Notícias Adventistas

Mutirão de estudo bíblico mobiliza adventistas na Bahia e em Sergipe

Por Heron Santana 28 de fevereiro de 2020

Campanha de estudos bíblicos quer motivar transformação espiritual das pessoas, como está acontecendo com o empresário baiano Nilton Azevedo.

Dia D é uma expressão do vocabulário militar. Foi criada em campo de batalha, pelo Exército dos Estados Unidos, na Primeira Guerra Mundial, segundo a historiadora americana Joy Hakim. O termo definiu o dia em que uma operação de combate deveria ser iniciado. Foi o que aconteceu com a operação Netuno, em 1944, durante a Segunda Grande Guerra, quando tropas desembarcaram na Normandia na maior invasão por mar da história, em uma estratégia que deu início à libertação dos territórios ocupados a noroeste da Europa pelos nazistas.

Da esfera militar, o termo Dia D ocupou um sentido quase universal que define o início de operação de uma estratégia, quando um grande impacto é esperado. A Igreja Adventista do Sétimo Dia na Bahia e em Sergipe escolheu o termo para uma mobilização de professores voluntários da Palavra de Deus. É o que se espera que aconteça a partir de sábado, 29 de fevereiro, quando ocorre o Dia D do Estudo Bíblico.

A expectativa é de que as pessoas participem de seminários de treinamento e motivação sobre como dar estudos bíblicos para outras pessoas, e a partir da tarde os voluntários visitem amigos, familiares e conhecidos para ensinar a Bíblia. Como referência, os líderes da campanha sugerem que sejam visitadas as pessoas que foram escolhidas como motivo de oração durante a campanha dos 10 Dias de Oração que aconteceu no início do mês.

Para os líderes, o estudo da Bíblia é um marco da transformação espiritual do ser humano. É o caso do empresário Nilton Azevedo Amorim, de Feira de Santana, a 120 km de Salvador, BA. Ele começou a estudar a Bíblia com o pastor James Luciano. Antes de estudar Teologia, o pastor James foi funcionário de Nilton. Hoje ensina a Bíblia para seu antigo empregador e vê o entusiasmo dele para ser batizado. Nilton afirma: “Comecei com a TV Novo Tempo, e depois James passou a me ensinar sobre a Bíblia. E hoje estou firme na Palavra”.

Assista o depoimento de Nilton:

Já o pensamento do pedreiro Márcio Correia da Silva é o seguinte: um dia alguém ensinou sobre Jesus para ele e sua vida foi transformada. Agora ele quer oferecer esta mesma experiência para outras pessoas, por meio de uma classe de estudo da Bíblia, onde 9 pessoas já foram batizadas. “Eu sinto alegria em poder ensinar a Palavra e ver a vida das pessoas ser transformada”, afirmou.

Veja o depoimento de Márcio:

Na Bahia e em Sergipe, no contexto da campanha Todos Pela Palavra – que incentiva cerca de 210 mil adventistas a estudar, viver e ensinar a Palavra de Deus -, o desafio é levar 87 mil pessoas a estudar a Bíblia. A campanha prevê um envolvimento mínimo de 42 mil adventistas dispostos a ensinar a Palavra.

A arrancada foi dada. O pastor Manoel Chaves, líder para Bahia e Sergipe de Ministério Pessoal, área responsável pelo treinamento missionário dos adventistas, define o momento como “a vida (espiritual, relacional e missional) de baianos e sergipanos erguida sobre a rocha que é Cristo e tendo sua base na Palavra de Deus”. Para o pastor Stanley Arco, presidente adventista para Bahia e Sergipe, chegou o momento de ver a ação de uma igreja fortalecida pela Bíblia. Segundo ele, uma igreja forte é feita de homens e mulheres de todas as idades entendendo a vontade de Deus, vivendo Seu querer e ousando cada dia convidar a outros a preparar-se para a volta de Jesus. “E quanto mais a Palavra de Deus estiver presente na nossa vida, mais teremos esse entendimento e essa submissão à vontade divina”, afirmou.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox