Notícias Adventistas

Evangelismo

Bahia e Sergipe celebram marco histórico de mais de 50 mil voluntários na Missão Calebe

Como resultado do trabalho evangelístico realizado pelos calebes, mais de 3 mil pessoas encontraram esperança ao lado de Cristo.


  • Compartilhar:
Na imagem, o pastor observa o abraço entre os parentes após a cerimônia batismal.
Momento emocionante no batismo. (Foto : Reprodução)

A cada ano jovens que dedicam suas férias para fazer missão, contam histórias e testemunhos vividos durante o período do evangelismo. Uma missão que tem como objetivo servir, levar esperança e conquistar novas pessoas para o reino de Deus. 

Na Bahia e Sergipe durante os meses de dezembro a janeiro mais de 50 mil voluntários se envolveram na Missão Calebe, valorizando o esforço conjunto de levar esta obra adiante. Um projeto que nasceu aqui no território baiano há mais de 15 anos e se tornou o maior movimento dos últimos tempos, mobilizando milhares de jovens em toda a América do Sul. 

Leia também:

Segundo o pastor Eduardo Batista, líder do Ministério Jovem para baianos e sergipanos, esse é um processo crescente que vem ocorrendo desde 2019. “No ano de 2019 nós tínhamos 15.500 calebes. Em 2020 demos um salto para 21 mil calebes. Ano passado (2021) chegamos a 36.649, e este ano conforme o objetivo traçado nós conseguimos chegar no nosso território via sistema, via cadastro a 50.796 calebes, dos quais 13.000 eram desbravadores conhecidos como calebes de lenço, e os demais eram jovens envolvidos na missão. Esse é um marco histórico. De fato, significa que 1/4 dos fiéis da Igreja Adventista na União Leste Brasileira neste momento eram calebes”, disse. O líder do departamento relata que o desejo é fazer ainda mais e fazer melhor, e que o objetivo principal se cumpra. “Que consequentemente cresça também o número de pessoas que se que vão ser batizadas, uma vez que crescem o número daqueles que estão envolvidos na pregação do evangelho”, afirmou. 

Na imagem o pastor faz apelo as pessoas para atenderem ao chamado de Cristo.
Várias pessoas atenderam ao apelo para uma decisão pelo batismo. (Foto: Reprodução)

Eduardo relata ainda que a despeito da pandemia e das enchentes que trouxeram grandes prejuízos no mês de janeiro em várias partes do território da Bahia, ainda assim a Missão Calebe não recuou. “Os voluntários acentuaram os esforços na área de assistência social para ajudar em especial desabrigados o que criou oportunidade para pregar o evangelho que de repente de outra forma não seria possível. Ou seja, na calamidade se transmitiu Esperança. Deus seja louvado pelos milagres que estão ocorrendo ainda aqui no território da ULB” explicou.

Missão, salvação e serviço

Para Vanusa Duarte, líder de uma equipe de calebe na região metropolitana de Salvador, no bairro do Uruguai, o impacto foi grande. O local onde ocorreu o evangelismo tinha sido cenário recente de uma tragédia. Para ela fazer a missão calebe neste lugar, transformou o local onde aconteceram tantas mortes em um ponto de salvação de pessoas. Além dos estudos bíblicos, a equipe realizava visitações e ajudava a comunidade com cestas básicas. “O impacto social foi tão impressionante que os moradores colocavam cones para proibir a entrada de carros que poderiam atrapalhar o culto, como também tiravam os carros do local onde realizávamos os cultos, e no último dia do evangelismo, uma moradora pediu o microfone para agradecer aos calebes por terem realizado aquele trabalho naquela comunidade que tanto precisava”, relatou Vanusa. Salvador e região mobilizaram mais de 9 mil jovens na missão calebe, e aproximadamente 300 pessoas decidiram afirmar o compromisso do batismo.

Na imagem jovens e adolescentes se posicionam na frente de uma das casas reformada.
A mobilização foi noticiada na imprensa local. (Foto: Reprodução)
Na imagem duas casas pintadas pelos calebes.
Casas pintadas pelo mutirão dos Calebes. (Foto: Reprodução)

Na região sul da Bahia, um dos locais atingidos pelas fortes chuvas neste final de ano, um mutirão com 25 voluntários da Missão Calebe pintou 12 fachadas de casas que foram atingidas pelas enchentes. O material utilizado para pintar as casas foi obtido por meio de doações e 10 famílias foram beneficiadas com a ação na cidade de Itabuna. A sede da Igreja nesta região mobilizou mais de 8 mil jovens envolvidos na Missão Calebe e cerca de 400 pessoas decidiram pelo batismo.

Na imagem calebes fazem o símbolo das mãos no batismo de uma pessoa que atendeu o apelo.
Batismo sendo realizado. (Foto: Reprodução)

Em Santo Antônio de Jesus/BA, uma equipe de calebe teve dificuldades para encontrar um ponto de pregação. Mas, segundo a coordenadora Priscila Costa, Deus estava preparando o melhor. “Quando eu saí do meu trabalho na sexta-feira à tarde, eu fui para o local onde pretendíamos fazer a missão, parei embaixo de uma árvore e conversei com Deus e eu disse: “Pai, por favor, conduza. Eu não sei o que fazer. Eu preciso da sua ajuda. A gente precisa fazer a missão neste lugar, as pessoas aqui precisam ouvir a tua voz”. Ela conta que ao terminar a oração, foi surpreendida ao caminhar por um local onde havia funcionado uma Igreja Batista, e o pastor desta igreja era amigo de seu pai. “No sábado à noite recebi a notícia positiva de que ele poderia emprestar a igreja para que a missão acontecesse”, disse. Os desafios surgiram, e em uma das noites do evangelismo a igreja ficou sem energia, Priscila detalhou que ao chegar na congregação se surpreendeu. “As pessoas já estavam lá com as lanternas dos celulares ligadas, com velas, e disseram que nem a energia iria atrapalhar, nós queremos adorar e conhecer Jesus”, afirmou. Além do batismo de uma pessoa, outras aceitaram estudar a bíblia. Na região central da Bahia mais de 7 mil calebes estiveram envolvidos na missão e levaram mais de 400 pessoas ao batismo.

Na imagem pessoas assistem uma das noites de evangelismo.
Calebes alcançam pessoas em encontros evangelísticos. (Foto: Reprodução)

No estado de Sergipe, um dos adolescentes que participou da missão, relata que venceu a timidez para levar a palavra de Deus. “Eu sou muito tímido. Durante as ações evangelísticas e ações sociais, tenho descoberto novos dons, feito amizades e me sentindo mais à vontade em me comunicar e falar em público. Estou muito feliz em pregar o evangelho a tantas pessoas que necessitam. Assim, vou vencendo cada vez mais a timidez”, ressalta Ian Alves. No período das férias de janeiro, mais de 8 mil voluntários doaram seu tempo para realizar ações sociais e evangelísticas, além de visitas às comunidades carentes. Como resultado mais de 600 pessoas tiveram um encontro com Deus através do batismo.

Dentre tantas histórias impactantes durante a Missão Calebe na região norte da Bahia, o testemunho de Janiel Gomes e sua esposa Francisca Teixeira foi uma delas. Servindo a uma comunidade católica no Projeto Mandacarú II, Janiel e sua esposa se interessaram por estudar a Bíblia junto a um grupo da Igreja Adventista que atuava na comunidade. Em uma das noites da programação, ambos decidiram pelo batismo. “É isso que eu quero. Quero conhecer a verdade cada dia mais e abrir meus olhos e meu coração para Deus. Por isso escolhi me batizar e não quero sair mais”, disse Francisca sobre sua decisão. No norte da Bahia mais de 8 mil jovens voluntários estiverem atuando no campo. Uma caravana percorreu os locais onde os jovens serviram na missão e mais de 500 pessoas. 

Confira mais dessa história no vídeo: