Notícias Adventistas

Os bastidores das aulas online no UNASP: como o conteúdo chega às casas dos alunos

Por Aira Annoroso 25 de março de 2020

Professor Alberto Leite, do curso de Gastronomia, em sua casa durante aula ao vivo.

Há alguns meses a população mundial não imaginava que enfrentaria um dos momentos mais difíceis da história: a pandemia da Covid-19, um novo coronavírus que tem acometido os brasileiros, principalmente no território paulista. Como medida de precaução recomendada pelo governo estadual, o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp) suspendeu as aulas presenciais temporariamente, a fim de evitar a propagação do vírus. Todavia, os alunos não foram prejudicados, e diversas medidas foram tomadas para que isso não acontecesse.

Desde a semana passada, nos dias 18 e 19 de março, alunos e professores participaram de treinamentos a fim de aprenderem como manusear as novas ferramentas de ensino: o Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), onde as atividades e materiais de leitura e apoio para as aulas são disponibilizados; e o aplicativo Zoom Cloud Meetings, onde ocorre a interação ao vivo entre os docentes e discentes. Entretanto, para que o conteúdo chegue de forma efetiva às casas dos alunos durante o período de isolamento social, há muito trabalho sendo feito nos bastidores.

Os coordenadores por trás das telas de computador

O primeiro dia de aulas ao vivo dos alunos foi na última segunda-feira (23), mas foi um dia antes que a coordenadora do curso de Enfermagem do Unasp campus São Paulo, Me. Vivian Zorzim, fez testes nas novas plataformas com todas as turmas, para que não houvesse dúvidas durante a aula. Vivian viu sua rotina de trabalho mudar completamente diante das circunstâncias, mas acredita que esse período temporário de aulas síncronas tem tudo para dar certo. “Antes das aulas online começarem, eu criei uma reunião virtual com todas as turmas, mostrei como funcionava a tela, como compartilhar apresentações e vídeos”, diz.

Aula ao vivo do curso de Enfermagem em versão mobile, com a professora Dra. Gina Abdala.

Durante este tempo de isolamento social e aulas online, como coordenadora, Vivian lida com a equipe de suporte técnico auxiliando-a, com os professores do curso de Enfermagem de forma individual para tirar dúvidas e solucionar as dificuldades quanto às ferramentas tecnológicas; e com os alunos, para que eles entendam que apesar de estarem em casa, as aulas são reais e exigem o mesmo comprometimento.

“Para os professores esse momento tem sido desafiador porque nem todos estão acostumados a lidar com tecnologia, mas depois que eles passam pela experiência todos são unânimes em dizer que estão mais fortalecidos”, afirma Vivian.

No Unasp campus Hortolândia, os coordenadores dos cursos de Educação Física e Administração, Dr. Ledimar Brianezi e Dr. Alex Landim, destacam que o trabalho junto ao grupo de professores tem sido intenso apresentando as novas possibilidades e ferramentas. “Temos realizado reuniões e treinamentos online constantemente para capacitar e dirimir todas as dúvidas dos professores”, conta Brianezi.

“Nós como coordenadores estamos acessando todas as salas de aula online. Eu entrei de uma a uma, conversei com os alunos e professores, e depois com os representantes de cada classe (…) os professores estão inovando, buscando conteúdos diferentes ao usar o AVA, o Zoom, o YouTube, e todos os meios de comunicação para tornar a aula dinâmica, e os feedbacks dos alunos têm sido positivos”, completa Landim.

Os professores por trás das telas de computador

O docente da Graduação e da Pós-graduação em Engenharia Civil, Me. Leandro Küster, do Unasp campus Engenheiro Coelho, já estava familiarizado com o sistema de aulas ao vivo, haja vista que este era o modo como leciona na Pós-graduação desde o início deste ano. Porém, ainda há a necessidade de fazer adaptações para que os universitários tenham compreensão total do conteúdo.

Resultado prático de aluno após aula ao vivo do curso de Gastronomia.

“Nas disciplinas de exatas nós costumamos usar bastante o quadro porque fazemos muitos cálculos, então para solucionar isso alguns professores têm usado uma mesa digitalizadora para desenvolvê-los como se fosse um quadro (…)”, exemplifica Küster.

Alguns cursos possuem mais aulas práticas, como Gastronomia no campus São Paulo, mas as aulas online não foram um empecilho para que os professores desenvolvessem as atividades de “mão na massa”. Segundo a coordenadora e professora, Me. Evellin Müller, as aulas de panificação e confeitaria são ministradas nos laboratórios com os alunos executando as fichas técnicas, e na adaptação para as aulas online, os docentes estão transformando suas casas em cenários. “A partir disso incentivamos o aluno a realizar o passo a passo ao vivo, começando pela teoria, calculando as fichas técnicas, fazendo o mise en place e executando a preparação”, explica.

Suporte técnico

Além do trabalho incansável de coordenadores e professores nos bastidores, há também as equipes de Tecnologia da Informação nos três campi do Unasp, que prestam todo o suporte técnico a eles, e disponíveis a qualquer momento do dia.

Segundo o gerente de Tecnologia da Informação (TI) do campus São Paulo, José Carlos Basílio, o departamento recebeu o desafio de manter todas as operações em funcionamento com um misto de apreensão e expectativa para trazer a melhor experiência aos usuários mesmo sendo em um ambiente virtual.

José Carlos Basílio prestando suporte técnico à professora para ministração de aulas.

“Preparamos o grupo para as diversas situações que poderíamos enfrentar. Temos o privilégio de ter parte da equipe que mora no campus, pois além da comunidade externa, temos também o desafio de atender a comunidade interna: alunos, funcionários e diretores… todos utilizam a infraestrutura de dados e voz que o campus proporciona. Realizamos também treinamentos remotos com os professores para adaptarem-se o quanto antes às ferramentas escolhidas para as aulas síncronas”, afirma Basílio.

Rodrigo Baradel, que faz parte da equipe, explica que cada técnico fica responsável por acompanhar um curso. “Acessamos as salas de aula virtuais e acompanhamos para ver se está tudo ocorrendo bem, e se precisar de suporte nós ajudamos e em seguida vamos para outra sala”, diz.

Para a coordenadora do curso de Enfermagem, Me. Vivian Zorzim, o apoio da equipe de TI foi imprescindível para que as aulas ao vivo dessem certo. “Eu como coordenadora estou trabalhando muito, mas a equipe de TI está trabalhando muito mais (…) eles disponibilizaram para nós um número de Whatsapp e endereço de e-mail onde estão nos respondendo o tempo todo. A gente tem uma rede de suporte online para acesso remoto, onde eles conseguem entrar no nosso computador por rede e nos ajudar, além de terem criado todos os logins de sala de aula para os alunos e professores”, comenta.

Basílio concorda que o que se pede neste momento para obtenção do sucesso nesta nova experiência de trabalhar remotamente é disciplina, mudança de cultura e flexibilidade. “Disciplina, pois o trabalho e nossos alunos, professores e demais colaboradores estarão sempre lá nos dias e horários combinados. Mudança de cultura, pois devemos estar sempre abertos para o novo. Flexibilidade, pois em cada atendimento precisamos providenciar uma solução diferente para atender as necessidades deles, já que a mesma receita de bolo não serve para todos”, conclui.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox