Notícias Adventistas

Jovens se manifestam pelo fim da violência doméstica

Em apoio ao combate a violência contra mulher, o grupo foi até um evento da prefeitura de Goiânia que celebrou os 12 anos da lei Maria da Penha.

16 de agosto de 2018

Goiânia, GO […] Em comemoração aos 12 anos de criação da lei Maria da Penha, a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM) de Goiânia realizou um encontro destinado às mulheres, na quinta-feira, dia 16, no auditório da Caixa Econômica Federal, na parte da manhã. Criada no dia 7 de agosto, a lei pune quem comete qualquer tipo de violência contra a mulher. O programa foi dedicado a reflexões sobre o tema através de exposições, palestras e performances artísticas.

Em manifestação de apoio ao combate à violência contra a mulher, jovens da Igreja Adventista também participam. Com rostos pintados de preto e branco, eles lembraram ao público que o abuso não escolhe cor, raça ou classe social. Abaixo de seus olhos, o desenho de uma lágrima de sangue simbolizava o sofrimento de milhões de mulheres que são agredidas em seus lares. A ação fez parte do Quebrando o Silêncio (QS), campanha de combate ao abuso e a violência doméstica.

Na ocasião, a secretária de Políticas para as Mulheres, Célia Valadão, convidou o grupo para subir no palco e falar um pouco sobre a ação. Na ocasião, a diretora do QS no estado, a psicóloga Gilma Moreira, explicou que a campanha visa quebrar esse ciclo de dor, dando voz às vítimas. O líder de jovens adventistas, pastor Eronildo Silva, que também estava presente, ressaltou a importância do amor nas famílias e fez uma prece com o público. O grupo distribuiu ainda revistas informativas.

Por mais igualdade e o fim da violência

A SMPM é um órgão da Prefeitura de Goiânia responsável em propor, elaborar e coordenar ações, programas e projetos de políticas públicas, a fim de contribuir para a diminuição de todas as formas de discriminação e preconceitos praticados contra as mulheres. O objetivo é reduzir a desigualdade de gênero; promover a saúde plena e a garantia de direitos à participação política, ao trabalho, à renda, à cultura, ao lazer e aos demais direitos.

“NÃO QUERO MORRER”

Em maio, o Quebrando o Silêncio entrou para o calendário oficial de eventos da capital goiana. De acordo com a lei sancionada pelo prefeito Iris Rezende, a data passou a ser celebrada anualmente no quarto sábado de agosto – ocasião em que a Igreja Adventista dá ênfase na luta contra a violência doméstica.

Neste ano, a ênfase é o suicídio. A chamada da matéria de capa da revista QS é “Não Quero Morrer – quem pensa em suicídio precisa de ajudar para enxergar uma solução”.  O objetivo é alertar a polução sobre a situação, além de oferecer ajuda a quem passa por isso. Para saber mais, clique aqui.

[Equipe ASN, Rafael Acosta; imagens: Jessie Aias]

Confira as fotos do encontro:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox