Notícias Adventistas

“Música é um ministério de família”, afirma casal de regentes durante Encontro de Músicos

Curso intensivo reuniu profissionais e amadores de todo o Rio Grande do Sul

Por Douglas Pessoa, com informações de Giovanni Manzolli 8 de julho de 2019

Gilberto Amaral e Juliana Munhoz dedicam a vida para a música em Novo Hamburgo

O envolvimento com a música sempre fez parte da vida de Gilberto Pinheiro do Amaral. O homem, que vive em Novo Hamburgo com sua esposa Juliana Munhoz, traz lembranças da infância quando é questionado sobre o amor que sente por esse ministério. “Minha história com a música começou muito cedo. Minha mãe cantava muito na igreja e em corais e eu já participava desde quando era uma criança de colo. Ela ia cantar e eu sempre estava junto”, relembra. A medida em que foi crescendo, Amaral começou a aprender a tocar instrumentos e ensaiar músicas com suas irmãs. “Foi quando eu aprendi a tocar cavaquinho, devido ao meu tamanho. Aos 12 anos pude começar a tocar violão”, conta.

Dominando o instrumento e com uma certa experiência em canto, o jovem formou um trio musical com suas irmãs. As apresentações na igreja passaram a ser ainda mais frequentes e o amor pela música só crescia. “Foi então que eu pude formar o Quarteto Ônix, um grupo musical que hoje já tem 29 anos de história, e participar ativamente do coral da igreja”, relata. Amaral é hoje o regente do Coral Jovem de Novo Hamburgo. Ele explica que toda essa verdadeira bagagem musical pode dar base para que ele desempenhasse esse trabalho com maestria. “É um trabalho que exige bastante, mas que estou podendo desempenhar graças a toda essa vivência que tive com a música”, atribui.

Juliana Munhoz, esposa de Gilberto, também respira música. Ela conta que começou a tocar piano aos sete anos de idade e não parou mais de se envolver com as combinações de notas e tons. “Depois de aprender o instrumento eu fui morar no internato, onde pude participar do coral. Quando voltei a Novo Hamburgo conheci o Gilberto e nos casamos. Como ele sempre esteve muito envolvido com a música, eu mergulhei de cabeça nesse ministério”, compartilha. Uma das iniciativas de Juliana nesse universo foi trabalhar, durante vários anos, do coral infantil da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) Central de Novo Hamburgo. “Foi uma bênção! A gente reuniu crianças de quatro a 10 anos de idade. Foi uma realização pessoal”, afirma.

Encontro contou com participação de Regina Mota e Marcel Freire

O casal pôde conhecer e trocar experiências com outros profissionais de música durante o Encontro de Músicos que aconteceu no último sábado (06), no Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (IACS). O treinamento reuniu 300 pessoas de todas as partes do Rio Grande do Sul e se tornou uma oportunidade de crescimento para quem trabalha com instrumentos, canto e regência. “A gente sabe que tem pessoas com bagagem musical muito maior e várias lições para compartilhar. Então para nós, participar de um encontro como esse é um aprendizado. Apenas no primeiro momento do encontro, que foi pela manhã, eu pude assimilar muita coisa que foi transmitida pelos palestrantes e já quero colocar em prática com o coral”, conta Gilberto.

O encontro contou com a participação de Regina Mota e Marcel Freire, profissionais que atuam na faculdade de música do Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP) e possuem uma larga experiência com corais e regência. Para Freire, treinamentos como esse são uma oportunidade única na vida dos participantes. “Eu acho que as pessoas precisam ser orientadas sobre como fazer a música dentro dos contextos da sua comunidade. A música precisa ser um instrumento de envolvimento das pessoas”, explica. Segundo ele, esse tipo de treinamento promove uma democratização do ministério musical, pois ajuda a orientar pessoas que têm anseio por trabalhar com música, mas ainda não têm pleno conhecimento dessa área.

O Encontro de Músicos durou todo o dia de sábado e foi marcado por treinamentos em áreas específicas. Além das palestras com todo o público no auditório do residencial feminino, os profissionais dividiram os participantes em equipes, de acordo com a área em que tinham mais interesse. Enquanto a equipe que trabalha com sonoplastia ouviu conselhos e dicas de Fernando Soper, que também atua na música do Unasp, outros aprenderam técnicas de exercícios vocais com Marcel Freire e Regina Mota. “Quanto mais a gente puder capacitar os voluntários da igreja a aprimorar seu trabalho é bom. Isso é muito importante”, reforça Regina Mota. Ela conta que também se entusiasma ao ver a dedicação das pessoas presentes no encontro. “Meu sentimento é de alegria em ver pessoas tão comprometidas nesse ministério. Ver que elas saíram de suas cidades e dedicaram um sábado inteiro para vir a esse treinamento é maravilhoso”, confessa.

Além do aprendizado técnico e vocal da música, o encontro também contou com momentos de reflexão espiritual. O pastor Elmar Borges, líder do Ministério da Música Adventista nos três estados sulistas, esteve presente e falou sobre a importância desse trabalho pra Deus. Ele também compartilhou experiências com a música e convidou os profissionais a sempre dedicar seu talento para a propagação da mensagem cristã. “A música tem um papel importantíssimo no processo de adoração da igreja local. A gente tem que entender cada vez mais que para ter um louvor adequado é preciso se especializar, buscar conhecimento e estar atento. É uma série de detalhes que podem fazer com que a música seja boa ou ruim”, explica o líder.

Ao final do encontro, os participantes receberam um broche representando seu comprometimento com o Ministério de Música e foram convidados a permanecerem motivados e empolgados com o trabalho. As mensagens os lembraram que a música cristã tem a adoração a Deus como primeiro objetivo, mas também é um instrumento de união entre os seres humanos. Ou seja, um verdadeiro ministério. Tudo foi apresentado para que ficasse claro que, assim como afirmou Gilberto, a música seja um ministério de família.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox