Notícias Adventistas

Universitário interrompe curso para atuar como voluntário na Ucrânia

Aos 22 anos, Rodrigo Sampaio deixou tudo para servir outras pessoas e comunidades na Europa Oriental.

25 de março de 2018

Por Mairon Hothon, com informações de Jefferson Braun

Rodrigo Sampaio decidiu postergar sua formatura para se dedicar ao voluntariado (Fotos: arquivo pessoal)

Você teria coragem de deixar faculdade, trabalho, família, amigos e voar até um país que faz divisa com a Rússia, lá na Europa Oriental, com o único intuito de ajudar outras pessoas? Natural da capita paulista, o universitário adventista Rodrigo Sampaio, 22, teve essa coragem e atualmente é voluntário em Kiev, capital da Ucrânia, país que tem uma temperatura média abaixo de zero na maior parte do ano.

Antes de terminar seus estudos em Teologia pelo Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), ele decidiu seguir um caminho tanto diferente dos amigos. Seu primeiro destino foi Guiné Bissau, no continente africano, onde ficou por dois anos e experimentou tudo que um missionário voluntário pode fazer.

Sampaio registra foto com crianças em Guiné-Bissau

“Quando estamos em um projeto de missão, toda e qualquer atividade que podemos fazer e que pode transformar a comunidade à nossa volta sempre é bem-vindo. Inicialmente, fui para ensinar inglês, mas também ajudei na construção de escolas, brinquei com crianças, fiz serviços sociais e em saúde”, relata o jovem.

 

Após a primeira experiência, Sampaio decidiu ir um pouco mais longe, agora para um país frio e com desafios maiores quando o assunto é religião. Na Ucrânia, apenas 2% da população é formada por cristãos protestantes. Os demais fazem parte da Igreja Ortodoxa Ucraniana e da Igreja Católica.

“O que me levou ser missionário foi retribuir as bênçãos que Deus estava me dando, além de poder aprender muito para o futuro quando eu me formar. A maior satisfação que tenho aqui é ouvir um obrigado das pessoas. Poder mostrar Jesus para elas e transformar a comunidade que estou inserido é a maior lição que aprendo do voluntariado”, destaca.

E essa experiência internacional mudará não apenas a vida espiritual e pessoal de Rodrigo, mas também terá um impacto em sua formação profissional. De acordo com uma pesquisa realizada por uma consultoria americana, quatro de cada cinco gerentes de Recursos Humanos tem o voluntariado como ponto de desempate na hora de contratar um funcionário.

Preparo acadêmico

Para aqueles se interessam pelo tema, o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp) está com inscrições abertas para o MBA em Liderança e Gestão de Voluntariado.

Curso também é destinado a coordenadores de projetos de voluntariado e líderes de organizações sem fins lucrativos

Com duração de 20 meses e carga horária de 552 horas, será realizado no campus São Paulo em dois domingos por mês. O curso é destinado àqueles que desejam se especializar nesta área do terceiro setor. Entre os assuntos que serão abordados em estão Habilidade de liderança; Relacionamento; Trabalho em Equipe; Adaptação a diferentes culturas; Capacidade de negociar atividades; Gestão do próprio tempo; Habilidade de trabalhar com orçamento reduzido e captação de fundos.

De acordo com o coordenador do curso, professor Derson Lopes, ser voluntário em alguma iniciativa do terceiro setor é um diferencial na hora de procurar um emprego, e o MBA vem para ajudar a entender como fazer dessa prática algo orientado e aprofundado. “Existem varias empresas que priorizam, no momento da contratação, pessoas que tiveram experiência no voluntariado, graças à diversidade dessas experiências, oportunidades em trabalhar em grupo, liderança em contextos diferentes e envolvimentos culturais”, explica.

As aulas começam no dia 15 de abril. Para saber mais informações, clique aqui.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox