Notícias Adventistas

Treinamento Save One enfatiza envolvimento do jovem na igreja

Evento propôs aos líderes do Ministério Jovem, novas ideias para desenvolver programações atrativas em suas igrejas.

6 de abril de 2017

Treinamento reuniu 650 líderes do Ministério Jovem.

Cascavel, PR… [ASN] Com ênfase na Comunhão, no Relacionamento e na Missão (CRM), o treinamento Save One incentivou líderes do Ministério Jovem, a promoverem o envolvimento de jovens em suas igrejas. Realizado no auditório da Unipar durante o último sábado (1º), o evento reuniu 650 líderes de diversas igrejas locais no oeste do Paraná.

“O evento tem como objetivo treinar, preparar e dar o foco correto para eles. Por isso, nós trabalhamos os pilares do Ministério Jovem: as bases do G148, a escola sabatina, o sábado total e as celebrações distritais”, explica o líder de jovens para o oeste do Paraná, Édi Peixoto.

As palestras ministradas ao longo do evento propuseram formas criativas de atrair a atenção dos jovens para as atividades da igreja. “Nós enfatizamos, por exemplo, a importância de a escola sabatina ser criativa, prática, ter o foco na missão, métodos diferentes para a recapitulação da lição, promovendo assim o envolvimento do maior número de pessoas possível”, conta Peixoto.

Líder de jovens na igreja adventista central de Umuarama falou sobre ações que desenvolve com seu grupo.

Testemunhos

Além de palestras, a programação também contou com testemunhos de líderes que fazem a diferença em suas igrejas. Deivison de Souza é líder de jovens da igreja adventista central de Umuarama. Ele conta que após participar da edição anterior do treinamento, realizada em 2016, seu grupo ficou motivado a desenvolver ações que se destacassem na comunidade.

Foi assim que desenvolveram o projeto Amor no Cabide, uma ação que conquistou a comunidade e ganhou destaque na mídia da região. “Arrecadamos roupas, agasalhos e calçados de boa qualidade e, numa manhã de sábado, fomos a uma praça muito movimentada. Lá montamos um vestiário com espelho e as pessoas escolhiam as roupas que estavam nos cabides, experimentavam e levavam gratuitamente”, conta Souza. [Equipe ASN, Juliana Muniz]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox