Notícias Adventistas

Músico de arrocha aceita Cristo através da filha de 13 anos

Juraci tinha uma banda e certo dia a Giovanna disse: “precisariam guardar o sábado aqui em casa”

Por Daniel Gonçalves 26 de outubro de 2018

Banda já estava com tudo certo para assinar com importante produtora

Arrocha é um gênero musical originário da Bahia e tem sua influência no axé e forró. Juraci Gomes Pereira, de 35 anos, tinha uma banca deste estilo musical e havia recém produzido o primeiro CD do grupo (formado por familiares seus). Uma produtora já estava de olho no trabalho para fechar contrato e enquanto isso ele trabalhava em uma empresa de logística de propriedade de um casal de adventistas.

Todos os dias, ao ir para o trabalho, ele orava a Deus pedindo proteção e buscando respostas para as perguntas que tinha sobre a vida e a religião. Era católico, mas não frequentava muito os cultos e sua filha Geovanna, 13 anos, estava participando dos Desbravadores da igreja adventista de Flor de Nápolis, em São José. E por fim, seus vizinhos de muro também eram adventistas. “Parecia que Deus estava me cercando com uma mensagem”, lembra Juraci.

Há 4 meses sua filha deu um ultimato: “A partir de agora eu gostaria de guardar o sábado aqui em casa e em breve vou ser batizada na Igreja Adventista”. Ela tinha aprendido no clube sobre o quarto mandamento e chegou clamando para a família. “Eu fiquei assustado. Já pensei o motivo que eles tinham ensinado isso para ela e se tinha algum fundamento”, ressalta o músico. Por isso, a família convidou o obreiro bíblico Wagner Machado para visitar a casa e esclarecer as dúvidas.

Wagner chegou aquele lar com a Bíblia nas mãos e pronto para responder todas as perguntas. Os questionamentos da família foram principalmente sobre o sábado e em todas as respostas a Bíblia foi aberta. “Eu trabalhei por muito tempo como analista e quando vi que tudo estava na Bíblia tive certeza sobre o sábado. Tudo tem lógica. Por isso, permiti a guarda do sábado”, continua Juraci. A esposa, Tatiane, lembrou de um DVD do pastor Luís Gonçalves que tinha em casa com estudos bíblicos, e naquela semana mesmo decidiu assistir. “Estava tudo na Bíblia. Assisti tudo em pouco tempo e fui falar para o Juraci que deveríamos frequentar a Igreja Adventista”, conta Tatiane.

Os vizinhos adventistas, Dilermando e Marisete, começaram a estudar a Bíblia com Juraci, Tatiane, Giovanna e outros parentes da família. “Naquele período eu consegui uma Bíblia e instalei no celular uma versão. Me debrucei na palavra de Deus. Fui estudando muito para saber que era isso que Deus queria para a minha vida”, acrescenta Juraci. Três meses a família participou de um evangelismo liderado pelo pastor Jeferson Fortes, e no final da programação Giovanna e Tatiane foram batizadas. Entretanto, Juraci não aceitou o chamado, apesar de já estar frequentando todos os cultos da igreja adventista local.

“Eu orei a Deus para me ajudar a entender tudo e saciar minhas dúvidas”, comenta. Até que certo dia ele encontrou o texto bíblico de Lucas 12:50: “Importa, porém, que seja batizado com um certo batismo; e como me angustio até que venha a cumprir-se!”.  Logo em seguida uma adventista da igreja o perguntou: “Você quer se batizar neste sábado na celebração dos 165 anos da Escola Sabatina?” Juraci percebeu que era um chamado final de Deus.

Juraci foi batizado no último sábado, 20 de outubro, no encontro distrital para as comemorações dos 165 anos da Escola Sabatina no mundo. Sua família não sabia e isso emocionou esposa e filha. Sua primeira atitude como membro batizado foi: “peguei o microfone e cantei. Não o ritmo arrocha, mas sim a música ‘Nas mãos do Oleiro’. Agora sou moldado por Deus”, diz. Juraci largou a banda e agora pretende se dedicar seu dom musical a Deus.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox