Notícias Adventistas

Agência americana premia ADRA por projeto com desabrigados na Sérvia

USAID apoia a iniciativa promovida pela ADRA nas ruas da capital, Belgrado.

Por Andreas Mazza, Divisão Intereuropeia, ADRA Europa e Adventist Review 16 de junho de 2021

No dia 28 de maio de 2021, representantes da USAID na Sérvia e da Embaixada da República Eslovaca assinaram um memorando de entendimento que permitirá à ADRA a continuar apoiando as pessoas desabrigadas em Belgrado. (Foto: ADRA Sérvia)

A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID, na sigla em inglês), premiou recentemente a agência humanitária adventista, a ADRA, na Eslováquia, pela implementação contínua do programa “DrumoDrom” para pessoas desabrigadas. O reconhecimento também veio em forma de dinheiro, mais precisamente US$120.000,00, valor que será totalmente destinado à continuação do projeto, que acontece em parceria com a ADRA Sérvia.

Leia também:

No dia 28 de maio de 2021, representantes da USAID na Sérvia e da Embaixada da República Eslovaca assinaram um memorando de entendimento. O prêmio financeiro vai possibilitar a continuação do projeto, especialmente criado para promover apoio às pessoas sem-teto.

Os signatários foram o diretor da USAID Shanley Pinchotti e o embaixador eslovaco na Sérvia, Fedor Rosocha, com o embaixador dos EUA na Sérvia, Anthony F. Godfrey como testemunha. A delegação escolheu o Centro Comunitário ADRA como o lugar para realizar a cerimônia das assinaturas.

“Nós estamos impressionados pelo que a agência eslovaca, SlovakAid, e a organização adventista ADRA, tem feito pelos desabrigados”, Godfrey disse. “Hoje, estamos concedendo US$120.000,00, para que juntamente com vocês, nós possamos continuar esses esforços e apoiar mais pessoas”, acrescentou ele.

Na Sérvia, o convênio da ADRA com outras agências assistenciais permite que a organização continue ajudando com a crise migratória, trabalhe em direção à proteção e empoderamento feminino, apoie o fortalecimento econômico de famílias romani e auxilie as pessoas sem-teto do país. [Foto: ADRA na Sérvia]

De acordo com as estatísticas do World Bank , 25% dos sérvios vivem na pobreza. Essa porcentagem representa cerca de 1,8 milhão de pessoas. As condições de vida inadequadas em favelas são reconhecidas como um dos sinais aparentes de pobreza extrema que afeta milhares de pessoas em Belgrado, especialmente os romani, segundo pesquisa de um estudo feito pela Universidade de Belgrado.

As estatísticas indicam que a população desabrigada é o subgrupo mais desprovido de todas as comunidades socialmente vulneráveis em Belgrado, e corre grande risco durante a pandemia. Os líderes na região dizem que uma quantidade significativa de ajuda financeira é urgentemente necessária para fornecer apoio para esse povo praticamente esquecido.

Sobre a ADRA Sérvia

Com sede em Belgrado, a ADRA Sérvia é um dos 130 escritórios nacionais da ADRA Internacional e é ativa na região desde 1990. Durante a Guerra dos Balcãs em 1990, que afetou o território da então Iugoslávia, a ADRA teve uma participação significativa nas atividades de ajuda humanitária na Bósnia e Herzegovina, não levando em conta as associações religiosas ou étnicas das pessoas que estavam em necessidade.

Após a guerra, a ADRA continuou a operar como uma organização de auxílio no território da República da Sérvia. Sob a liderança do diretor, Igor Mitrović, o trabalho atual da ADRA Sérvia implica em responder às crises migratórias do país, trabalhar em relação à proteção e empoderamento feminino, apoiar o fortalecimento das famílias romani e atender aos desabrigados.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox