Notícias Adventistas

Evento reforça importância da esposa para o ministério bem sucedido

Com o tema “Ministério com paixão”, o programa teve como convidada a pedagoga e capelã do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), Mara Núbia, que entre outros temas, abordou a importância do bem estar emocional para a vida de uma família que aceita o ministério como estilo de vida.

26 de abril de 2016

Campo Grande, MS…[ASN] “Por trás de todo grande homem existe uma grande mulher”. A clássica frase parece fazer todo o sentido para as 47 esposas de pastores que compõem o quadro ministerial no Mato Grosso do Sul, reunidas para um período de reflexão, aprendizado e busca por crescimento espiritual no último final de semana.

No total, 47 esposas de pastores de todo o Estado estiveram reunidas para um período de reflexão e aprendizado.

No total, 47 esposas de pastores de todo o Estado estiveram reunidas para um período de reflexão e aprendizado.

O Congresso da Área Feminina da Associação Ministerial (AFAM) aconteceu no Hotel Âncora, em Campo Grande, com início na última quinta-feira (21) e seguiu durante todo o final de semana. “Foram dias de grande aprendizado, onde a paixão por Cristo e sua ideologia foram ressaltadas, além de temas como escolhas e hábitos de vida, que nitidamente foram de encontro ao que elas precisavam ouvir”, conta Dulce Marinho, líder de esposas de pastores do Mato Grosso do Sul.

Com o tema “Ministério com paixão”, o programa teve como convidada a pedagoga e capelã do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), Mara Núbia, que entre outros temas, abordou a importância do bem estar emocional para a vida de uma família que aceita o ministério como estilo de vida. “Eu estava buscando algo que pudesse ser trabalhado com elas, visto que têm papel fundamental dentro de seus lares e com um agravante que é auxiliar na liderança dos seus maridos. E encontrei no tema “paixão” o significado ideal para despertá-las para o trabalho missionário que faz parte da realidade de cada uma delas”, explica Dulce.

Como é o trabalho de uma esposa de pastor?

Durante a programação foi destacada a importância do bem estar emocional da esposa, para que o trabalho ministerial do pastor se desenvolva da maneira correta.

Durante a programação foi destacada a importância do bem estar emocional da esposa, para que o trabalho ministerial do pastor se desenvolva da maneira correta.

Quando um pastor assume uma igreja – ou departamento, dependendo da função que ele exerce dentro do trabalho ministerial – as esposas tornam-se auxiliares em sua jornada de liderança. Muitas, inclusive, assumem as frentes de algumas áreas dentro da igreja e da comunidade em que estão inseridas, como ministério da mulher/da criança/do adolescente, entre outros. “Para que o ministério vá bem é necessário que, antes de tudo, a vida familiar vá bem. E as esposas são os pilares desses relacionamentos, daí a importância de dar a elas a atenção necessária. E realizar um evento com esse foco, evidencia a real necessidade de esposas de pastores que se posicionam também como líderes ao lado de seus maridos, abraçando a missão deles”, enfatiza Dulce.

Comportamento

Durante a programação as participantes puderam refletir sobre a importância do trabalho e do nome que carregam. “Elas entenderam que antes de serem esposas de pastores, são filhas de Deus. E, por conta dessa realidade, compreenderam que no dia em que aceitaram o ministério, doaram seus nomes à igreja. Portanto, é fundamental que a gente zele pela imagem que carregamos, pois o nosso nome não nos pertence mais. Somos representantes de algo maior que nós mesmas”, reforça Marli Peyerl, líder das esposas de pastores adventistas para todo o Brasil e oito países da América do Sul.

A líder de esposas de pastores do Mato Grosso do Sul, Dulce Marinho, reforça o tema 'Ministério com paixão', durante palestra.

A líder de esposas de pastores do Mato Grosso do Sul, Dulce Marinho, reforça o tema ‘Ministério com paixão’, durante palestra.

De tudo, o que fica após um período de convivência e aprendizado é a gratidão pela disposição de cada participante. “Pude ver claramente que elas entenderam o objetivo do evento. Elas saíram desse final de semana fortalecidas e tudo o que foi proporcionado para elas nesses quatro dias, ressaltou o que cada uma deve priorizar em sua caminhada pastoral”, finaliza Dulce. [Equipe ASN, Rebeca Silvestrin]

Fotos: Deivison Pedrê

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox