Notícias Adventistas

“Ser batizada sempre foi meu sonho”, afirma mulher que reencontrou igreja após 30 anos

Conheça a história da cabeleireira que é o retrato do crescimento da igreja na zona norte da capital gaúcha

Por Douglas Pessoa 10 de junho de 2019

Elcita conheceu a igreja na infância, mas só a reencontrou anos depois

Quem sobe as escadas e entra na mais nova Igreja Adventista do Sétimo Dia (IASD) da Avenida Cristóvão Colombo, em Porto Alegre, certamente irá ver uma senhora de cabelos loiros e olhos atentos ao que está sendo falado na plataforma. A assídua frequentadora de sorriso largo e Bíblia na mão aparenta fazer parte do grupo de pessoas que teve seus primeiros contatos com os adventistas através do Impacto Porto Alegre, um dos maiores projetos de evangelização feito pela igreja na capital dos gaúchos. No entanto, a relação da simpática cabeleireira Elcita Neri Grubel Poock com os adventistas começou há muitos anos, bem longe das movimentadas ruas do bairro Moinhos de Vento.

“Meu primeiro contato com a Igreja Adventista foi na infância. Eu vivia no interior do município de Tapes, numa localidade chamada Picada da Cruz. Havia uma igrejinha adventista lá. Quando eles anunciavam que pregadores de Porto Alegre estariam presentes para falar de Jesus, íamos assistir”, conta.

O sorriso é evidente no rosto de Elcita quando ela fala sobre a maneira com a igreja fez parte da infância. “Eu gostava muito! Lembro que bem próximo da igreja tinha um campo largo e um açude, onde eram feitos os batismos. Eu sempre achei aquilo muito lindo”, relembra. Apesar de frequentar eventualmente os cultos sabáticos da igreja, ela frequentava outra denominação, da qual a família fazia parte há gerações. Mas isso nunca foi impedimento para Elcita se encantar com as interpretações bíblicas apresentadas pelos adventistas.

O tempo passou e depois que cresceu Elcita teve que se mudar de Picada da Cruz para o bairro Floresta, na região central de Porto Alegre. Ela veio para a capital em busca de trabalho e uma formação profissional. Encontrou ambos nos cuidados com a beleza. Foi então que começou a trabalhar como cabeleireira e manicure, profissões que domina até hoje. No decorrer desses anos todos acabou não tendo mais contato com a Igreja Adventista, pois não havia encontrado nenhum templo na região. “Eu procurei em outras denominações, mas não encontrei aquelas interpretações que eu ouvia nos cultos adventistas”, lamenta.

Graças TV Novo Tempo Elcita pode reencontrar a igreja

Mas em um dia de folga, Elcita decidiu ligar a TV e procurar algo interessante para assistir. Foi então que encontrou os programas evangelísticos da TV Novo Tempo. A partir desse momento, Elcita pôde começar seu processo de reencontro com a igreja que tanto marcou sua infância. “Finalmente encontrei o que eu queria ouvir. Agora posso voltar para a congregação da qual, há muitos anos, sempre quis fazer parte”, celebra.

Dois meses depois, após assistir regularmente os programas da emissora, Elcita pediu para o neto procurar na internet o endereço da igreja adventista. Mas os únicos templos que encontrou ficavam muito distantes da sua casa. “Foi então que comentei sobre isso com uma das minhas clientes. Falei que havia conhecido a TV Novo Tempo e que queria encontrar uma igreja. Foi então que ela me revelou que era adventista e se ofereceu para me levar na igreja do Moinhos de Vento”, conta. A igreja, na época, funcionava em um pequeno salão.

Assim começou a série de estudos da Bíblia, que durou até o dia em que entrou nas águas e foi finalmente batizada. Esse processo coincidiu com a construção de um novo templo na Avenida Cristóvão Colombo e a chegada da Semana Santa, ponto máximo do projeto Impacto Porto Alegre. “Ah, é muito bom ter uma nova igreja aqui no Moinhos. É maravilhoso para o povo dessa região que ainda não conhece a mensagem bíblica. O meu maior desejo, depois do batismo, é permanecer nessa igreja e trazer meu filho e meus netos pra cá”, almeja.

Dona Elcita faz parte das 382 pessoas que foram batizadas durante a Semana Santa na Zona Norte de Porto Alegre, em Cachoeirinha, Gravataí e Canoas, regiões do território da ACSR que fizeram parte do Impacto Porto Alegre. Com a presença de pastores que lideram a IASD para a América do Sul e o Sul do Brasil, além de instituições como Rede Novo Tempo e a Casa Publicadora Brasileira, os fiéis experimentaram um reavivamento espiritual e o forte incentivo à divulgação da mensagem na região. Ao todo, durante todo os quatro primeiros meses do ano, foram 525 batismos em todo o território da Associação.

 

Índice de Batismos ACSR – Primeiros meses de 2019

Janeiro 43
Fevereiro 48
Março 52
Abril 382
TOTAL 525

 

Plantio de Igrejas

O aumento do número de pessoas que tomam a decisão pelo batismo no centro do RS é reflexo do investimento no crescimento e na abertura de novas igrejas. O pastor Marcos Júnior, líder da ACSR, explica que esse trabalho foi a essência do projeto, e o envolvimento dos líderes das igrejas locais e dos demais membros foi fundamental. “O Impacto Porto Alegre é um movimento de plantio de igrejas e mobilização de membros para a missão. Ao todo, tivemos seis novas igrejas plantadas de agosto de 2017 até abril de 2019”, conta. Uma dessas novas igrejas a do Moinhos de Vento, onde a dona Elcita frequenta assiduamente. O templo, que conta com ampla nave e salas diversas, deverá ser o maior ponto de presença dos adventistas numa das regiões mais antigas e populosas da capital.

Segundo o pastor Marcos Júnior, a nova igreja é uma das que atende o antigo “vazio adventista” da capital. Uma área que engloba bairros tradicionais e extremamente populosos. “Essa era uma região em que nós não tínhamos nenhuma igreja. Hoje já são três templos usando diversas maneiras para atrair mais pessoas. Tudo isso também foi feito com a soma de esforços dos líderes da Divisão Sul-Americana e da União Sul Brasileira no nosso campo”, explica. Para o pastor, o plantio de igrejas é fundamental para o funcionamento do ciclo de envolvimento dos fiéis criado pelo Impacto Porto Alegre. Através dele, as pessoas que receberem estudos bíblicos e tomarem a decisão por passar pelas águas poderão convidar outros amigos para participarem do mesmo processo.

Igreja no centro do RS teve crescimento no número de batismos em 2019

Importância das águas

Para o pastor Marcelo Dadamo, líder do departamento de Evangelismo da Associação Central Sul-Rio-Grandense, o batismo é um ato de extrema importância porque ele mostra uma atitude real da pessoa que quer mudar de vida e estar ao lado de Cristo. “Não basta apenas falar que crê e tem fé, é preciso tomar uma decisão real. E essa atitude vem do batismo. A imersão nas águas é a oportunidade que Deus concede para a pessoa renovar o compromisso com Ele”, explica.

O pastor também mostra que Jesus deixou esse recado claro na sua atitude de ir ao rio Jordão e estar com João Batista. “Ele foi o exemplo ao ser batizado, mesmo estando sem pecado. Isso demonstra que todo ser humano precisa reconhecer que é pecador e permitir que Jesus apague o seu passado e dê a chance começar uma vida nova. Acredito que essa é a principal explicação da importância da pessoa passar pela experiência do batismo”, pontua.

A própria Bíblia reforça isso no livro de Marcos 16:16. Lá as palavras de Jesus afirmam que “…quem crer e for batizado será salvo.” A Igreja Adventista do Sétimo Dia acredita que dentro do processo de salvação deve existir o chamado desenvolvimento da fé. “Ela precisa conhecer a vontade de Deus. É por isso que nós não somos precipitados em colocar alguém no tanque batismal sem que ela passe por uma série de estudos, aonde ela vai descobrir biblicamente o que Deus espera do ser humano”, explica. Esse ponto envolve não apenas as pessoas que querem se batizar, mas também aquelas que já fazem parte da igreja. Por esse motivo, a instituição cria projetos para incentivar os adventistas a oferecerem e guiarem outras pessoas em estudos bíblicos para que elas conheçam plenamente a fé para que possam mergulhar nas águas.

Isso mostra que é importante salientar que os frutos do Impacto Porto Alegre começaram a ser colhidos nos primeiros meses de 2018, mas a semente já estava sendo plantada desde 2017. Cerca de oito treinamentos foram feitos com líderes de igrejas locais e Semanas de Oração em algumas das maiores igrejas do território foram colocadas em prática com o objetivo de criar um ciclo de salvação. O resultado de 525 batismos foi apenas a primeira colheita. Neste ano outros projetos e campanhas envolvendo o processo de estudo da Bíblia e batismos serão aplicados no território. A projeção é que o trabalho continue rendendo frutos pelas próximas estações.

No entanto, um questionamento bem comum sobre esse assunto é quando a pessoa não tem interesse em descer pelas águas alegando que já havia sido batizada numa igreja de outra denominação. Sobre isso, o pastor Dadamo explica que é preciso que a pessoa se batize novamente por agora ter pleno conhecimento da Bíblia. “A gente respeita muito cada pessoa que chega e nos diz que já foi batizada em outras igrejas. No entanto, nós recomendamos um novo batismo porque agora a pessoa conhece muito mais sobre a palavra de Deus. Doutrinas como a guarda do sábado, cuidado com o corpo e o santuário, por exemplo, sempre são novidades para essas pessoas que se aproximam dos adventistas”, explica o líder. Por isso os Estudos Bíblicos são tão necessários para que o batismo aconteça. É um processo completo em que cada fase é importante.

Mas para que esse processo de plantio de igrejas, estudos bíblicos, decisões pelo batismo e a imersão nas águas aconteça o envolvimento dos fiéis se mostra fundamental. A Dona Elcita já conhecia a Igreja desde criança, mas foi através do contato com uma de suas clientes e o envolvimento com os participantes da igreja do Moinhos de Vento que ela sentiu apoio e pôde dar seus passos na nova jornada cristã. Conforme disse Jesus, “quem crer e for batizado será salvo….”. Por isso é importante levar a mensagem e oferecer meios para que as pessoas possam escolher por mergulhar para uma nova vida de fé.

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox