Notícias Adventistas

Evangelismo

Mulheres lideram Evangelismo no Espírito Santo

Movimento ocorreu em todo o estado e vem pra fortalecer papel protagonista da mulher dentro da igreja


  • Compartilhar:
Templo Central de Vitória recebe a líder do Ministério da Mulher para a América do Sul professora Jeanete Souza (Foto: André Azevedo)

Mulheres capixabas lideraram ao longo da última semana projeto evangelístico que ocorreu em todo o Espírito Santo bem como na América do Sul. Entre os dias 28 de maio e 03 de junho, este grupo conduziu uma semana diferente que teve como intuito fortalecer o protagonismo das mulheres dentro da igreja. Outro propósito do programa foi apresentar Jesus como o restaurador da vida na perspectiva física, emocional e espiritual.

Leia mais:

As mulheres compõem em média 52% dos membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia em todo o Espírito Santo. Elas compõem grande parte da membresia e vão além. As mulheres adventistas atuam diretamente na liderança dos mais de 600 templos localizados em todo o estado.

A professora Viviane Zahn, uma das líderes deste ministério no Espírito Santo, explica que a Semana de Evangelismo da Mulher consolida este papel dentro do ceio religioso. O projeto não vem apenas para dizer aos outros que elas devem ocupar os espaços dentro destes templos. O evangelismo do M.M vem para lembrar a elas mesmas de que devem assumir postos que vão além dos bastidores.  

Neste mês, 242 templos no centro-norte capixaba realizam este semana de evangelismo (Foto: André Azevedo)

“Não queremos que as mulheres apenas estejam na organização. Queremos que elas assumam os púlpitos e preguem para falar de Jesus a outras mulheres também”, acentua.

Cuidado físico e emocional

A semana de Evangelismo é apenas um braço do trabalho destas mulheres. Somente este ano, o Ministério da Mulher da Igreja Adventista do Sétimo Dia já mobilizou o grupo em prol da solidariedade durante o mês de março quando se celebra o Dia Internacional da Mulher. O projeto Ação Mulher desafiou as capixabas a desenvolverem atividades sociais em comunidades onde elas estão inseridas.

Em agosto, elas coordenam anualmente um projeto internacional conhecido como Quebrando o Silêncio. A iniciativa combate a todo e qualquer tipo de violência física, emocional e sexual a grupos vulneráveis socialmente como as próprias mulheres, os idosos e crianças.