Notícias Adventistas

Evangelismo

Todo adventista, um evangelista

Conceito de evangelismo além de campanhas tradicionais é defendido por pastor Rafael Rossi, líder sul-americano da área na Igreja Adventista.


  • Compartilhar:
Pastor Rafael Rossi assumiu a área de Evangelismo da Igreja Adventista do Sétimo Dia em 2021. (Foto: Shutterstock)

A formação e estruturação da Igreja Adventista do Sétimo Dia sempre esteve associada ao evangelismo público. A Enciclopédia Ellen White declara que “a visão de Ellen White sobre o evangelismo era holística. O evangelismo não deve somente alcançar as pessoas; também incluía realizar o discipulado de forma plena, preparando-as para a vinda de Jesus”.[1]

Hoje, os desafios se tornaram ainda maiores para o evangelismo público. Conversamos sobre o tema com o pastor Rafael Rossi, evangelista da sede sul-americana da Igreja Adventista desde novembro de 2021. Nascido em São Paulo, Rossi é formado em Teologia pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (UNASP), pós-graduado em aconselhamento e mestre em teologia pastoral. Atualmente faz doutorado em Ministério na Universidade Andrews. Ele é, também, o novo apresentador dos programas Arena do Futuro e Descifrando el Futuro, ambos veiculados pelas TV Novo Tempo e Nuevo Tiempo respectivamente.

Rossi foi evangelista da Associação Paulista do Vale e da União Central Brasileira, sede administrativa da denominação para todo o Estado de São Paulo. Em 2012, foi chamado para a sede sul-americana adventista, onde atuou como secretário ministerial associado, diretor de Comunicação, Assuntos Públicos e Liberdade Religiosa e assistente da Presidência. É casado com a professora Ellen de Souza Rossi e tem duas filhas: Giovana e Mariana.

Novos desafios

Quais os novos desafios em termos de métodos, materiais e abordagens que há para o evangelismo público que tradicionalmente a Igreja Adventista do Sétimo Dia realiza? 

Vivemos tempos de profundas mudanças, especialmente por conta da pandemia e a revolução tecnológica a que fomos expostos. Fazer evangelismo significa adaptação constante ao tempo e lugar. A essência da mensagem pregada não muda, mas a forma como pregamos o evangelho dever ser conectada à situação. Há princípios fundamentais para a missão. A busca em crescer com qualidade (discipulado) e em quantidade (o mundo todo). Mais do que igrejas cheias, sonhamos com um céu cheio, por isso a forma como vamos pregar ajudará as pessoas a terem uma experiência profunda com Deus.

Envolvimento pessoal

Você tem falado sobre a ideia de cada adventista ser um evangelista. O que significa exatamente esse conceito? 

Essa é a meta principal das escolas de evangelismo. Queremos ajudar cada adventista a ser um evangelista. E a abordagem não é limitadora a um tipo específico de dom. Ser evangelista é estar constantemente em missão, usando os dons e talentos pessoais para o serviço. Uma crença não compartilhada enfraquece e, em alguns casos, é até esquecida. Paulo, em Romanos 10:9, diz que aqueles que abrem a sua boca para confessar Jesus como Senhor serão salvos. A aplicação mais comum feita de evangelismo é pregar para salvar outros, mas Paulo diz que quem prega se salva. Manter-se evangelizando é a melhor forma de permanecer em Cristo. Enquanto preparo outros para o Céu, estou me preparando.

Preparo para o batismo

Uma avaliação crítica ao evangelismo público tem questionado a falta de preparo de algumas pessoas batizadas. Como a área de Evangelismo Público da sede sul-americana adventista tem enxergado esse tipo de questionamento?

Eu tenho uma grande preocupação com o preparo dos candidatos ao batismo. Por isso, enfatizo que o evangelismo não é um evento, mas um processo. Toda campanha tem pelo menos três etapas: preparação, proclamação e a preservação. Para a preparação, um dos principais materiais que está sendo apresentado nas escolas de evangelismo é o passo a passo intitulado “12 semanas para impactar sua igreja”. Tem uma sequência de atividades para serem desenvolvidas pelas igrejas. A proclamação envolve a pregação fortemente fundamentada na Bíblia. Para a preservação, campanhas de evangelismo devem estar conectadas ao Ministério Pessoal e aos pequenos grupos para o acolhimento e o envolvimento missionário dos recém-conversos.

Tecnologia digital

E quanto ao evangelismo com uso da tecnologia digital, como fortalecer a pregação do evangelho em redes sociais, plataformas virtuais e sistemas como o Metaverso?

O futuro da igreja será 100% digital e 100% presencial. Ou seja, caminhamos para uma integração entre on-line e o off-line. A Igreja Adventista é historicamente conhecida por seu pioneirismo no uso de tecnologias para a pregação do evangelho. Entendemos a urgência da nossa pregação. Onde é possível contatar pessoas e apresentar a mensagem da salvação, a Igreja marca presença. Gosto de pensar que a internet não é uma rede de máquinas, mas uma rede de pessoas que usam máquinas para se conectarem. Necessitamos de pessoalidade e humanidade no uso do digital para nos conectarmos às pessoas. Temos um enorme potencial de missão e não podemos desperdiçar as oportunidades.


Referências:

[1] Enciclopédia de Ellen White. Verbete Evangelismo. Página 903.

Você também pode receber esse e outros conteúdos diretamente no seu dispositivo. Assine nosso canal no Telegram ou cadastre seu número via WhatsApp.

Quer conhecer mais sobre a Bíblia ou estudá-la com alguém? Clique aqui e comece agora mesmo.