Notícias Adventistas

Acolhimento e amor ao próximo marcam a Missão Calebe em 2020

Para Carla Camargo, a lição que fica do encontro com os calebes é que o amor de Deus vai além de qualquer impressão humana. “O que aprendi com eles é que não importa o que estamos passando ou qual a nossa condição, Deus sempre está pronto a nos receber e esses jovens me mostraram isso"

Por Rebeca Silvestrin 30 de julho de 2020

No Mato Grosso do Sul o mês de julho foi marcado por ações de solidariedade e amor ao próximo. Em várias cidades da região, os voluntários da Missão Calebe dedicaram seu tempo para levar mais esperança a quem tanto precisa. Uma dessas pessoas alcançadas pelas ações voluntárias foi a dona de casa Carla Camargo. Para ela, o encontro com os calebes foi marcado por emoção e surpresa. “Eu estava junto com o meu marido, bebendo, em frente à casa de uns amigos no bairro Santo André (Dourados – MS). Quando ouvi vozes cantando músicas que falavam do amor de Deus. Aquilo animou o meu coração que há dias estava angustiado. Naquele momento, meu coração pedia para ir até eles, mas minha cabeça me dizia que não deveria, pois estava errada, consumindo álcool. Foi aí que eles se aproximaram e então ouvi Deus me dizendo “vai”. Peguei minha filha no colo e pedi para eles cantarem para nós. Fui com medo de ser julgada, mas o que aconteceu foi exatamente o contrário. Eles me receberam de braços abertos e aquilo me trouxe paz, calma e alívio”, emociona-se.

Para ela, a lição que fica desse encontro especial é que o amor de Deus vai além de qualquer impressão humana. “O que aprendi com eles é que não importa o que estamos passando ou qual a nossa condição, Deus sempre está pronto a nos receber e esses jovens me mostraram isso. O amor de Deus em sua forma mais pura. Sem julgamentos. Somente amor”, declara.

Carla foi uma das dezenas de pessoas contempladas por uma serenata realizada pelos 36 calebes da Igreja Central de Dourados. Liderados pela estudante Giovana Viana, ela conta que o programa que trouxe tantas lições positivas para a vida de Carla, teve início em um sonho. Literalmente. “Sonhei que durante uma serenata, cada um dos calebes ficava em frente à uma casa e aí não haveria aglomeração – o que era a nossa maior preocupação. No sonho eu via que cada um ficando em frente à uma casa, a gente conseguiria cobrir uma quadra inteira, respeitando assim todas as medidas de biossegurança e de distanciamento. Além disso, alcançaríamos um número maior de moradores através da ação”, conta Giovana.

Para a estudante, que há cinco anos participa da Missão e em 2020 liderou o time de voluntários em sua igreja, mesmo com as barreiras impostas pela pandemia, muitas pessoas têm sido alcançadas pelo amor de Cristo. “Apesar de a gente não pode abraçar uns aos outros, conseguimos levar o amor de Deus através de pequenas ações que a gente tem visto fazer a diferença na vida dessas pessoas. Vejo que a semente tem sido plantada e muitos frutos virão”, ressalta.

Outra ação realizada pelos calebes na cidade de Dourados foi a doação de sangue. Por várias vezes e em grupos pequenos, os missionários contribuíram com o estoque do hemocentro local.

Em outro ponto da região Sul, na cidade de Maracaju, voluntários da Missão estiveram reunidos dispostos a servir a comunidade, não apenas com recursos materiais, mas principalmente com palavras de conforto e esperança. Segundo o pastor Davidson Matos, responsável pela equipe de missionários no local, uma das ações das equipes, o projeto “Troca Solidária”, arrecadou mais 160 kg de donativos, que foram transformados em cestas básicas e entregues a famílias carentes da região. “Junto com os alimentos, 200 livros missionários também foram distribuídos e 23 famílias começaram a estudar a Bíblia com os voluntários”, pontua o líder.

O projeto Troca Solidária aconteceu em parceria entre os missionários e as igrejas das cidades de Dourados e Maracaju e, como resultado, as duas regiões arrecadaram mais de 900 kg de alimentos para auxiliar famílias em situação de vulnerabilidade social. De todas essas pessoas alcançadas pela ação, 35 famílias já estudam a Bíblia com os missionários e assim, pouco a pouco, a esperança vai ganhando cada vez mais espaço em território sul-mato-grossense.

Fotos: Reprodução

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox