Notícias Adventistas

Calebes fazem “jejum de celular”

A experiência foi do pôr do sol de sexta-feira até o pôr do sol de sábado.

28 de janeiro de 2015
Aos poucos, os aparelhos foram sendo recolhidos. Os Calebes ficaram 24 horas sem o celular.

Aos poucos, os aparelhos foram sendo recolhidos. Os Calebes ficaram 24 horas sem o celular.

Rio Negro, PR… [ASN] A tecnologia já faz parte da vida da maioria das pessoas, principalmente os celulares que estão no dia a dia dos brasileiros. De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), no primeiro semestre de 2014, o número de linhas ativas no país ultrapassou a marca de 272 milhões.

E as crianças e adolescentes também estão envolvidos neste universo. A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), revelou que 58,7% dessa nova geração na região Sul do Brasil possui um celular.

Na mão dessa juventude, o aparelho se torna um companheiro e na Missão Calebe não é diferente. Os voluntários que dedicam suas férias em prol do próximo, estão sempre disponíveis e conectados, porém nem sempre essa situação é positiva. Na cidade de Rio Negro, o líder do grupo, pastor Adevaldo Cardoso, notou que o celular tirava a concentração dos Calebes, sendo possível perceber o vício em muitos deles. Devido à essa realidade, o pastor resolveu desafiá-los a ficarem 24 horas sem o celular.

“A ideia era fazer um ‘jejum do celular’ que começava no pôr do sol da sexta-feira e terminava no pôr do sol de sábado. Gostaria de mostrar que nós temos que ter um controle no uso desse aparelho e se dedicar no sábado totalmente a Deus”, explica o líder que recolheu os aparelhos dos 30 jovens que estão participando do projeto nessa região.

calebes rio negro

A ausência do celular aumentou a interatividade do grupo

A princípio, Adevaldo conta que alguns ficaram apavorados, mas eles perceberam que de fato seria uma boa experiência. De acordo com ele, os resultados dessa simples atitude puderam ser notados de imediato. “Percebi que no momento do culto eles estavam atentos e respondiam as perguntas do pregador. Ao longo do dia, os Calebes ficaram mais comunicativos, pois já que não tinham o celular em mãos, precisavam interagir com seus colegas”, analisa.

Anne Marcelle, de 15 anos, admite que foi uma experiência muito interessante e que quase não sentiu falta do aparelho. A adolescente revela que o “jejum” fez bem para o grupo no geral, pois todos puderam interagir e ter mais momentos juntos. “Nós não nos preocupamos com horário, nem nada. Pudemos brincar mais, conversar mais e também sair ao trabalho no horário”, aponta a garota que participa pela primeira vez da Missão Calebe.

Para ficarem no modo off-line, os Calebes informaram a seus pais e familiares que ficariam sem celular, tendo apenas um aparelho disponível com o pastor, caso precisassem para alguma emergência.

 Voluntariado

Os jovens da cidade de Rio Negro estão trabalhando no Bairro Alto. Várias atividades já foram realizadas, como: feira de saúde, Escola Cristã de Férias, curso de Como Deixar de Fumar, evangelismo, além de estudos bíblicos que são orientados pelos próprios Calebes.

“A Missão Calebe está sendo maravilhosa! É o que eu precisava na minha vida para melhorar”, comemora Anne. [Equipe ASN, Jéssica Guidolin]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox