Notícias Adventistas

Voluntárias doam cabelos para campanha de hospitais em Curitiba

Mais de 150 voluntárias participaram para demonstrar seu amor ao próximo.

16 de setembro de 2014
10653349_954408741243320_2947686521551607821_n

Mais de 150 mulheres tiveram coragem e participaram da campanha #CabeloAmigo. A ação teve parceria da Igreja Adventista (Fotos: Sérgio Lucena)

Curitiba, PR…[ASN] Compridos, curtos, lisos, tingidos, encaracolados, ondulados ou mesmo afros, vários são os tipos de cabelos que a mulherada tem um carinho todo especial. Para algumas, cortá-lo é quase sinônimo de morte, tamanha é a atenção que elas dão para os fios. Mas no dia 31 de agosto um grupo de 150 voluntárias das mais diferentes idades deixou o estilo pessoal de lado e doou parte dos cabelos para a uma campanha solidária.

A ação realizada pelo Instituto O Amor Chama (IOAC) em parceria com a Campanha #CabeloAmigo aconteceu no salão de jovens da Igreja Adventista do bairro Portão, na capital. O projeto da Campanha #CabeloAmigo, que tem por objetivo montar perucas para crianças e mulheres que passam pelos tratamentos da radio e quimioterapia, acontece em três hospitais de Curitiba.

“Eu sempre tive vontade de ajudar em uma campanha como essa, mas nunca havia me mobilizado, até que recebi um convite na rede social para participar de um dia D de corte de cabelo. Logo trouxe a ideia para o pessoal da congregação, que apoiou e também quis participar”, comenta a coordenadora da campanha no Instituto O Amor Chama, Aline Nossabeim.

A campanha, que consistiu no corte de 15cm de qualquer tipo de cabelo para fazer perucas, aconteceu no salão de jovens da igreja e envolveu oito cabeleireiros, sendo quatro fruto de uma parceria entre a organização religiosa e o Instituto Embelleze. Aline Andrade, uma das organizadoras da campanha #CabeloAmigo, diz que ficou emocionada ao ver o empreendimento e envolvimento do grupo de voluntárias adventistas.

10599268_954408744576653_3528441005252736447_n

Na Campanha #CabeloAmigo, idade não foi pré-requisito. A ordem era que cada voluntária doasse ao menos 15cm.

“Quando me preparei para ir fazer essa coleta pensei que não daria mais do que 30 mulheres, mas a demanda superou minhas expectativas. Foi mais do que uma ajuda, foi um ato solidário e de amor com pessoas quem nem mesmo elas conhecem. Fiquei muito emocionada de ver e espero ter novas parcerias com a Igreja Adventista”, ressalta a jovem, que também passou por sessões de quimioterapia, mas hoje se recupera do tratamento.

E nessa campanha, idade não foi pré-requisito para participar. Maria Eduarda, de apenas 11 anos, estava na fila para doar seu cabelo para as vítimas de câncer como forma de levar mais alegria e autoestima as pacientes.

“Eu já queria cortar há algum tempo, mas não tinha muita coragem porque sempre gostei de cabelo grande, mas quando minha tia me contou o propósito da campanha, respirei fundo e sentei na cadeira do cabeleireiro. Eu e uma amiga decidimos ajudar nesta campanha. Depois quero fazer questão de ver como vai ficar a peruca pronta”, diz a estudante.

Quem também criou coragem de passar a tesoura na cabeleira foi a universitária Núbia Albergoni, que colaborou com mais do que 15cm. Ela confessa que o impacto foi grande quando se viu de chanel, mas se sentiu bem ao saber que o cabelo iria ajudar alguém que no momento não tem.

10616128_954408701243324_4939253578645163701_n

“Acredito que mais do que uma atitude, ela vai mostrar o amor de Deus”, ressalta a universitária Núbia Albergoni.

“Apesar de meu cabelo crescer rápido, tenho um cuidado muito grande e até ciúmes dele, mas pensando bem, isso não é essencial da vida. Deixei de lado a vaidade e cortei mesmo. Hoje até gosto desse novo estilo. Acredito que mais do que uma atitude simples, ela vai mudar a vida de alguém e eu me senti muito bem por, de alguma forma, mostrar o amor de Deus”, ressalta.

Para Aline Nossabeim essa ação voluntária foi apenas a primeira de outras que vão acontecer no Portão. Ela conta ainda que a mobilização serviu inclusive para trazer algumas pessoas para dentro da igreja, as quais nunca entrariam de outra forma.

“Como espalhamos o convite na rede social, vieram pessoas de outras religiões, inclusive para cortar o cabelo e conhecer um pouco do nosso culto, que acontecia simultaneamente. Até hoje tem mulheres nos procurando para doar cabelo e o número de participantes só aumenta. Agora queremos pagar mais algumas peruqueiras para ajudar o pessoal da Embelleze e enfim marcar um dia para entregar as perucas prontas no hospital. Que Deus use até nossos cabelos para levar o evangelho”, finaliza. [Equipe ASN, Mairon Hothon]

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox