaldo Lima Ferreira, que atualmente atua no distrito de Vila Nova Cachoeirinha.

São 21 anos de ministério pastoral, vencendo a limitação física imposta pela poliomielite, que o acometeu antes de completar um ano de vida. O pastor cursa agora o doutorado em Ministério Adventista pela Andrews University, com previsão de conclusão para 2015.

Clique aqui e veja os materiais de apoio para celebrar este dia.

Assista a homenagem da Igreja Adventista na América do Sul para todos os pastores:

Abaixo, a “Vida de pastor”, pelo próprio pastor Lima.

Sou pastor há 21 anos e me sinto um homem muito abençoado por Deus por ter este privilégio. Tenho convicção de que Ele me separou para o ministério, embora não tenha sido fácil compreender isso no princípio e me submeter aos Seus planos.

Aos 11 meses de idade fui violentamente atingido pela poliomielite, tornando-me totalmente impossibilitado de me locomover sem auxilio de muletas.

Aos 15 anos, duvidava do amor de Deus por mim, mas Ele transformou meu coração quando me livrou de um terrível acidente no Rio Piquiri, no Paraná. O ônibus em que eu viajava caiu da balsa em movimento e matou oito pessoas que estavam dentro, mas eu fui salvo porque Deus falou comigo.

Eu desci do ônibus instantes antes da balsa cair porque ouvi a voz dEle me pedindo para sair. A partir daquele momento entendi que Deus tinha algum propósito comigo em Sua obra e decidi servi-Lo integralmente.

Aos 21 anos iniciei o curso de Pedagogia no Instituto Adventista de Ensino (Antigo IAE, hoje Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus São Paulo) porque acreditava que estava muito limitado fisicamente para ser pastor. Na verdade eu estava mesmo era fugindo do Seu chamado. Mas Deus não desistiu de mim. Após concluir Pedagogia, cursei Teologia e me tornei pastor.

A serviço de Deus

Nestes 21 anos de ministério Deus sempre esteve comigo, mostrando Sua graça e sustentando-me em todas circunstâncias. Posso até dizer que Deus transformou minhas limitações físicas em trunfos para melhor servi-Lo, pois estas limitações me fazem estar mais consciente da total dependência dEle. É maravilhoso perceber que no coração de meus colegas de trabalho, dos administradores e dos irmãos da igreja nunca houve preconceitos, apenas, amor, aceitação e apoio.

O fato é que Deus tem feito prosperar o meu ministério: 21 igrejas foram plantadas, milhares de pessoas foram batizadas, e em todo momento evidências atestam que em nada tenho sido limitado fisicamente para realizar a obra de Deus. Ele é a minha força a cada hora, a cada dia, a cada mês, a cada ano.

Do meu casamento com Sueli Masson Nardes Ferreira, que também é pedagoga, nasceram a Celise, que tem 20 anos e está cursando o 3º ano de medicina na Universidade Adventista Del Plata (UAP), na Argentina, e o Hanniel, de 18 anos, que está no 1º ano de medicina na mesma universidade.

Depois de concluir o mestrado em Teologia no Unasp, em 2009, e ter concluído o programa de doutorado em Missiologia em Londrina, no Paraná, em 2011, no ano seguinte iniciei meu doutorado em Ministério Adventista pela Andrews University, com possibilidades de conclusão entre 2015 e 2016.

Para mim, ser pastor é ser um homem escolhido para revelar o amor de Deus aos homens através de atos de bondade, equilíbrio, mansidão, coerência e fé.

O que mais me inspira e motiva como pastor é pregar a Palavra, treinar e formar líderes para conduzir o rebanho de Deus, plantar novas igrejas e conduzir pessoas ao batismo.

Nada me emociona mais do que poder ver o sorriso de pessoas que acabaram de ser batizadas e ainda dentro do tanque de batismo me abraçarem, dizendo: “muito obrigado!" Meu maior sonho como pastor é ver uma igreja onde a maioria dos membros esteja engajada na missão de Deus, expandindo o Seu reino e sendo relevante na comunidade onde se encontra instalada, ou seja, uma igreja onde cada membro seja o sorriso de Deus para qualquer pessoa que encontrar.

Veja a mensagem do pastor Erton Köhler, presidente da Igreja Adventista para a oito países sul-americanos, para todos os pastores que atuam neste território:

[Equipe ASN, Departamento de Comunicação da Associação Paulista Leste]