Notícias Adventistas

Marcelo quase desistiu de viver, mas se decidiu por Cristo

A história do morador de Unaí, interior mineiro, é uma das centenas de pessoas que foram batizadas durante a semana Essências.

Por Felipe Lemos 26 de novembro de 2018

Marcelo e Pastor Erton no momento do batismo em Unaí. 

O sermão do apóstolo Pedro, registrado no capítulo 2 de Atos, ocorreu em um contexto com uma impressionante manifestação do Espírito Santo. Os três mil conversos daquele dia levam à reflexão sobre a importância de decisões espirituais individuais. Há alguns anos, a Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul reserva uma semana, no calendário, geralmente no segundo semestre, para motivar a realização de cultos especiais com ênfase neste tipo de decisões públicas em favor de Cristo. Neste ano, a semana teve como título geral Essências e ocorreu em mais de 30 mil lugares diferentes de oito países. A exposição da Bíblia é feita por pastores, membros leigos e pessoas que sentem o desejo de ministrar.

Um dos que tomou esta decisão, no dia 24, foi Marcelo Aparecido, de 48 anos, que mora em Unaí, Minas Gerais, bem perto da divisa com o Distrito Federal. Em abril do ano passado, Marcelo teve sua perna esquerda amputada por causa de uma doença crônica chamada tromboangeíte obliterante. Foi o começo de um período turbulento. Diversos problemas se sucederam na vida do homem que, então, era casado e sócio de uma clínica de recuperação em dependência química e alcoolismo.

Seu mundo ruiu rapidamente. O relacionamento acabou, a sociedade foi desfeita e um vazio se instalou. “Estava em casa, deprimido, e pensava seriamente em suicídio, pois não suportava mais a dor que estava sentindo”, lembra.

Um livro, um abraço e uma oração

A situação começou a mudar em maio, quando Marcelo recebeu um exemplar do livro O Poder da Esperança durante grande distribuição realizada por funcionários da sede adventista sul-americana em Unaí. Depois de alguns dias sem sair de casa, conseguiu pegar o elevado do prédio e descer. Quando chegou à calçada, deparou-se com o presidente da Igreja na América do Sul, pastor Erton Köhler, que distribuía exemplares com sua família. Depois de pegar uma cópia, receber um abraço e fazer uma oração com o pastor Köhler, Marcelo afirma que seguiu uma nova vida. A partir deste momento, contou com o auxílio de várias pessoas no seu desenvolvimento espiritual, inclusive das que trabalham na sede sul-americana adventista, e se conectou com a igreja local.

Há pouco mais de um mês usando uma prótese, agora enxerga a vida de outra forma. Faz estudos bíblicos regulares e, na semana de decisões, comprometeu-se publicamente com Deus por meio do batismo. O pastor que lidera a equipe de Um Ano em Missão (jovens que fazem missões evangelísticas voluntárias regularmente), Jackson Pires, também é outro amigo que deu apoio na caminhada. “Hoje eu consigo enxergar uma luz no final do túnel. Antes eu não via solução”, afirma, reconhecendo que os problemas ainda são grandes, mas a maneira de enfrentá-los é outra.

Liberto do cativeiro

Jorge Mota demonstra sua alegria ao lado do pastor Luís Gonçalves no dia de seu batismo. (Foto: Acervo pessoal)

A motivação de Jorge Mota, 51 anos, morador de Brazlândia, no Distrito Federal, é contagiante. Ele compareceu à maioria das reuniões durante a semana Essências e foi batizado no dia 18, quando quem pregava por lá era o evangelista que coordenou o projeto, pastor Luís Gonçalves. Mota foi líder religioso de comunidades terapêuticas durante 22 anos e participou de vários projetos sociais em vários Estados.

Mas algo lhe incomodava. Apesar de conhecer o evangelho, ele assistia a vários programas de TV da Igreja Adventista, inclusive a programação da Novo Tempo, e via necessidade de se aprofundar em alguns temas bíblicos. Na semana do programa Essências, foi convidado por um amigo para ir às reuniões, gostou e disse que a decisão por se tornar adventista foi inevitável. Perguntado sobre como se sente hoje, faz uso de uma metáfora: “Sabe quando você está em um cativeiro e sai e fica livre? É assim que eu me sinto”.

Animado com as novas perspectivas, Jorge Mota já prepara grupos de estudo com amigos e tem convidado muita gente para entender mais dos conceitos bíblicos. “As pessoas falam, por exemplo, que os mandamentos foram abolidos, porém, quando conhecemos a verdade, a verdade nos liberta”, afirma.

Para o pastor Gonçalves, a semana Essências é a oportunidade de pessoas que estudam a Bíblia pessoalmente ou por outros meios, firmarem um compromisso com Cristo em grandes mobilizações. “É importante frisar que nossa intenção é criar programas que possam ajudar pessoas que querem se decidir em favor de Cristo. Mas isso só pode acontecer depois que elas compreendem, pela Bíblia, o que este tipo de decisão significa”, resume Gonçalves.

Igreja em Unaí 

O batismo de Marcelo ocorreu no mesmo dia da inauguração de um novo templo em Unaí (cidade com cerca de 83 mil habitantes em Minas Gerais), especificamente no bairro Divinéia. O templo foi construído com apoio das doações de dezenas de servidores da sede administrativa adventista conhecida como Divisão Sul-Americana, e de instituições ligadas a ela, como a Rede Novo Tempo de Comunicação, Casa Publicadora Brasileira (CPB), fábricas de alimentos Granix e Superbom, a editora Asociación Casa Editora Sudamericana, Instituto Adventista de Tecnologia (Iatec) e a Adventist Risk Management (corretora de seguros da Igreja Adventista).

O pastor Edison Choque, organizador deste projeto de plantio de igrejas, explica que foi a décima congregação erguida por meio deste esforço. O núcleo de membros chega a 30 pessoas, mas somente neste ano, conforme Choque, foram batizadas 48 pessoas. O projeto de plantio de novas igrejas adventistas envolve oito países sul-americanos. A expectativa é que 750 novas congregações sejam estabelecidas, no próximo ano, em grandes cidades sul-americanas.

Veja um pouco do que foi a inauguração:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox