Notícias Adventistas

Eventos

Campori reúne 5 mil adolescentes e incentiva arrecadação de brinquedos e a conscientização sobre a inclusão social de autistas

O evento foi realizado entre os dias 15 e 19 de junho


  • Compartilhar:

Muita alegria, diversão, competição e companheirismo marcaram a 9ª edição do campori da
Associação Planalto Central (APlaC). Com o tema “Imunes como Jó”, o evento que não era
realizado há dois anos, reuniu mais de cinco mil desbravadores de Brasília e Entorno.


O evento foi realizado no CATRE (Centro Adventista de Treinamento e Recreação de Brasília),
em Samambaia Sul e reuniu 114 clubes. Durante todo o período,
o local se transformou em uma verdadeira cidade para abrigar todos os participantes.


Nesta edição, a temática teve como objetivo principal, trazer ao conhecimento dos
desbravadores, os principais aspectos do Grande conflito entre o Bem e o Mal, e as estratégias
de Deus para nos livrar dos enganos dos últimos dias como explica o pastor Ivay Araújo,
coordenador dos desbravadores para região. “Para contextualizar, trouxemos uma visão mais
próxima da nossa realidade. Trabalhamos com personagens atuais, os quais levantaram a
problemática nas suas histórias encenadas no palco, por isso, usamos o contexto da pandemia
e os acontecimentos atuais para que essa contextualização fosse possível e coerente aos
participantes”, explica.


“Eu tive uma experiência surpreendente neste campori, pois foi muito mais do que eu
imaginava. Todas as provas, atividades e mensagens espirituais me marcaram bastante. Vou
guardar com carinho estes momentos que tivemos juntos durante estes dias”, declara Rodrigo,
desbravador do Clube Planalto.


“Foi muito bom este campori, pois tivemos a oportunidade de rever amigos, pois devido à
pandemia, fazia muito tempo que não nos encontrávamos pessoalmente”, pontua Tamires
Luiza, desbravadora do Clube Centauros.

Leia também:

Programações especiais marcam Dia Mundial da criança Adventista

Congregação inteira se torna Adventista do Sétimo Dia

Além da diversão, a solidariedade também marcou presença. Neste ano, uma das
ações sociais que os desbravadores realizaram, foi a distribuição de brinquedos e cartas motivacionais. Os itens foram doados em uma comunidade próxima ao local do evento. Para cada três desbravadores que fosse ao campori, o clube teve que trazer um brinquedo e uma carta de motivação, os mesmos foram doados em uma comunidade próxima ao local do evento.

Outro destaque desta edição que merece ser mencionado, diz respeito a inclusão de
desbravadores com o espectro autista. A organização do evento incentivou os clubes
de desbravadores incluirem elas na rotina do clube. “Em nossa igreja, estimulamos a participação das crianças com o espectro autista no clube, e é claro, incentivamos as outras crianças a enturmarem com elas.
Todo o clube está empenhado em fazer o melhor para que elas se sintam inclusas.
Consequência deste ato de amor, três das quatro crianças que participam do clube,
estiveram no campori com a gente”, ressalta Bruno Diniz, diretor do Clube Cruzeiro do Sul.

“Eu fiquei muito feliz em saber que o nosso clube se empenhou em trazê-los. A
diretoria teve todo o cuidado de incluir as crianças e adolescentes com o espectro nas
atividades corriqueiras do clube. Isso é muito bom para mim, pois me sinto útil e me
faz bem incluí-los nas atividades, pois, quando eles se sentem felizes, eu também me
sinto feliz”, afirma Emilly Toledo, desbravadora do Clube Cruzeiro do Sul.

O que é um Campori?
Uma das atividades preferidas dos desbravadores é acampar com o seu clube. É uma
oportunidade para se aventurarem na natureza, estarem entre amigos e colocarem em
prática muitas das lições que aprendem nas reuniões semanais. Os camporis são
grandes acampamentos que reúnem vários clubes de uma determinada região. Além
da programação de palco em todas as manhãs e noites, os participantes dos camporis
passam o dia em atividades que somam pontos para os seus clubes, como numa
gincana.

O que é o clube de Desbravadores?
O Clube de Desbravadores é um programa da Igreja Adventista do Sétimo Dia destinado a
crianças e adolescentes com idade entre 10 e 15 anos de diferentes classes sociais, cor,
religião. Reúnem-se, em geral, uma vez por semana para aprender a desenvolver talentos,
habilidades, percepções e o gosto pela natureza.