Notícias Adventistas

Rede adventista de ensino capacita educadores

Cerca de 200 educadores das seis instituições de ensino da Associação Sul do Pará foram capacitados por professores com alto nível de experiência e conhecimentos.

31 de janeiro de 2017
Encontro de Educação reúne mais de 200 educadores na região sul do Pará.

Encontro de Educação reúne mais de 200 educadores na região sul do Pará.

Marabá, PA… [ASN] Nos últimos dias 11 e 12 de janeiro, quase 200 educadores da rede adventista de ensino no sul do Pará participaram do Encontro de Educação 2017. O encontro é anual e tem o objetivo de focar na visão e na missão da Educação Adventista, para que esta seja “+ Adventista”. Ao longo dos dois dias de encontro, os educadores da ASPa conheceram professores com experiências e títulos diferenciados. Como o professor doutor Renato Gross. Doutor em Educação pela Unicamp e com um curriculum extenso, o professor contou a história da Educação Adventista no Brasil e no mundo. De acordo com ele, a Educação Adventista consiste em três pilares.

Profº Dr. Renato Gross é um dos maiores conhecedores da história da Educação Adventista, em língua portuguesa.

Profº Dr. Renato Gross é um dos maiores conhecedores da história da Educação Adventista, em língua portuguesa.

“A Educação Adventista surgiu com três grandes características: O próprio Deus, o próprio Cristo como o centro da Educação. Então, ela é uma educação cristocêntrica. A Palavra de Deus como segundo eixo da Educação Adventista. Por isso, ela é bibliocêntrica. E se ela é cristocêntrica e bibliocêntrica, ela também é uma educação criacionista, que é o terceiro grande pilar da Educação Adventista”, revela o professor Renato.

Quem também esteve presente no encontro foi a professora mestre Thalita da Silva, que é coordenadora pedagógica na Associação Paulista Oeste. Ela conversou com os educadores do sul do Pará sobre aplicação de avaliações. Leia o que ela revelou: “Aplicar provas é uma coisa, elaborar instrumentos de avaliação relevantes, contextualizados, significativos, que contemplem processos cognitivos mais refinados… Isso não é tão simples. É uma ciência; precisa-se de tempo, de prática, e foi isso o que viemos desafiar a este grupo, a pensar um pouquinho mais sobre instrumentos de avaliação”, afirma a professora.

Sem diferenças

Profª Msc. Thalita da Silva afirma que não há diferença entre fé e ciência.

Profª Msc. Thalita da Silva afirma que não há diferença entre fé e ciência.

A professora Thalita ainda explica que não existe diferença entre fé e ciência.

“A fonte de todo conhecimento é Deus. Toda verdade provém de Deus. Não há qualquer dicotomia entre ciência e fé. E muito menos entre valores espirituais. Porque se eu acredito que todo conhecimento provém de Deus, o professor, e mais especificamente o professor adventista, olha o conteúdo da sua disciplina com a cosmovisão bíblico-cristã. Ele contempla o conhecimento numa lógica cristã. Então, eu não vejo qualquer paradoxo, qualquer dicotomia… É olhar o mundo com a mente cristã”, conta a educadora.

Além do professor Renato e da professora Thalita, também participaram do Encontro a diretora pedagógica do Instituto Adventista Paranaense – IAP, a professora doutora Marta Balbé, a professora mestre Suzete Maia, coordenadora pedagógica da Associação Paulista Sudoeste e a professora mestre Janine Gross.

A professora Fernanda conta que aprendeu muita coisa nova.

A professora Fernanda conta que aprendeu muita coisa nova.

O Encontro de Educação traz muita informação nova para os professores da rede adventista de ensino. Professores como a Fernanda de Oliveira, que é pedagoga da Escola Adventista de Redenção, e conta que gostou bastante das coisas novas que aprendeu. “Tô levando uma bagagem imensa de conhecimentos novos e que eu vou por em prática. Foram várias palestras, oficinas riquíssimas, que só vieram a somar com o meu conhecimento”, conta Fernanda.

O Prof. Márcio aprovou a variedade de palestrantes.

O Prof. Márcio aprovou a variedade de palestrantes.

“Essa experiência que nós temos de encontro com pessoas das mais diversas regiões do Brasil, que nos trazem experiências diferentes, no auxilia demais no dia-a-dia na sala de aula”, afirma Márcio Souza, professor de literatura do Colégio Adventista de Parauapebas.

“Diante de tudo que nós vimos aqui, ficou a necessidade de conhecer ainda mais, ficou o gostinho de “quero mais”, o gostinho de buscar cada conhecimento que foi passado, a necessidade de aprender cada vez mais e, o mais importante, as pessoas que vieram nos deixaram um legado, uma bagagem de conhecimento tão grande que essa vontade de conhecer vai nos motivar a aplicar no dia-a-dia, vai nos ajudar a crescer mais profissionalmente e ter esse desejo de continuar crescendo, não parar por aí”, relata Alessandra Alves, orientadora pedagógica do Colégio Adventista de Paragominas.

A professora Alessandra afirma que as palestras deixaram um legado para todos.

A professora Alessandra afirma que as palestras deixaram um legado para todos.

A coordenadora pedagógica da ASPa, Adriana Lopes, afirma: “O conhecimento que nós tivemos foi relacionado a nossa palavra sagrada, que é a Bíblia. E a Educação Adventista que nós acreditamos, seguindo a pedagogia cristã, segue ainda com uma linha, que ela vem como uma educação redentiva, que salva, que transforma… Mas, o Senhor quer muito mais. E eu acredito que a educação na Associação Sul do Pará só tem a crescer”.

"Educação Adventista é uma educação 'redentiva'", afirma Adriana Lopes coordenadora pedagógica da ASPa.

“Educação Adventista é uma educação ‘redentiva'”, afirma Adriana Lopes coordenadora pedagógica da ASPa.

O professor Renato Gross deixa uma mensagem a todos os educadores e educandos da Educação Adventista. “Aproveitemos bem os dias de hoje, são dias muito difíceis. Parece-me que o mundo está com o seu prazo de validade vencido. E nós acreditamos, como igreja, e eu como membro da Igreja Adventista creio nisso, com todas as forças da minha alma, que nós estamos vivendo as páginas finais, o capítulo final da história da humanidade. E a tendência não vai ser melhorar, a tendência me parece que vai ser sempre piorar; até que seja necessária a intervenção direta na história da humanidade com a volta gloriosa de Jesus Cristo. E eu convido a todos vocês que me ouvem neste momento a que se preparem como professores e como estudantes para esse grande acontecimento”. [Equipe ASN, Vandilson Junior]

Assista a reportagem:

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox