Notícias Adventistas

Ivon construiu o auditório onde foi batizado

A história de um engenheiro elétrico que coordenou a construção de um grande auditório na sede sul-americana e, oito anos depois, foi batizado ali.

Por Felipe Lemos 10 de dezembro de 2018

Ivon e pastor Erton durante o batismo. Decisão construída ao longo de anos pelo engenheiro elétrico. Foto: Gustavo Leighton

Desde 2006, o engenheiro elétrico Ivon Antônio de Souza, de 62 anos, mantinha um relacionamento predominantemente técnico com pessoas da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Por meio da empresa em que atua, presta serviços diversos em obras solicitadas pela sede sul-americana, localizada em Brasília.

Quando se fala de parte elétrica ou estrutura predial, Ivon Souza é expert e sempre se sentiu bem à vontade para conversar com a liderança adventista a respeito de paredes, fiação elétrica ou outro assunto do gênero. Mas com a parte espiritual da vida era diferente.

Por causa da curiosidade, e de uma oportunidade que surgiu, os caminhos de Ivon foram completamente mudados neste aspecto. Há cerca de oito anos, ele foi contratado para construir um novo auditório na sede, a fim de abrigar reuniões maiores da organização em nível sul-americano.

E foi justamente neste auditório, completamente lotado, que o engenheiro decidiu publicamente ser batizado no dia 8 de dezembro, em meio a um programa especial com as famílias de servidores da instituição.

Mas qual foi o caminho percorrido por Ivon até chegar a esta decisão? Houve muitas etapas. E em todas esteve o desejo de conhecer mais a Bíblia, aliada às amizades.

Curiosidade pela Bíblia

Embora sempre tivesse uma religião, Ivon Souza admite que tinha muito curiosidade sobre a Bíblia. Em 2012, por exemplo, durante o programa sul-americano chamado Lares de Esperança, ele foi almoçar na casa de um dos pastores que trabalhava na sede sul-americana. Foi um importante contato para uma boa conversa sobre a Palavra de Deus.

Em abril de 2016, outro importante marco na caminhada espiritual do engenheiro elétrico ocorreu. No novo auditório já construído, ele participou de um programa especial idealizado pela área financeira da sede sul-americana chamado Mais que negócios. Foi um culto realizado com os prestadores de serviços que atuavam no escritório sul-americano adventista. Ivon estava lá e deixou um bilhete indicando que queria aprender mais sobre a Bíblia.

Mas algo interessante aconteceu mesmo fora da sede. Mais precisamente na parte de trás, onde fica a Igreja Adventista Central de Brasília. Ali, Ivon Souza também trabalhou em uma recente grande reforma do templo. “Um dia, enquanto fazia a reforma do templo, eu vi uma caixa cheia de exemplares da Bíblia. Estavam um pouco velhas, mas me chamou a atenção que estavam rabiscadas, marcadas, como se alguém tivesse feito várias anotações ali”, relembra. Aquela cena das bíblias na caixa ficou registrada na memória dele. Despertou ainda mais para a necessidade de entender o que a Bíblia ensinava.

Influência de boas amizades

Pastores ao lado de Ivon antes do batismo. O contrato para realização de obras na sede sul-americana se transformaram em um relacionamento bem maior com líderes adventistas. Foto: Gustavo Leighton

Mais do que um prestador de serviços, Ivon se considerava quase parte da família adventista na sede sul-americana. Discretamente, começou a assistir a alguns cultos feitos logo cedo pela manhã no auditório. Neste local, de segunda à sexta-feira, os servidores da sede costumam assistir a um culto entre 7h25 e 8 horas. Às vezes, afirma que assistia em pé mesmo com um olho na mensagem e outro no telefone celular por causa do trabalho. Mas, quando se conversa com ele, dá para perceber que reteve muito conteúdo e sabe o nome de cor de cada um dos pastores que viu pregando ali.

A boa amizade com Levi Viegas, encarregado do patrimônio da sede sul-americana, fez toda a diferença. Levi e Ivon desenvolveram uma forte amizade, por isso, às quartas-feiras de manhã, reservavam um tempo para assistir ao conteúdo de um dos DVDs de estudo bíblico produzido pelo pastor Luís Gonçalves (diretor de evangelismo sul-americano). Além de conversar sobre o tema posteriormente.

Viegas se tornou um apoiador espiritual de Ivon Souza. Convidou-o para ir a sua casa e especialmente para ir à igreja. Semanas especiais de decisão espiritual foram frequentadas com muito interesse pelo engenheiro elétrico. Na hora em que costumeiramente o pregador desafia as pessoas a irem até a frente para assumir um compromisso público com Deus faziam com que Ivon se levantasse.

Para espanto dele mesmo, segundo faz questão de afirmar, a decisão pelo batismo se deu apenas na sexta-feira, 7. Ou seja, um dia antes da cerimônia batismal realizada na sede. A respeito da decisão tomada, dispara a seguinte frase: “tenho fé de que já deu certo. Agora é só continuar”. Seus parentes prestigiaram o momento.

As palavras finais que o pastor Erton Köhler, líder sul-americano adventista, falou diretamente para Ivon durante o batismo deixaram uma forte impressão e significado para o engenheiro e todos presentes. “Ivon, quando você estiver no Céu Jesus não vai te dar mais um capacete de obras, mas uma coroa”, em clara alusão ao equipamento de proteção que Ivon costuma utilizar no trabalho rotineiro dentro da sede.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox