Notícias Adventistas

Batismos marcam vidas durante pandemia de Covid-19

Desde a suspensão de cultos nos templos, cerca de 50 pessoas foram batizadas nas regiões leste e norte da capital paulista.

Por Vanessa Moraes 24 de abril de 2020
    Liara (ao centro) e sua mãe, Leni, foram batizadas no final da Semana Santa 2020 (Foto: Arquivo Pessoal).

Foi no leito de morte do pai que Liara Gomes decidiu mudar de vida. Há quase um mês, no dia 22 de março, a estudante de enfermagem, de 21 anos de idade, viu o pai lutar pela última vez contra vários tumores espalhados pelo corpo. Apesar da dor da saudade, ela sentiu-se feliz em saber que duas semanas antes do último suspiro dele, o coração que passou a vida inteira endurecido foi finalmente aberto para aceitar Jesus. “Meu pai aceitou a Cristo e falava dEle para todos que o visitavam, inclusive médicos e enfermeiros. Ele não deixou de crer. Ouvíamos louvores e aquilo me deixou cheia de esperanças”, expõe a filha, emocionada.

Liara conhece a Igreja Adventista do Sétimo Dia há seis anos. Durante dois anos participou ativamente das atividades religiosas, mas afastou-se. Relembrando os últimos dias de vida do pai, a jovem conta que “ele clamou a Deus e pediu perdão por todas as coisas da sua jornada nessa vida”. Os últimos momentos em família foram sustentados por orações e louvores.

Decisão na Semana Santa

O episódio trouxe muitas reflexões à vida de Liara e de sua mãe Leni. Sensíveis ao momento de crise e pandemia que o mundo enfrenta atualmente, acompanharam a Semana Santa pela TV Novo Tempo, ministrada pelo pastor Luís Gonçalves. As mensagens bíblicas daquela semana especial tocaram ainda mais profundamente no coração da mãe e da filha. Juntas, elas confirmaram uma decisão que já haviam cogitado naquele 22 de março. “Decidimos nos batizar, entregar nossas vidas a Deus assim como meu pai”, compartilha Liara.

Com poucas pessoas presentes na cerimônia, Liara foi batizada no domingo de Páscoa, 12 de abril (Foto: Arquivo Pessoal).

Mesmo diante do cenário atual, onde máscaras e luvas são itens de proteção e a ausência de abraços é demonstração de amor, Liara e sua mãe manifestaram a vontade de ser batizadas. Não, elas não quiseram esperar a quarentena terminar, não estavam dispostas a aguardar algum momento no futuro para isso. As portas da igreja estavam fechadas, mas seus corações estavam abertos para receber uma nova vida em Cristo. “Diante de toda a situação que meu pai passou, vi que podemos viver a nossa vida toda sem essa decisão, mas quando chegar o dia da morte, o qual não sabemos… Por exemplo, meu pai tinha apenas mais duas semanas. Se esperasse mais, poderia perder a salvação. Percebi que essa decisão era importante”, justifica.

Batismo na Páscoa

Ansiosas pelo dia do batismo, Liara e Leni foram preparadas e receberam todas as medidas de proteção contra a Covid-19. No domingo de Páscoa, 12 de abril, mãe e filha foram batizadas na Igreja Adventista do Sétimo Dia de Franco da Rocha, região norte da capital paulista. Poucas pessoas presenciaram a cerimônia, mas para elas, só uma presença importava: a de Jesus. “Sinto uma paz, como se todas as coisas ruins do meu passado tivessem sido arrancadas de mim, do meu corpo, do meu coração”, narra Liara.

Presente de Deus

“Deus tem me dado muitas bênçãos em tão pouco tempo. Saí de um casamento perturbado, onde sofri durante sete anos. Após alguns meses Deus me concedeu uma pessoa incrível para estar ao meu lado, que me respeita e respeita minhas escolhas e decisões. Do antigo relacionamento tenho um casal de filhos, a Laura Sophie, de 5 anos, e o Levi Gabriel, de 2 anos. Passando-se duas semanas da morte do meu pai, descobri que estou grávida e fui batizada com o bebê ainda se formando eu meu ventre”, revela a jovem.

Assim como Liara e Leni, outras pessoas também tomaram a decisão de entregar a vida a Jesus nas últimas semanas. Independente do momento em que o mundo vive, de incertezas e doença, elas não querem esperar mais tempo para serem batizadas. Essas decisões são frutos de apelos realizados pelos cultos transmitidos pela internet. Com o distanciamento social, as pessoas não podem ir à igreja temporariamente e por isso acompanham lives e cultos on-line neste período.

Após receberem estudos bíblicos, sentem que estão preparadas para concretizar uma das escolhas mais importantes de suas vidas. Seguindo o desejo de cada uma delas, os pastores realizam as cerimônias batismais com todos os cuidados necessários para evitar a disseminação do coronavírus. Os batismos acontecem nos templos, a portas fechadas, com a presença mínima de pessoas. Alguns ocorrem também na Associação Paulista Leste (APL), sede administrativa da Igreja Adventista nas regiões leste e norte da capital paulista.

De acordo com o presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia para este território, pastor Aguinaldo Guimarães, Deus está no controle da história mundial e mesmo que o cenário mude totalmente de um momento para o outro, as pessoas continuam tomando decisões ao lado de Cristo. “Louvamos a Deus por isso e vemos um despertamento espiritual tanto nas pessoas que estão conhecendo a verdade agora quanto naquelas que são batizadas há mais tempo. Devemos continuar vivendo a mensagem que temos para os últimos dias e nos preparar para a volta de Jesus”, destaca o líder.

Desde que os cultos foram suspensos nos templos, até agora, foram realizados cerca de 50 batismos e há aproximadamente 30 pessoas interessadas em tomar a mesma decisão neste território.

Interessados manifestam desejo pelo batismo e preenchem fichas para confirmar decisão (Foto: Arquivo Pessoal).

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox