Notícias Adventistas

“Nascidos para Cativar” Formação de Educadores no Norte destaca unidade e inovação

Ao menos 100 profissionais de 34 escolas e colégios da rede de ensino Adventista no Norte, dos três estados (Pará, Amapá e Maranhão) possuem representantes na capacitação. 

Por Carol Nogueira e Gerllany Amorim 20 de março de 2019

Representantes de 34 instituições de ensino Adventista do Norte têm representações no encontro. (Foto: Gerllany Amorim)

Entre os dias 19 e 21 de março, a Faculdade Adventista da Amazônia (FAAMA) recebe cerca de 110 profissionais para o “Nascidos para Cativar”. Encontro de Coordenadores Pedagógicos e Orientadores Educacionais da rede adventista de educação no Norte do Brasil. Entre os ministrantes de palestras e oficinas práticas, estão a professora Ani Littke, coordenadora pedagógica da União Sul Brasileira da Igreja Adventista do Sétimo Dia; Valquíria Couto, mestre em educação; Paulo Ross, doutor em educação e Franciellen Mendes, especialista em redação.

No cronograma de atividades são oferecidos aos participantes palestras, mesas redondas e painéis onde representantes dos oito campos de atuação da rede discutem assuntos como inclusão social nas escolas, ensino bilíngue, metodologias e adequação à Base Nacional Curricular Comum (BNCC).

Na prática, os profissionais aprendem e sugerem novas técnicas para otimizar o jeito de educar. (Foto: Gerllany Amorim)

Para a orientadora educacional da FAAMA, Daniele Garcia, a oportunidade de interagir é essencial. “Para nós que passamos tempo na escola, no dia a dia, é importante ter essa troca com coordenadores de outras escolas para saber como eles estão vivenciando as mesmas questões”, destacou Daniele. Ela aponta também a importância de adquirir conhecimento e estratégia: “A gente precisa disso para ajudar o nosso professor na sala de aula pra que ele se sinta seguro com a equipe técnica que ele tem na escola”.

O diretor da Educação Adventista para os estados do Pará, Amapá e Maranhão, Henilson Erthal, concorda que um dos propósitos do evento é a troca de experiências. “O motivo do encontro é alinhar os sistemas para trabalhar mais em unidade e alcançarmos mais resultados. Além de trocar idéias, conhecer o que está dando certo em um lugar e o que está dando certo em outro lugar e todos possam crescer juntos”, incentivou.

Trocar idéias, conhecer o que está ‘dando certo em um lugar e o que está dando certo em outro’, para que todos possam crescer juntos é o objetivo principal do encontro. (Foto: Gerllany Amorim)

Além disso, o encontro busca apresentar ainda, novidades a serem implementadas na rede como salientou a coordenadora pedagógica da rede, Lisiane Goetz. ” Nós trouxemos inovações de outros campos que estão caminhando em alguns processos que nós ainda sonhamos implementar. E quando você apresenta novidades de forma fundamentada você motiva, estimula a criatividade e a vontade de transformar a educação em algo melhor. Eventos assim trazem crescimento, conhecimento e unidade”, comemorou Lisiane.

A função do orientador na dinâmica Fé e Ensino

Tendo em vista a necessidade de se adaptar à Base Nacional Curricular Comum, documento aprovado no final de 2018 que define as aprendizagens essenciais que todo aluno deve assimila em todo o país, o Encontro buscou também reforçar a identidade da rede como instituição cristã. “Sem espiritualidade nós perdemos a razão de ser educação Adventista. Nós precisamos ensinar as letras, precisamos ter bons resultados, nós precisamos ser melhores do que somos mas sem nos esquecer das nossas raízes e o propósito da nossa existência”, defendeu Henilson.

Gisele Zahn, Orientadora Educacional da Educação Adventista no Norte do Brasil, explicou qual o papel do profissional na prática. “É uma função que está perdendo força nas últimas décadas em escolas não-cristãs. Mas, na rede Adventista, ela é um papel protagonista. Embora haja uma equipe, porque ele tem contato direto com o aluno, ele é quem acolhe e planta a semente, visita e lança a semente também na família. A gente tem visto muitas histórias de orientadores fazendo a diferença na vida dos alunos através dessas intervenções, através desse olhar diferenciado, dessa análise e mapeamento das turmas. Em histórias de conversão a Cristo, o orientador é quem, muitas vezes, faz essa ponte”.

Segundo a orientadora, é este profissional quem vai humanizar o relacionamento entre o aluno e o corpo docente. “O orientador é uma pérola de oportunidade para poder olhar para o aluno com um ser individual, com peculiaridades que podem precisar ser resgatadas em todas as esferas”, avaliou.

Professor e Doutor Paulo Ross, fala aos educadores sobre inclusão na educação, no segundo dia de encontro. (Foto: Gerllany Amorim)

Hoje, 20, o professor doutor Paulo Ross abriu a programação com sua emocionante palestra sobre inclusão no âmbito educacional. Amanhã, 21, no último dia de programação, a professora Franciellen Mendes oferecerá aos educadores oficinas de redação e projetos para que sejam executados em suas escolas.

Ao todo, pelo menos 100 profissionais de 34 escolas e colégios da rede de ensino Adventista no Norte, dos três estados (Pará, Amapá e Maranhão) possuem representantes na capacitação.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox