Notícias Adventistas

Eventos

Campal de Morobá está de volta após dois anos suspensa

Encenações, musicais e homenagens marcaram o primeiro dia de evento


  • Compartilhar:
Primeira noite da Campal de Morobá 2022 com a participação do pastor Gilson Brito (Foto: Filipe Adrian)

A tradicional Campal de Morobá chegou a 53° edição após dois anos suspensa por conta da pandemia de Covid-19. Para reviver os velhos tempos, adventistas vieram do Espírito Santo e de outras partes do país para prestigiar o evento que contou com muita música, encenação e homenagens logo no primeiro dia. A Campal começou nesta sexta-feira, 2 de setembro, no auditório de celebração no Córrego de Morobá.

Leia também:

Sob o tema ‘Com Ele no Barco’, os alunos do Colégio Adventista do Espírito Santo (Caes) encenaram um recorte da vida de Jesus no contexto em que os discípulos enfrentaram um tempestade. Com recursos de áudio e vídeo, a peça dos alunos abriu o programa e convidou o público a meditar nesta história bíblica com aplicações contemporâneas.

Alem da encenação, outro momento emblemático neste primeiro dia foi a homenagem fúnebre ao pastor William Borges e sua esposa Adriana Borges. O casal faleceu há 20 dias em um acidente de carro no Sul da Bahia. A administração do campo, na fala do pastor Eber Nunes, presidente no centro-norte capixaba, convidou a plateia a dedicar um minuto de oração pela família enlutada.

Campal de Morobá atrai capixabas da região e participantes da Bahia, Minas Gerais e outras partes do país (Foto: Filipe Adrian)

“É o respeito por alguém que deu a vida pelo ministério. Falar do pastor William era fechar um ciclo", pondera.

Musical raiz

Para o retorno de uma campal tradicional, nada mais convencional do que o quarteto Arautos do Rei e o maestro Jader Santos para dialogar com um público conhecido pela paixão a quartetos. O pastor Gilson Brito completou o pacote de convidados nesta que é a primeira Campal pós pandemia.

"É uma região tradicional, é um povo que gosta de quartetos, eu também gosto de quarteto", explica Nunes.

Segundo ele, o momento é de celebração por um passado que Nunes avalia como "duro" e "de muitas lutas", mas que precisa servir como combustível para a esperança na volta de Jesus.

"É hora de continuar vivendo a esperança", conclui.

Arautos do Rei são a atração principal no retorno da Campal na pós pandemia (Foto: Filipe Adrian)

Além de manter as raízes do evento, o programa se propôs a se repaginar sem perder as origens. Por isso, a grande sacada esteve na locação de um telão de LED de dimensões que beiram a 50 metros², um roteiro bem amarrado que não permitiu gargalos entre os participantes no palco e uma produção que desenvolveu toda uma identidade visual pela primeira vez na história do evento.

A Bruna Santana, frequentadora assídua da Campal e moradora de São Gabriel da Palha aprovou a proposta e diz que as expectativas estão altas em relação ao evento.

“Que todas saiam abençoados daqui”, completa.

Dois anos sem Campal

Em 2020, a pandemia da Covid-19 inviabilizou a realização de um nova edição da campal. Na época, o pastor Venefrides, líder de Jovens para o Sudeste do país (Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais) bem como o Quarteto Cânticos Vocal já estavam confirmados para a atração naquele ano. Em 2021, uma nova onda da pandemia tornou insustentável a realização da campal naquele ano. Em 2022, com a vacinação avançada no país que permitiu o controle da pandemia, a Igreja decidiu pela realização da 53° edição da Campal de Morobá.

Assista também: