Notícias Adventistas

Simpósio debate questão de plágio feito pela escritora adventista Ellen White

13 de abril de 2016
1º Simpósio do Espírito de Profecia da APV

1º Simpósio do Espírito de Profecia da APV debateu sobre veracidade dos escritos de Ellen White as novas correntes dissidentes. (Fotos: Mairon Hothon)

São José dos Campos, SP … [ASN] A dúvida não é nova, mas ainda provoca muita inquietação na cabeça dos líderes: teria a escritora adventista Ellen White cometido plágio em seus livros? Por que uma das fundadoras do adventismo usou diferentes fontes literárias e não deu os devidos créditos aos autores? Essa e outras questões foram amplamente debatidas durante o 1º Simpósio do Espírito de Profecia em São José dos Campos.

O simpósio que aconteceu neste último sábado (9) foi realizado pela Associação Paulista do Vale, administração religiosa da Igreja Adventista para a região de Guarulhos, Vale do Paraíba e Litoral Norte, trazendo para palestrar sobre o assunto o pastor, doutor em Teologia e diretor da Faculdade de Teologia do Unasp, profº Emilson Reis. Durante as três horas de programação, ele pôde explanar do porquê que os adventistas acreditam e tem como uma das crenças fundamentais o Espírito de Profecia.

“Esse ainda é um dos assuntos mais sensíveis para a Igreja pela falta de conhecimento e estudo por parte dos fiéis. Assim como eles acreditam nas 28 doutrinas fundamentais da religião porque receberam um estudo bíblico elaborado antes do batismo, do mesmo jeito deveria acontecer para que entendessem e ampliassem o conhecimento no Dom de Profecia. Quando estudamos e comparamos os livros de Ellen White com a Bíblia, vemos que eles só nos ajudam a ampliar a visão bíblica e que ela foi inspirada por Deus para escrever aquilo”, explica Reis.

pastor Emílson Reis

“O conhecimento nos escritos de Ellen White nos levará a uma compreensão maior da Palavra de Deus”, diz o pastor Emílson Reis.

Segundo a 18ª doutrina da Igreja Adventista e aceita em comissão mundial, o Dom de Profecia é característico da igreja remanescente e dado pelo Espírito Santo. Ele foi manifestado no ministério da escritora norte americana Ellen G. White e como mensageira, seus escritos são uma contínua e autorizada fonte de verdade que proporcionam conforto, orientação, instrução e correção à Igreja. Eles tornam claro que a Bíblia é a norma pela qual deve ser provado todo ensino e experiência.

O organizador do evento, pastor Uendeo de Paula, ressalta que a iniciativa do congresso visa despertar em cada fiel e simpatizante da religião o desejo de conhecer mais dos livros do Espírito de Profecia. “A Bíblia nos diz que se crermos em Deus nós estaremos seguros e se crermos em seus profetas estaremos preparados. Esse encontro de hoje tem o objetivo de despertar nas pessoas o desejo de estudar em pouco mais de Ellen White e não deixar ser enganado por qualquer corrente dissidente que está existindo. Quando falta conhecimentos, todos perecemos, quando buscamos crescer isso nos torna mais maduros”, explica.

O plágio da escritora adventista

Entre os assuntos debatidos na tarde do sábado, itens como a busca do perfeccionismo cristão, as correntes dissidentes da Igreja Adventista, a veracidade e confiabilidade dos livros de Ellen White e os conceitos de inspiração, revelação e dom de profecia foram amplamente debatidos. Contudo, um dos assuntos explorados foi a questão que envolve uma denúncia de plágio da escritora adventista em vários livros publicados.

plágio de Ellen White

Questão sobre plágio de Ellen White causou dúvidas entre os participantes do congresso.

Segundo o que foi levantado, Ellen White frequentemente fazia uso de fontes literárias para comunicar suas mensagens, contudo apesar do uso de textos e ideias de outros autores, ela não fez referência nominal deles, daí a dúvida com o plágio. Para responder a pergunta, o professor Reis se remeteu a nota oficial da Igreja Adventista que explica a situação. “O resultado da análise feita por um empresa especialista em casos de roubo de patente e casos autorais acusou que a Ellen White não plagiou qualquer informação, isso porque na época em que foram escritos os livros dela, isso não era considerado crime nas leis americanas além do laudo ter atestado que ‘Ellen White usou os escritos de outros; mas da maneira em que ela os usou, ela os tornou singularmente seus, adaptando as citações a sua própria estrutura literária’, defende.

Veja a nota de esclarecimento produzido pela Igreja Adventista sobre o assunto: As negativas de Ellen White

O Simpósio do Espírito de Profecia terá também uma versão para a região de Guarulhos no dia 20 de agosto no Colégio Adventista de Gopouva. Para mais informações entre em contato com a secretária do evento Jaqueline Souza pelo e-mail: jaqueline.souza@ucb.org.br ou pelo telefone (012) 4009-9170 [Equipe ASN, Mairon Hothon].

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox