Notícias Adventistas

Campori na Serra Gaúcha reforça testemunho como pilar da vida cristã

Ao todo, 1.200 jovens se acamparam por quatro dias em Bento Gonçalves e participaram de ações sociais

Por Douglas Pessoa 23 de setembro de 2019

Cerimônia investiu novos líderes durante Campori Foto: Bruno Simeoni

O ar gelado que soprava nos ouvidos de quem circulava pela cidade de Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, em pleno feriado da Revolução Farroupilha, não foi suficiente para esfriar a disposição de Raiele Leite em ajudar o próximo. O sorriso no rosto era evidente por quem passava por ela e pelos outros voluntários que se dispuseram a revitalizar gratuitamente o espaço externo de uma escola pública do município. “Nós sabemos que é muito importante ajudar o próximo, né? A gente se sente útil quando ajuda as pessoas”, afirma a moça com brotos de roseira nas mãos, que foram plantados logo após a entrevista.

A atividade que arranca tanto entusiasmo de Raiele também foi executada por 1.200 jovens adventistas. Eles se dividiram em quatro grandes equipes que fizeram um revezamento entre limpeza de áreas públicas, coleta de lixo, visita a asilos, pintura de meio-fios e calçadas, além de entrega de panfletos alertando sobre o perigo de aliar consumo de álcool e trânsito. A ação aconteceu da tarde de sexta-feira (20) e foi parte das atividades do Campori de Jovens que aconteceu entre os dias 19 e 22 de setembro no Parque de Exposições do município. O acampamento foi caracterizado por momentos de reflexão espiritual, descontração e demonstrações de amor ao próximo pelos participantes.

Marcada por grandes celebrações da cultura e enologia ítalo-brasileira, o Fundaparque se tornou o centro adventista do Rio Grande do Sul por quatro dias. Neste local o “Legado”, nome oficial do Campori de Jovens, mostrou para os participantes a importância de olhar para a história da mensagem cristã e conhecer o fato de que o trabalho feito pelos adventistas hoje é fruto do legado deixado pelos pioneiros. “A gente acredita que o nome do Campori carrega um conceito de origem, identidade e propósito do jovem adventista. Essa mesma juventude também precisa compreender melhor quem nós somos. A nossa intenção neste Campori foi justamente reforçar essas características”, explica o pastor Tiago Fraga, líder dos jovens adventistas no centro do RS e organizador do evento.

Grupo musical Vocal Livre se apresentou para o público Foto: Bruno Simeoni

Esse ideal não foi apresentado apenas no Campori, mas vem sendo reforçado desde o início do ano no Ministério Jovem. O resultado disso foi a presença de batismos e decisões durante os quatro dias de acampamento. Ao final das mensagens espirituais, dezenas de pessoas se emocionavam com a apresentação de histórias de decisões tomadas por jovens que optaram por fazer parte oficialmente da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD). O Campori Legado também contou com a presença de pessoas que um dia fizeram parte da igreja e que hoje pensam seriamente em voltar.

É o caso de Patrick Gomes. O jovem vive em Porto Alegre e foi batizado em 2012, quando tinha 16 anos. No entanto, ele permaneceu frequentado a igreja apenas até completar 20 anos. Há três anos sem estar na igreja, ele tem sentido um forte interesse em voltar e viver como adventista do sétimo dia. “A igreja é um lugar onde sinto carinho e amor das pessoas. Estar aqui no Campori foi um grande passo no meu processo de retorno. Eu senti muita falta do pessoal da igreja e de Jesus”, confessa. Ele conta também que estar no Campori não foi uma decisão fácil. “Até a última hora eu estava sem vontade de arrumar minha mala e vir. Mas desde quando cheguei aqui não me arrependi nem um pouco de ter vindo”, conta.

Além das decisões públicas de entrega espiritual, o Campori foi marcado por momentos musicais, com o grupo Vocal Livre e o Coral Jovem do Sarandi, de Porto Alegre. A banda formada por alunos e servidores do Instituto Adventista Paranaense (IAP), juntamente com instrumentistas de Cachoeirinha, na Grande Porto Alegre, garantiram a trilha sonora do evento. Os participantes também assistiram a apresentações musicais do cantor catarinense Márcio Gomes, de Jeferson Pillar e Pedro Valença. Líderes da IASD no centro do RS estiveram presentes em todo o evento, além de autoridades municipais de Bento Gonçalves.

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox