Notícias Adventistas

Caravana da Esperança alcança quase 10 mil pessoas no Mato Grosso do Sul

16 de julho de 2018

Campo Grande, MS … [ASN] Recomeço. Uma palavra que pode traduzir uma mudança radical de vida, ao mesmo tempo em que dá novo sentido para muitas histórias. É o caso da aposentada Terezinha Pereira, espectadora assídua da TV Novo Tempo há mais de 15 anos. Em todo esse tempo ela pedia uma direção a Deus para que pudesse viver de acordo com Seus planos para ela. Morando a poucos quilômetros de uma Igreja Adventista – àquela mesma em que os programas aos quais assistia indicavam na TV -, Terezinha nunca chegou a entrar em um templo, mas tinha grande vontade. Até que um dia a história mudou. “Há anos conheço a Novo Tempo e acompanho a  programação e sempre tive o desejo de conhecer uma Igreja Adventista. Há alguns meses eu estava em um posto de saúde próximo à minha casa e observei uma mulher conversando, percebi então que o seu sotaque se assemelhava ao meu e me aproximei dela, puxei assunto e perguntei ‘você é paranaense, certo?’, ela respondeu que sim e então iniciamos uma conversa. No meio da conversa a mulher me disse que era adventista e me convidou para assistir à uma programação em sua igreja. Nesse momento eu disse a ela que já assistia à TV Novo Tempo há 15 anos. Ela e o marido foram me buscar em casa e todos os sábados, desde então, há sete meses, estamos juntos na igreja”, conta.

Mas a história não parou por aí. O recomeço para Terezinha aconteceu no último domingo, 15 de julho, durante a segunda sessão da Caravana da Esperança em Campo Grande, no ginásio do Colégio Adventista Campo-Grandense (CAC), quando finalmente ela batizou-se como sonhava há tanto tempo. “Frequento a igreja e tenho feito os estudos bíblicos com esse casal de amigos que me acompanha há quase um ano. Quando soube da caravana, decidi me batizar durante a programação e pedi por isso. Eu já havia me batizado em outra denominação, mas agora, conhecendo a mensagem de maneira integral e estudando a bíblia todos os dias, sinto que esse pra mim é um recomeço diante de Deus, uma nova vida, minha nova história”, resume.

Assim como a aposentada, outras 150 pessoas foram batizadas durante os oito dias de programação intensa em todo o estado, é o que conta o responsável pelo evento, pastor Binho Oliveira, líder de Evangelismo para a Igreja Adventista em todo o território sul-mato-grossense. “Uma das coisas mais impressionantes foi como a igreja recebeu a gente. Passamos por seis cidades, atendendo um público de 9.500 pessoas, tendo cerca de 700 pessoas decidindo pelo batismo e um total de 150 pessoas que se batizaram durante toda a programação. Então, para mim, como líder, o que mais chama a atenção é que a igreja está vivendo um momento em que o trabalho está em ebulição, ou seja, muitas coisas estão acontecendo e a gente percebe que muitas outras vão acontecer através do que vem sendo plantado. Esse é o momento vivido pelo nosso campo, um momento de transformação e de muito crescimento espiritual”, acredita o líder.

Para o pastor Luís Gonçalves, à frente de toda a programação da Caravana da Esperança, mais que realizar um evento, a Igreja Adventista no Mato Grosso do Sul alcançou seus objetivos para a área evangelística durante esses oito dias, plantando novos desafios que devem dar continuidade à missão. “Inicialmente a caravana tinha três propósitos: o primeiro era reavivar a igreja, o segundo, buscar pessoas que estão afastadas para voltarem ao convívio da igreja e o terceiro, era fazer novos amigos ao apresentar Jesus a essas pessoas. Esses três propósitos foram visivelmente alcançados em cada um desses lugares. A impressão que fica é a de uma igreja que está com o desejo muito forte de se envolver mais na missão e de levar o evangelho para o maior número de pessoas. Algo que me marcou também foi ver o envolvimento de todas as gerações: das crianças, dos jovens, dos adultos e das famílias em cada lugar que nós fomos. Além disso, me impressionou o fato de que em alguns lugares tínhamos 50% de cada público, onde metade era composto por membros adventistas e a outra metade eram pessoas convidadas, que estavam ali pela primeira vez, ouvindo sobre o amor de Jesus. Isso, pra mim, é o resultado de uma igreja unida, integrada em torno de uma mesma missão, do mesmo objetivo”, conclui Gonçalves, evangelista adventista para o Brasil e oito países sul-americanos.

 

Confira abaixo a galeria de imagens:

A Caravana da Esperança viajou o Mato Grosso do Sul por oito dias, passando pelas cidades de Fátima do Sul, Dourados, Ponta Porã, Costa Rica, Corumbá e finalizando em Campo Grande. Foram 150 pessoas batizadas, mais de 700 decisões pelo batismo e um público de 9.500 pessoas, entre eles, um grande número de pessoas não adventistas, que tiveram contato com a mensagem pela primeira vez e agora receberão estudo bíblico em suas casas. [Equipe ASN, Rebeca Silvestrin / Fotos: Cleiton Prado e Leandro Alencar]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox