Notícias Adventistas

Goiás lança Projeto Pegadas para cinco regiões do estado

Projeto Pegadas vai ensinar os pais e líderes da Igreja a discipular e cuidar da nova geração.

8 de junho de 2016
13405099_725355804233429_693774668_o

Cerca de 100 pessoas participaram da primeira etapa do projeto Pegadas em Goiás.

Goiânia, GO… [ASN] Realizar o culto familiar com os filhos não é suficiente para a formação espiritual dos filhos, é o que afirmou Eleni Wordell , diretora do Ministério da Criança e do Adolescente da Igreja Adventista para a região Centro-Oeste no lançamento do projeto Pegadas em Goiás esta semana.

O encontro reuniu pouco mais de 100 pessoas entre pais, professores, diretores do Ministério da Família, pastores e diretores de Desbravadores e Aventureiros aprendem a como discipular e cuidar da nova geração.

O grupo será um protótipo do projeto Pegadas no estado e abrangeu as regiões: Coimbra, Vila Regina e Guanabara de Goiânia, GO, Garavelo de Aparecida de Goiânia, GO, e Jundiaí de Anápolis, GO.

Leia também:

Projeto ensina a discipular novas gerações e conter perda de membros 

O casal Ricardo Lopes e Vanessa Silva, da IASD Garavelo, tem um filho de 3 anos, por isso para eles foi fundamental participar do programa. Segundo Vanessa tudo o que aprendeu vai fazer a diferença em seu lar. “Como eles estão focando muito nos filhos, está sendo muito bom para gente, principalmente porque somos pais de primeira viagem. Eu vou fazer de tudo para passar mais tempo com meu filho, isso com certeza vai influenciar na vida espiritual dele mais tarde”, declara.

Eles também fazem parte da liderança do Ministério da Família na Igreja onde frequentam e para Ricardo falar sobre o cuidado com a formação do caráter da criança foi essencial. “É como diz o verso da Bíblia de Provérbios 22:6, ensina a criança no caminho que deve andar e mesmo quando for velho não se desviará dele”, acrescenta.

13393338_725355784233431_1047636029_n

Escritora Sonia Rigoli apresentou várias dinâmicas e ideias para conquistar crianças e adolescentes.

A escritora e palestrante Sonia Rigoli foi quem esteve presente dando o treinamento para o desenvolvimento das etapas do projeto.

Segundo ela, um lar onde as crianças não têm orientação espiritual, elas só vão saber aquilo que toda criança sabe, como desenhos animados, novela, filmes ou algo que viram na internet. Os gostos e preferências dessas crianças vão se basear nisso. “Uma criança que é educada pelos pais dentro dos princípios do Senhor, tem muito mais chance de ser como Samuel, que tenha interesse em ouvir o Senhor falar, ela vai amar a Deus, ela vai amar o próximo, ela vai ter interesse em ajudar o próximo e até falar do amor Jesus para as pessoas. É esse tipo de educação que está faltando. Um lar onde o foco da formação seja a Bíblia”, destaca Sonia.

O projeto é dividido em etapas, primeiro a Igreja é mobilizada para entender a importância do mesmo, depois, os pais das famílias inscritas se encontram para aprender a como meditar e não apenas ler a Bíblia, durante três meses. Após esse período, os pais trabalham o amor de Jesus, as doutrinas bíblicas e a missão de ajudar e falar de Deus a outros com seus filhos, durante seis meses.

Todas as etapas do processo são etapas planejadas para chamar a atenção das crianças , tornar as lições da Bíblia práticas, agradáveis e desafiadoras. Tem sempre uma tarefa de casa para a família cumprir, incentivando assim o culto familiar.

De acordo com Eleni Wordell, este projeto ensina os pais a meditar na palavra do Senhor e a tornar a leitura da Bíblia mais agradável aos filhos. Para que a criança que já é alfabetizada possa ler e sentir alegria. “Muitos, ao ouvirem falar que nós devemos discipular os filhos, imaginam que é apenas fazer o culto familiar. Discipular os filhos no caminho de Deus vai muito além disso. Os pais precisam ser orientados a passar tempo de qualidade com os filhos, assim como tornar o culto familiar e a Bíblia agradáveis para as crianças”, enfatiza Eleni.

Quando terminar as etapas do projeto, o mesmo vai continuar com o estudo da lição da Escola Sabatina, o que de acordo com Eleni vai trazer grandes resultados. “Esse movimento vai mexer com a estrutura da nossa Igreja, porque se as famílias estiverem fortes, a Igreja será forte também”, finaliza. [Equipe ASN, Jéssica Veloso]

Veja Também

WordPress Image Lightbox