Notícias Adventistas

Ser educador adventista pela primeira vez

Conheça quatro princípios absolutamente importantes que devem caracterizar um educador adventista do sétimo dia nos tempos atuais.

Por Josney Prado 29 de maio de 2021

Professores possuem uma verdadeiro missão, segundo a ótica adventista de educação. (Foto: Josean Muslera / USB)

Depois de tantos relatos bíblicos e as emocionantes narrativas de personagens que fizeram a diferença no lugar em que estavam, é apenas em Atos 11 que os discípulos são pela primeira vez chamados de cristãos. E essa frase não está no início do capítulo, mas na segunda parte do verso 26. Isso indica que, possivelmente, o que vem antes do verso 26 é a explicação do porquê de terem sido assim denominados.

Classificados como cristãos

Há pelo menos quatro elementos que nos indicam, segundo o teólogo Amim Rodor, a razão pela qual os que foram dispersos em função da morte de Estevão serem classificados como cristãos:

  1. A mão do Senhor estava com eles, e muitos creram e se converteram ao Senhor. (verso 21).

Princípio: crer, porém também se converter diariamente.

  1. Este [Barnabé], ali chegando e vendo a graça de Deus, ficou alegre e os animou a permanecer fiéis ao Senhor, de todo o coração. (verso 23).

Princípio: permanecer em Cristo diante de qualquer circunstância.

  1. Ele [Barnabé] era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé; e muitas pessoas foram acrescentadas ao Senhor. (verso 24).

Princípio: presença do Espírito Santo para transformar pessoas.

  1. Então Barnabé foi a Tarso procurar Saulo e, quando o encontrou, levou-o para Antioquia. Assim, durante um ano inteiro Barnabé e Saulo se reuniram com a igreja e ensinaram muitos. (verso 26).

Princípio: estar na igreja e ensinar.

Respeitadas as devidas proporções, pensando agora em Educação Adventista, poderíamos fazer a seguinte pergunta: quando eu e você poderemos ser chamados, pela primeira vez, de educadores adventistas?

E acrescento que estas características ou atitudes devem fazer parte de todos os cristãos que, de alguma maneira, na sua esfera de atuação, ajudam a ensinar outros sobre a mensagem do evangelho.

Princípios essenciais

Talvez você já se identifique como um, assim como os discípulos acreditavam que talvez mais nenhum “título” lhes cabia. O fato é que, apesar das histórias serem diferentes, os princípios para que eu seja denominado, de fato, um educador adventista do sétimo dia, são os mesmos:

Princípio 1: Crer, porém também se converter diariamente. Na verdade, a própria placa da nossa escola já indica que somos crentes, não precisamos fazer muito para convencer as pessoas disso. Mas apenas as nossas atitudes dentro dela que podem indicar a dimensão da nossa conversão. Ser educador adventista requer conversão diária.

Princípio 2: Permanecer em Cristo diante de qualquer circunstância. Estamos sendo fortemente provados nos últimos dias. Permanecer em Cristo diante de tantos desafios é o estágio prático da conversão. Ser educador adventista requer permanecer em Cristo e estimular para que qualquer pessoa sob sua influência assim também o faça.

Princípio 3: Presença do Espírito Santo para transformar pessoas. A prerrogativa da transformação dos nossos alunos é a presença do Espírito nos professores. É muito além [mesmo] de qualquer corrente pedagógica ou estratégia inovadora de sala de aula que está sendo pregada por aí. Ser educador adventista requer começar o dia conversando e consultando o maior modelo, Aquele que trará iluminação e discernimento nos momentos mais difíceis do dia.

Princípio 4: Estar na igreja e ensinar. Somos igreja antes de sermos escola. Parece ser contraditório, mas o melhor educador é lapidado dentro da igreja e não na sua própria sala de aula colecionando as melhores experiências. Ser educador adventista requer uma vida na igreja antes da vida na escola.

Desafios espirituais

Podemos ser professores ou funcionários, assim como o mundo do trabalho vê. Porém, temos um convite ainda mais especial do nosso Mestre: sermos educadores adventistas e, talvez, na profundidade de atuação que esse título merece, pela primeira vez.

Um chamado urgente para uma escola que precisa permanecer em pé durante os últimos dias da história do universo. Essa escola que, por meio dos seus educadores inspirados por esses quatro princípios, torna-se um dos maiores refúgios estabelecidos por Deus na confusão da humanidade.


Josney Prado é pedagogo, pós-graduado em gestão escolar e educacional e mestrando em Educação pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Campinas, no interior paulista. Atualmente é coordenador pedagógico da União Central Brasileira, sede administrativa da Igreja Adventista para o Estado de São Paulo.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox