Notícias Adventistas

“Festa na Arca” concentra mais de 1.500 pessoas no interior paulista

Aventuri reproduziu a história da arca de Noé de forma lúdica e criativa, com a participação de 81 Clubes de Aventureiros.

Por Vanessa Moraes 17 de outubro de 2019

Chuva de balões representou o arco-íris, aliança feita entre Deus e o homem após o dilúvio (Foto: Gabriela Victorio)

Bichos à solta, show de bolhas, anjo que desce de rapel, drone para simbolizar uma pomba, chuva de balões e festa das cores à base de tinta em pó. Essas foram apenas algumas das atrações que tornaram o 17º Aventuri da Associação Paulista Leste um marco inesquecível na vida de 81 Clubes de Aventureiros que atuam nas regiões leste e norte de São Paulo. Entre os dias 11 e 13 de outubro, cerca de mil crianças e 500 adultos se reuniram em Sumaré, interior paulista, para viver uma “Festa na Arca”.

Programação

Na sexta-feira à tarde os clubes chegaram ao local e se acomodaram nas instalações, preparando-se para a abertura do evento, à noite. Na ocasião, o capelão do Clube Aventuri, instituído apenas para o evento, foi investido e iniciou uma aventura pela história bíblica de Noé, quando Deus deu a ordem para a construção da arca. Cada palavra foi encenada de forma lúdica.

Na manhã de sábado as crianças chegaram ao auditório e se depararam com uma grande surpresa: a arca de Noé, que durante o programa acolheu dezenas de animais. Cada clube providenciou uma fantasia de bicho, usada por um membro da liderança durante a encenação.

Após o almoço, os aventureiros participaram do Carrossel de Atividades, que trouxe desafios físicos e mentais para os pequenos. Cada clube participou de pelo menos oito atividades.

“O que é que tem na arca de Noé”, da gravadora Novo Tempo, foi a música tema do evento. Os momentos de louvor foram dirigidos pela personagem Fanikita, que entusiasmou os pequenos com músicas infantis bem animadas.

Bichos retornam à arca após “fuga” (Foto: Gabriela Victorio)

Caça aos bichos

Um dos momentos mais esperados pelas crianças aconteceu no sábado à noite. Numa encenação divertida, os animais fugiram da arca e se espalharam pelas dependências externas do auditório. A missão das crianças, juntamente com o clube, era encontrar pelo menos dez animais e tirar uma foto com eles. Tudo aconteceu num ambiente iluminado apenas por lanternas. “A caça aos bichos foi o mais legal do Aventuri”, afirmou Higor Alves, membro do Clube de Aventureiros Falcãozinho Imperial. Ele acabou de completar 9 anos e viveu seu último Aventuri. “De tudo o que vi, aprendi que devemos acreditar mais em Deus e fazer as vontades dEle”, expõe.

Anjo desce de rapel para proteger porta da arca (Foto: Gabriela Victorio)

Porta da arca é fechada

Finalizada a caça aos bichos, foi hora de voltar para o auditório e acompanhar um show de bolhas que deixou as crianças impressionadas. Além do show de bolhas, a história de Noé continuou. Após os animais voltarem para a arca, Noé e sua família entraram no grande barco e um anjo desceu de rapel para ficar de guarda na porta. Centenas de balões azuis encenaram as águas do dilúvio.

Todos os momentos de descontração foram acompanhados por mensagens espirituais. Antes do programa de sábado à noite terminar, cada líder de clube abraçou seus aventureiros, e junto com o capelão do Clube Aventuri, pastor Fábio Carnieto, fizeram uma oração de entrega a Deus.

Drone fez papel de pomba durante o evento (Foto: Gabriela Victorio)

Noé levanta um altar para adorar a Deus (Foto: Gabriela Victorio)

Fim do dilúvio

A história de Noé terminou no domingo, quando as águas do dilúvio começaram a baixar. No relato bíblico, Noé soltou uma pomba para verificar se águas haviam baixado. Para encenar esse trecho, um drone foi usado para representar a pomba. Noé, interpretado pelo pastor Nelson Milanelli, líder de Aventureiros da Associação Paulista Leste, “soltou” um drone, que após passear pelo auditório, voltou com folhas de oliveira. “A criançada foi à loucura quando viu o drone”, disse Milanelli, posteriormente.

Na história bíblica, depois que os animais e a família de Noé saíram da arca, ele construiu um altar para adorar a Deus. No Aventuri, o altar estava pronto, o cordeiro de pelúcia também, mas em vez de haver sacrifício animal, as crianças aprenderam que o sangue de Jesus na cruz já pagou o preço de nossos pecados, não sendo mais necessário haver sacrifícios assim.

Festa com as cores do arco-íris também simbolizaram a aliança entre Deus e o homem no pós-dilúvio (Foto: Gabriela Victorio)

Arco-íris em pó

Gênesis 9:13 diz que Deus pôs um arco-íris no céu como aliança entre Ele e o homem, como sinal de que jamais destruirá a Terra novamente com água. Esse momento foi representado com uma chuva de quatro mil balões coloridos, dispensados do teto do auditório sobre as crianças.

Finalizada a história, os clubes receberam um troféu e fizeram um pacto de lenço, a fim de reafirmar seu compromisso com Deus, com os pais e com os aventureiros.

Mas a festa ainda não havia acabado. Fora do auditório, crianças e adultos receberam saquinhos de tinta atóxica em pós e realizaram uma verdadeira festa com as cores do arco-íris. Com as roupas sujas de tinta, mas corações limpos e animados, foi hora de curtir os brinquedos infláveis, participar de brincadeiras aquáticas e passear de trenzinho.

Depois de algumas horas de brincadeira, os clubes se organizaram para retornar para casa.

Arca atual

Segundo o pastor Nelson Milanelli, a principal mensagem que o Aventuri quis deixar gravada nos participantes é que o Clube de Aventureiros é uma arca atual. Embora cheio de desafios e adversidades, é o local mais seguro para meninos e meninas se desenvolverem nos aspectos físico, mental e espiritual. “Sozinha, a arca de Noé jamais teria resistido ao dilúvio, isso só foi possível porque Deus a protegeu. Com nossos clubes acontece o mesmo. Estamos protegidos por Deus, podemos contar com Ele em tudo o que fazemos, por isso, precisamos estar cada vez mais unidos para conduzir nossos pequenos aos Céus”, comemora.

Líderes reafirmaram compromisso com o Ministério dos Aventureiros  (Foto: Gabriela Victorio)

“Evento inesquecível”

Foi o primeiro Aventuri de Edilza Silva, líder do Clube de Aventureiros Alca Júnior. “O evento foi inesquecível. Foi a melhor experiência, com sensações tão marcantes quanto o dia do meu batismo”, garante. Edilza é diretora do clube há apenas dois meses e levou 23 pessoas ao Aventuri (14 crianças e 9 adultos).

Quem compartilha do sentimento de Edilza é Regiane Ramalho, diretora do Clube Shalom Kids. Ela levou 12 crianças e 8 adultos ao Aventuri e conta que a melhor parte do evento foi a representação da história de Noé. “Isso trouxe muito enriquecimento espiritual às nossas crianças, principalmente àquelas que não frequentam nossa igreja, apenas o clube. Elas aprenderam sobre o cuidado de Deus por nós, que Ele se preocupa com cada detalhe e que o Clube de Aventureiros é como a Arca de Noé, um lugar seguro que eles podem confiar”, assegura.

Cada clube recebeu um troféu do Aventuri (Foto: Gabriela Victorio)

“Experiência extraordinária”

Com 20 aventureiros e 11 adultos, o líder do Clube Falcão Real Kids, Alex Barbosa, participou de seu terceiro Aventuri. Ele relata que um de seus aventureiros participou do evento pela segunda vez, mas nesta edição teve dificuldades em ficar longe dos pais. A fim de acalmar o filho, os pais visitaram o evento no sábado à noite. “Mesmo com a saudade dos pais, a criança preferiu permanecer no Aventuri, por se sentir acolhida pelo clube”, conta Barbosa. “O tema foi escolhido de maneira especial. Conseguiu envolver as crianças. O que me chamou muito a atenção foi que todas as atividades eram voltadas para o tema ‘Festa na Arca’, desde as brincadeiras maiores até a parte espiritual e as pequenas atividades. Unir uma situação de brincadeiras e euforia da meninada com a questão espiritual foi outra coisa que me chamou bastante a atenção. Todos saíram felizes e animados e a mensagem espiritual foi transmitida de forma muito eficiente. Parabenizo a todos pela dedicação na organização e a Deus por inspirar essas pessoas”, destaca o líder.

Adelane Luz, diretora há quatro anos do Clube Águia de Haia Kids, é grata a Deus pela oportunidade de ter levado 18 crianças e 6 adultos ao Aventuri. “O evento foi maravilhoso e único. Agradeço a Deus pela a oportunidade de participarmos. Ver a felicidade das crianças foi uma experiência extraordinária. Todos irem e nada de mal ter acontecido conosco é motivo de só agradecer ao nosso Deus”, celebra.

Com 16 crianças e 7 adultos, o Clube Grãos de Pólen contou com a ajuda financeira dos pais dos aventureiros e da igreja para ir ao Aventuri. De acordo com a diretora do clube, Nilma Estelato, tanto esforço valeu a pena. “A mensagem que nossas crianças levaram para casa é que nosso Deus sempre cuida de nós, em todos os momentos da nossa vida, não importa a situação que vivamos, podemos procurá-Lo e sempre O encontraremos. Ele pensa em todos os detalhes”, compartilha.

A história sobre a arca de Noé está registrada no livro de Gênesis, capítulos 6 a 9.

Veja o acervo de fotos do Aventuri. Clique aqui.

Confira mais imagens do evento:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox