Notícias Adventistas

Alunos enviam livro missionário pelos Correios e para interessados da Novo Tempo

Os três campi do Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp) buscaram alternativas para distribuir obra durante a pandemia

Por Sarah Dornelis, Ana Clara Silveira, Glória Barreto, Aira Annoroso e Mairon Hothon 1 de novembro de 2020

Líderes do Unasp ao lado dos autores do livro A Maior Esperança. (Foto: William Anacleto)

A forma de se comunicar com as pessoas mudou, principalmente neste ano. Por conta disso, a Igreja Adventista criou meios diferentes para levar esperança para as pessoas. Há 14 anos, o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp) participa ativamente do projeto Impacto Esperança, mas neste ano as ações foram diferentes. 

Respeitando as medidas de prevenção contra a covid-19, cada campus do Unasp inovou na maneira de entregar os exemplares da campanha. Além de materiais físicos, os virtuais também fizeram parte ativa das movimentações da instituição.

Leia também:

O reitor do Unasp, Martin Kuhn, explica que neste ano o Impacto Esperança desafiou a comunidade a encontrar métodos alternativos para distribuir a literatura. “Deus realiza sua obra de diferentes formas. O meu pai mesmo conheceu a verdade bíblica porque dois jovens deixaram um livro na loja do meu tio na década de 70 e hoje toda minha família é convertida ao cristianismo”, detalha. “A gente existe para ensinar e salvar para o reino de Deus todos os que fazem parte da nossa comunidade.”

Ações no campus

No campus Engenheiro Coelho, as ações do Impacto Esperança começaram na última semana, com o estudo dos livros em cada setor da instituição e nos residenciais do internato. Na quarta-feira, 28 de outubro, os alunos internos e funcionários participaram do lançamento do Impacto Esperança.

A programação aconteceu no auditório central do campus para consagração dos livros. Os autores do livro, os pastores Luís Gonçalves e Diogo Cavalcanti, incentivaram a entrega da versão física e virtual.

O diretor de Desenvolvimento Espiritual do campus Engenheiro Coelho, pastor Binho Oliveira, explica que houve algo “bem planejado para que pudessem aproveitar tanto a atividade de distribuição quanto o próprio estudo dos nossos alunos”.

Para os estudantes, as mudanças na entrega não foram um impedimento para participar do evento. A estudante de Publicidade e Propaganda, Dinely Pereira, recorda que no ano passado a entrega foi feita de casa em casa, mas se surpreendeu com as possibilidades deste ano. “O culto com o pastor Luís Gonçalves mostrou que a Igreja está fazendo um trabalho muito especial para conseguirmos entregar os livros de várias formas”, celebra. 

As ações continuaram durante a semana. No sábado, 31, os alunos receberam os livros para que pudessem enviar a seus amigos e familiares. Como a maioria deles vive longe dos pais e de sua cidade natal, utilizaram o serviços dos Correios para despachar a literatura.

No quarto de cada aluno que reside no internato foi deixada uma carta e uma pedra que continha o nome deles. O objetivo desse projeto foi incentivar tanto a leitura quanto o engajamento no Impacto Esperança 2020.

No mesmo dia, os externos também participaram das movimentações. No pôr do sol, todos desfrutaram das músicas e mensagens que prepararam o momento para que recebessem os livros. Após a orientação, todos foram convidados a impactar os amigos, colegas de trabalho, famílias ou desconhecidos.

Ao total, durante os eventos, foram entregues 12 mil livros para residenciais e setores do campus. O objetivo é que muitas pessoas enviem essa mensagem de esperança para além dos arredores do Unasp. 

Movimentação online

O campus de Ensino a Distância (EAD) distribuiu mais de 10 mil livros virtualmente e ainda pretende ampliar essa quantidade. As redes sociais também têm sido uma das maneiras que os estudantes encontraram para participar do movimento. Durante a última semana, foram postadas no Instagram do campus Engenheiro Coelho as meditações relacionadas ao tema do livro.

Dinely acrescenta que “é possível fazer a diferença mesmo de longe, porque Deus tem 1001 maneiras de abençoar a vida de outras pessoas por meio da nossa vida”. Ela ainda acredita que “o envio desse material pelo Correio ou até mesmo de uma forma digital é uma missão.”

O projeto continua

A proposta do Impacto Esperança ainda não terminou. Nas semanas seguintes, os alunos participarão de uma campanha de incentivo para leitura de um capítulo por dia e diversos estudos sobre temas relacionados “A maior esperança” serão feitos durante os cultos nas capelas. 

Veja fotos na galeria:

Impacto na capital

No campus São Paulo, as ações do Impacto Esperança 2020 começaram durante a semana. Todos os departamentos que fazem atendimento ao público receberam os livros para que pudessem distribuir. O Centro de Atividades Físicas e Práticas Esportivas Esportivas (Cenape), por exemplo, ofereceu exemplares para os alunos de natação, musculação e hidroginástica com kits do setor.

Além disso, os estudantes estagiários dos cursos de saúde do Unasp que atuam em hospitais deixaram cópias com os pacientes e colegas de trabalho.

Neste sábado, 31, as ações principais contaram com a participação dos alunos que residem no campus: livros físicos enviados foram enviados pelos Correios com cartas, livros digitais distribuídos pelos canais de comunicação na web, e compartilhamento nas redes sociais.

O dia começou com o culto de consagração., O pastor Emmanuel Guimarães foi o orador principal, responsável por motivar os alunos e mostrar a importância da entrega. “A maior esperança acontece dentro de cada um de nós ao compartilhar um livro com o próximo”, destacou.

Aluna prepara carta para ser entregue com a obra A Maior Esperança (Foto: Divulgação)

Sem fronteiras

Após o culto, os alunos escreveram cartas e as colocaram em envelopes com os livros. A Pastoral Universitária ficou responsável por enviar todos eles pelos Correios. A estimativa é de que sejam postados mais de mil exemplares.

Domingas Jambacandi preparou dez deles para alguns amigos no Brasil, mas principalmente para o seu pai, que mora em Angola, no continente africano. “Meu pai ainda não conheceu Jesus e eu acredito muito que esse livro pode fazer a diferença na vida dele”, afirma.

Para a aluna Ellen Souza, que também preparou diversos envelopes, esse tipo de ação também trará muitos resultados positivos. “Gostaria muito de estar nas ruas distribuindo livros como nos anos anteriores, estar em contato próximo com as pessoas na rua, mas sei que os escolhidos por mim que os receberem em um envelope e com uma carta pessoal escrita à mão também ficarão muito felizes”, acrescenta.

Hortolândia 

Em Hortolândia foram distribuídos mais de 10 mil livros. Desse número, 5.800 foram compartilhados no formato digital, distribuídos por alunos em suas redes sociais, como WhatsApp e Telegram.

Antes do dia 31 de outubro, a pastoral do campus promoveu algumas ações como a  entrega da obra para pessoas que visitaram o campus nas últimas semanas; distribuição para os alunos externos que estiveram no local em uma espécie de drive-thru, e a entrega para professores e funcionários que desejaram presentear amigos, parentes e vizinhos.

No dia oficial do Impacto Esperança, as ações envolveram os alunos de forma direta. Estudantes da educação básica distribuíram na esquina do campus cerca de 1.600 exemplares aos motoristas que paravam no semáforo.

Isso emocionou o ex-dependente químico Lucas Lima. “Eu “tô” achando muito importante esses jovens estarem fazendo isso. Eu vejo que eles estão influenciando outros jovens a chegarem perto de Deus. Que outras pessoas possam ver isso e sentir no coração a vontade de ajudar o próximo”, afirmou Lima.

Já aqueles que residem no campus foram estimulados a se tornarem uma rede de contatos de esperança.“Nós reunimos os alunos em grupos e pedimos para que cada um contasse como a mensagem tinha chegado na família deles. Muitos relataram que foi através de um livro, um folheto, uma obra da colportagem ou coisa do gênero. Essas histórias criaram um estímulo para que eles enviassem livros para seus contatos em aplicativos de bate-papo”, explicou Wanderson Paiva, diretor da pastoral do campus.

Livros em balões

Outro meio utilizado para distribuir A Maior Esperança foram os mais de mil balões de gás hélio soltos no campus no dia 31. Eles se espalharam pelos bairros próximos à instituição. Dentro e fora do balão continha o QR Code do livro eletrônico e contato do Unasp Hortolândia para mais informações.

Interessados da TV Novo Tempo

A pastoral do campus Hortolândia recebeu da TV Novo Tempo o contato de 180 pessoas que residem em Hortolândia e estão interessadas em estudar a Bíblia. Os dados como endereços eletrônicos e números telefônicos dessas pessoas também foram utilizados no Impacto em um contato personalizado realizado pelos estudantes.

Eles telefonaram, oraram com as pessoas e ao fim da ligação ofereceram a edição digital do livro.

Confira imagens da distribuição:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox