Notícias Adventistas

Projetos inovadores de professores da rede adventista são reconhecidos

Casa Publicadora Brasileira e Rede de Educação Adventista realizaram cerimônia do Prêmio CPB Edu 2018. Evento emocionou com reconhecimento aos docentes.

Por Thiago Basílio e Camila Torres 6 de dezembro de 2018

Professores comemoram vitória no Prêmio CPB Edu 2018. Foto: William Moraes e Daniel de Oliveira.

Competir em contexto escolar com as inúmeras e atrativas distrações tecnológicas da atualidade pode parecer muito desleal e um tanto desafiador para o trabalho docente. O modelo tradicional de sala de aula tem, aos poucos, se atualizado, mas essa não é tarefa tão fácil. Um dos principais desafios é para que o professor crie um ambiente favorável com criatividade para alcançar a atenção dos estudantes. E isso vale, também, na Rede de Educação Adventista.

Melhor ainda é usar as inovações tecnológicas com propósito pedagógico ousado. E que, de fato, chegue ao cotidiano dos alunos. Foi exatamente isso que aconteceu no Instituto Adventista Pernambucano de Ensino (IAPE), localizado no município de Insurreição (Pernambuco). O professor de Filosofia e Ensino Religioso para o Ensino Médio, Ângelo Bernardes, em parceria com docentes de outras disciplinas, decidiu utilizar uma linguagem de jogos para ensinar sociologia, filosofia, história e geografia aos seus alunos.

“O projeto ‘Domus: é jogando que se aprende’ surgiu em 2015. Eu tinha um aluno que achava muito inteligente, mas ele só tirava notas ruins e já tinha repetido de ano duas vezes. Era claro que não se adaptava ao método tradicional. Então pesquisei formas de aprendizagem e a gamificação foi a que achei mais completa e personalizável”, lembra o professor. Após tal experiência, os resultados foram muito evidentes e claros: “diminuímos em 75% o índice de recuperação e aumentamos em até 36% o rendimento nas disciplinas”, enfatiza.

Leia também:

Revista reúne projetos de destaque da Educação Adventista

Incentivo e reconhecimento

Este projeto de Ângelo e equipe é um exemplo de que ideias brilhantes podem sim transformar vidas de estudantes que carecem de profissionais dispostos a fazer diferente. Ideias premiadas e reconhecidas. Movido por esse propósito, o Prêmio CPB Edu foi idealizado com intuito de reconhecer o trabalho daqueles que inovam em seu cotidiano. “Fazemos um programa como esse para estimular o professor a usar sua criatividade, vibrar em sala de aula, ir além do óbvio, do comum, e, assim, possa educar da melhor maneira. Para mim, propostas como essa elevam o nível da Educação Adventista”, salienta o pastor Erton Köhler, líder da Igreja Adventista para toda a América do Sul. O pastor José Carlos de Lima, diretor Geral da Casa Publicadora Brasileira (CPB) , acrescenta que “além de reconhecer a importância dos educadores, o prêmio também incentiva a utilização criativa do material didático adventista que, desde o início, tem se destacado como uma notável frente missionária da igreja”.

A segunda edição do prêmio contou com mais de 700 projetos cadastrados. Esses projetos,  sob supervisão da Caixa Econômica Federal, foram analisados e selecionados 40 finalistas. Ficaram oito representantes em cada uma das cinco categorias: Educação Infantil; Séries iniciais do Ensino Fundamental; Séries finais do Ensino Fundamental; Ensino Médio; e Coordenação Pedagógica e Orientação Educacional. “A análise dos projetos foi conduzida pela Comissão Avaliadora, designada pela Casa Publicadora Brasileira, composta por professores especialistas em cada nível de ensino”, explica Vivian Fiuza, coordenadora pedagógica da CPB e uma das organizadoras do prêmio.

Vindos de todo o Brasil, os professores assistiram de perto o evento. “É inevitável a alegria e satisfação. Após muito trabalho ver seu projeto estar entre os 40 melhores do país, e saber que ele fez a diferença na vida do meio escolar e de seus alunos, é um valor incalculável”, destaca Tarcísio Goese, finalista e professor de Música e Artes do Instituto Petropolitano Adventista de Ensino (Ipae). Todos os finalistas ganharam um cartão com 2 mil Reais. Além desse valor, os vencedores de cada categoria foram presenteados com o troféu de campeão e mais 4 mil Reais, recebendo, ao todo, 6 mil Reais pela vitória.

O programa

A programação aconteceu na tarde do dia 3 de dezembro, na sede da CPB, localizada em Tatuí (SP). Quase 600 pessoas acompanharam a cerimônia. A programação foi marcada por homenagens artísticas, envolventes e emocionantes que enalteceram e reconheceram o trabalho do professor. “Os projetos participantes são concebidos para melhorar os processos de ensino-aprendizagem, e atingir melhor seus objetivos. Ou seja: celebra o amor dos nossos professores por seus alunos”, explica o pastor Edgard Luz, diretor da Educação Adventista para a América do Sul.

Um dos pontos altos da programação foi a sequência cinematográfica em que os professores Alexander Dutra e Rérison Vasques, respectivamente gerente e gerente assistente da CPB Educacional , “resgataram” os prêmios para levá-los em tempo para o evento.  “Os livros didáticos são um importante fator de unidade e alinhamento filosófico da Educação Adventista, mas entendemos que os livros são apenas instrumentos à disposição dos professores. Assim, valorizar o que estes são capazes de fazer em sala de aula é vital e muito recompensador”, comenta Dutra.

Outro momento muito marcante foi o batismo da Marilda Isabel Ferreira da Silva. Ela conheceu a Igreja Adventista por meio da sua filha, que teve a família completa entregue a Deus por influência dos livros didáticos da CPB. “Assim, para nós, a educação é muito mais do que apenas um trabalho, mas uma oportunidade de levar a Palavra de Deus e a mensagem de esperança”, enfatiza o pastor Lima.

Assista o programa completo pela página do Facebook da Educação Adventista Brasil:

Outras imagens do evento:

Confira a lista completa de finalistas e os vencedores de cada categoria

Coordenação Pedagógica e Orientação Educacional

Cláudia Alves Moreira Ramos (vencedora) – Projeto “SIHUMA (Simpósio de Ciências Humanas): 30 anos da Constituição Federal Brasileira de 1988: Caminhos e desafios para a cidadania”       

Carulina Alves Pires Ritter

Dayane Soares da Silva

Geisa Gabriely da Rosa Helene

Jany Lima da Cunha Guedes

Marta Naiá Ferreira de Souza

Tania Lopes dos Santos Brasil

Thania Suemi Tateishi Miyano

Educação Infantil

Juliana Miranda Souza Damasceno (vencedora) – Projeto “Família: ideia divina”

Ana Cristina Maciel Dias

Eliana Alves de Oliveira

Juliana Moraes Chagas de Oliveira Mendes

Juliana Mota Braga Almeida

Daniele Pereira Medeiros

Larissa Gomes de Queiroz

Maryellem Gonçalves da Silva Santos

Séries Iniciais do Ensino Fundamental

Bruna de Oliveira Passos Vital (vencedora) – Projeto “Água para mim, fonte de vida sem fim”

Adriana Paula dos Santos Garcia

Ana Carolina do Nascimento Hidalgo

Darty Cleia Messias Santos

Eliane dos Santos Silva Carvalho

Kezia Gonçalves Pires dos Anjos

Luzia de Souza Farias Xavier

Thalita de Mattos Garcia Matias

Séries Finais do Ensino Fundamental

Maria Aparecida Silva Lima (vencedora) – Projeto “Trânsito consciente” 

Alvaro Reis Chaves

Amanda Gomes dos Santos

Ana Paula dos Santos Munduruca

Fabricio Luis Lovato

John Lennon Moura Lima

Leiane Marcia Santana Cardoso

Tarcisio Goese

Ensino Médio 

Ângelo Bandeira de Moura Bernardes (vencedor) – Projeto “Domus: é jogando que se aprende”

Adriana Rocha de Souza Drumond

Andre Costa Machado Silva

Athila Negreiros da Silva

Elessandra Mara de Souza Lira

Enoque Cisterna dos Santos

Sandro Moraes

Weslley Kleber de Oliveira

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox