Notícias Adventistas

“Foi a melhor decisão da minha vida”, afirma mulher que conheceu igreja pelo rádio

Chélida Luz começou a estudar a Bíblia pela Rádio Novo Tempo e encontrou igreja por acaso

Por Douglas Pessoa 9 de outubro de 2019

Chélida encotrou um meio de continuar sua paixão pelas motos ao lado do novo amor por Cristo

O capacete se encaixa perfeitamente na cabeça, enquanto uma fivela logo abaixo do queixo garante a segurança da condutora quando adentra o estacionamento da Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) do Moinhos de Vento, na região central de Porto Alegre. O ronco inconfundível do motor e as roupas em forte tom escuro denunciam: estamos diante de uma motoqueira profissional. A frase em inglês, “Adventist Motocycle Ministry – AMM”, bordada na jaqueta já confirma a suspeita e deixa claro o amor que a piloto em questão tem pela mensagem adventista e pelo motociclismo.

Ao tirar o capacete, o largo sorriso de Chélida Luz mostra que estamos diante de uma pessoa que está prestes a tomar uma decisão da qual tem absoluta certeza. É o dia do batismo. As lágrimas de emoção começam a marejar os olhos da jovem que está ansiosa por descer as águas. Momento depois, quem está sentado nos bancos e observa Chélida prestes a mergulhar no tanque nem imagina a trajetória de vida dela até este dia. Mas ao conversar com ela, os detalhes despertam atenção e fazem com que o espectador tenha certeza da atuação divina na vida dela.

“Antes de conhecer a igreja eu praticamente só andava de moto. Estar em duas rodas era uma fuga, um refúgio para mim”, relembra. Ela também conta que parte da sua rotina era frequentar eventos de motocross, concursos ou encontros que reuniam motoqueiros de todas as partes do Rio Grande do Sul e de outros estados. “Nesses lugares eu conheci todo os tipos de pessoas. Era uma forma de me encontrar no mundo”, conta.

Ao optar pelo batismo, Chélida também ingressou em um novo grupo de motoqueiros

Mesmo não sendo frequentadora regular de um templo religioso, Chélida gostava de falar sobre Deus e o cristianismo. “Eu sempre buscava conversar sobre coisas de Deus, mas como não estava em comunhão acabava não tendo base para argumentar. Ou seja, eu queria falar, mas não estava em comunhão”, explica. Depois desse período de envolvimento pleno com o motociclismo, Chélida precisou largar as duas rodas para cuidar da saúde. Várias complicações a obrigaram a fazer cirurgias e passar dias internadas. Ao todo foram três anos de afastamento das motos e de tudo aquilo que ela vivenciava. O efeito para a autoestima foi devastador.

Após sair do hospital ela fez uma reflexão profunda e decidiu viver a vida mais intensamente. Voltou para o universo das motos com ainda mais vontade do que antes, mas algo não fazia sentido. “Eu queria sentir novamente a liberdade, mas parece que não a conseguia vivenciar. Depois que fui descobrir que a liberdade que eu precisava era ao lado de Cristo”, assume. Nesse contexto que surge a Rede Novo Tempo de Comunicação na vida de Chélida. “Eu estava procurando uma rádio e sintonizei na frequência 99.9, a Rádio Novo Tempo Porto Alegre. Quando mencionaram os estudos bíblicos que são enviados gratuitamente pelos correios eu não pensei duas vezes em solicitar”, conta.

Foi então que Chélida começou a estudar a Bíblia de modo profundo. A medida que conhecia mais, ela também passou a querer encontrar uma Igreja Adventista. O problema é que não havia conseguido localizar uma. “Até que um dia eu tive um problema com meu plano de saúde e fui obrigada a ir ao bairro Moinhos de Vento para resolver. Quando parei a moto na sinaleira eu olhei para o lado e vi uma placa escrito ‘Novo Tempo’. Foi um susto de felicidade”, conta empolgada. Ela quase não conseguiu acreditar que havia encontrado a igreja da rádio que ouvia religiosamente.

Na mesma semana, Chélida foi à igreja e começou a participar do Espaço Novo Tempo que funciona no prédio. O local, adaptado para receber pessoas que têm o primeiro contato com os adventistas através da rádio ou da TV, ofereceu estudos ainda mais aprofundados da Bíblia e do estilo de vida ideal para as pessoas. A IASD Moinhos de Vento também possui um grupo de motociclistas adventistas, da qual Chélida foi prontamente convidada a fazer parte. “Eu descobri que poderia continuar a ter meu gosto pela moto. Só que agora eu poderia fazer isso ao lado de Cristo”, compartilha.

Assim Chélida chegou ao emocionante dia de seu batismo. Uma música que falava sobre a força que Deus oferece para superar intempéries e o abraço coletivo que os membros da Adventist Motorcycle Ministry (AMM) deram para ela, mostrou que a partir daquele momento passava a fazer parte de um grupo diferenciado. “Foi o mergulho mais maravilhoso na minha vida. Tive a profunda certeza de que estava fazendo a escolha certa dentro daquele tanque. Quero estar sempre ao lado de Deus e dessa minha nova família”, afirma confiantemente.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox