Notícias Adventistas

Orador leva jovens a pensarem sobre necessidade de agentes de Deus em tempos de perseguições

Intolerância sentida pelo personagem Daniel devido a hábitos religiosos foi gancho para reflexão

15 de novembro de 2016

img_9744Igrejinha, RS… [ASN] “Ir aonde Deus mandar” é o item que fecha a Lei dos Desbravadores, repetida dezenas de vezes nos últimos dias. Foi a partir deste assunto que o orador Gustavo Goes encerrou o tema de seu sermão na noite do quarto dia do 22º Campori de Desbravadores da Associação Sul-rio-grandense. “Até onde você está realmente disposto a ir por Deus?”, perguntou ao público, depois de refletir sobre o contexto de desafios da vida de Daniel, quando o personagem perdeu o direito de orar em local visível devido a ações de pessoas mal intencionadas.

Leia mais:

Desfile cívico, condecorações e histórias de transformação marcam segundo dia de campori

Abertura do campori leva jovens a refletirem sobre escolhas diárias

Igrejinha vai receber 1800 desbravadores para o campori

O orador também aproveitou o contexto do capítulo 10 do livro bíblico de Daniel para atentar para a ideia de que há muitos jovens que agem como “agentes secretos de Deus”, ou seja, preferem não ser identificados como cristãos por suas atitudes em público, especialmente fora dos limites da igreja. “Vai haver consequências de você estar ao lado de Jesus. As vezes, você não gostará do resultado, é verdade, mas se Jesus é aquele que cuida de você, aquele quem você escolheu para ser dEle, Ele fará o improvável para lhe salvar”, expressa.

A ocasião também contou com outros novos batismos. A jovem Camille Silva (13), do clube Dunamis, que reside na capital gaúcha, foi uma das adolescentes que resolveram manifestar de maneira pública, seu desejo de estar ao lado de Deus dia após dia. Por não ter crescido no contexto adventista, ela só conheceu a agremiação porque sua mãe soube da existência pelo relato de uma amiga. “A decisão que eu tomei foi a melhor coisa que fiz, porque eu não estou só me entregando a Deus, mas estou agindo como filha dele. Lá dentro, não tenho só as amizades, mas também tenho a diretoria. Fui muito bem recebida, vi que lá era o meu lugar e que lá poderia encontrar Deus e respostas para minha vida”, comemora.

img_9814

O evento

O campori continua no domingo com uma grade intensa de atividades, que vai desde a disputa de finais de concursos que demonstram habilidades artísticas, até provas que necessitam de disciplina e concentração em grupo, como a de ordem unida.

O Clube de Desbravadores é uma agremiação semelhante aos escoteiros, que reúne pessoas de 10 a 15 anos com objetivo de desenvolver habilidades, moralidade, disciplina, gosto pela natureza, projetos sociais, além de combater o uso de fumo, álcool e drogas. Já o campori se trata de uma celebração das atividades realizadas ao longo do ano, também recheado de desafios que contemplam as áreas física, mental e moral. [Equipe ASN, Willian Vieira]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox