Notícias Adventistas

Faculdade Adventista da Bahia participa de sessão sobre doenças emocionais

A sessão no Plenário da Assembleia Legislativa da Bahia debateu a incidência de automutilação, depressão e suicídio. A instituição foi convidada para falar sobre os trabalhos realizado em prol dos jovens

Por Wiliane Passos 20 de agosto de 2019

Herbert Cleber, diretor de bem estar estudantil e pastor da igreja do câmpus foi o representante da instituição na sessão especial que aconteceu na Assembleia Legislativa da Bahia. Foto: Wiliane Passos

 A sessão debateu, com a participação de especialistas, a incidência de automutilação, depressão e suicídio entre os jovens. A instituição foi convidada para falar sobre os trabalhos desenvolvidos em prol da juventude. A iniciativa, proposta em conjunto pelos deputados José de Arimateia e Jurailton Santos, trouxe o tema em função da celebração do Dia Internacional da Juventude, ocorrido dia 12 de agosto. A cerimônia teve a intenção de transformar o Plenário da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) em palco de discussões minuciosas sobre assuntos relacionados a esta parcela da população.

Os proponentes destacaram para o público presente o tema “Automutilação, Depressão e Suicídio entre Jovens”, assuntos classificados como problemas de Saúde Pública em âmbito mundial. De acordo com informações da Secretaria Estadual de Saúde (SESAB), o ano de 2016 foi considerado como o maior em incidências de internações por autolesões. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também alerta que a Bahia é um dos estados brasileiros onde a depressão mais incapacita com um número de 24,2% de homens e 19% de mulheres.

Responsabilidade social

A participação da Faculdade Adventista da Bahia (FADBA) no evento serviu para destacar uma instituição que preza pelo cuidado do ser humano como um todo. Foram apresentados projetos de incentivo ao desenvolvimento em todos os aspectos: físico, mental, espiritual, social e emocional. As atividades envolvem projetos com a comunidade, como grupos de apoio, rodas de conversa, iniciativas dos alunos para apoio mútuo, parceria com o CVV e CRAS, núcleo de apoio psicopedagógico e clínica de psicologia com atendimento à comunidade.

A FADBA dispõe de um núcleo responsável pelo bem estar estudantil que engloba os aspectos de cuidado com todos os estudantes da instituição, que em parceria com as ‘capelanias’ e com os grupos diretos de atendimento, incentivam e promovem o envolvimento dos alunos em projetos de voluntariado na comunidade e eventos semanais de sociabilização para estudantes e membros da comunidade, além de dezenas de opções de atividades sociais e educativas.

Leia também:

Problema de saúde pública

Foram debatidos diversos aspectos dos temas destacados como sua origem nos diferentes tipo de violência como bullying na escola, na rua e na internet. Os convidados destacaram a falta de preparo psicológico para lidar com a violência e os desafios dos jovens de hoje e foi apresentada a importância de restaurar os valores nas famílias, nas escolas e consequentemente incentivar o respeito nas ruas.

Um dos destaques foi a preocupação em se ampliar a rede de cobertura e assistência a prevenção ao suicídio, através de projetos, e apoio aos centros já existentes, como o Centro de Valorização à Vida (CVV). Também foi destacada a importância de se colocar como sujeito ativo na sociedade e pensar o que fazer para mudar o panorama da sociedade, falar abertamente sobre o assunto e saber observar os sinais.

Em seu primeiro mandato na Casa Legislativa, o deputado Jurailton Santos, que é vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura, Ciência e Tecnologia e Serviço Público da ALBA, encabeçou este ano no estado a “Campanha Basta!”, que objetiva estimular a reflexão acerca da Automutilação, Depressão e Suicídio para que muitas vidas sejam preservadas. “Esse é um assunto que precisa ser tratado em todos os lugares. Por muito tempo eu trabalhei com jovens e conheci os dramas e conflitos diários que esses meninos e meninas vivenciam. Hoje eu conclamo todos os poderes desse Estado para nos unirmos nessa luta contra a automutilação, depressão e suicídio”, disse Juraiton.

Um dos objetivos da sessão especial foi o de alertar e incentivar a participação dos representantes de diferentes esferas sociais nas campanhas de cuidado da juventude. Foto: Wiliane Passos

A sessão especial contou com apresentações do grupo de cultura Força Jovem Universal, abordando as temáticas do evento. O deputado trouxe dados do Ministério da Saúde que colocam o Nordeste como a terceira região do país em casos notificados de automutilação. “De acordo com a Sesab, nos últimos 10 anos, mais de 550 adolescentes foram atendidos na rede pública baiana após cometerem a autolesão”, revelou Jurailton.

Entretanto – como ressalvou ele próprio e a convidada Marinês Marques, mestra em Saúde Pública – é consenso entre especialistas que esses números estão subnotificados. Segundo Marinês, a depressão é uma ‘epidemia silenciosa’, que se tornará a doença mais incapacitante do planeta até 2020. “O IBGE já mostra que a Bahia é um dos estados onde a depressão mais incapacita, no Brasil são 11,5 milhões de pessoas que sofrem com a doença”, relatou. Ela citou como avanço recente a Lei nº 13.819, de 26 de abril desse ano, que criou a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio (PNPAS); um dos pontos é a notificação compulsória pelos estabelecimentos de saúde.

“Temos na Bahia uma dor que não se escuta, tão grande que leva uma pessoa ao suicídio por dia”, relatou a psicóloga Dinalva Cardoso, acrescentando que, na sua maioria, são jovens de 15 a 29 anos. A profissional lamentou que o suicídio ainda seja um tabu na sociedade e parabenizou a discussão do tema na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), desejando que o tema esteja sempre em discussão e não apenas no mês destinado a ele, o ‘setembro amarelo’.

Prevenção

O deputado Capitão Alden alertou para o número de suicídios que tem ocorrido na capital baiana, refletindo sobre a necessidade de medidas preventivas.  “Salvador configura-se na terceira capital em maior número de suicídios no Brasil”, disse o parlamentar. Ele discorreu sobre a ausência de telas de proteção em locais públicos de grande circulação de pessoas, como passarelas e viadutos, informando que já tramita na Casa um Projeto de Lei número 23.066/2019, de sua autoria, para que o Governo do Estado instale redes ou gaiolas de proteção nesses locais.

Representando o Governo do Estado, a coordenadora de Juventude da Secretaria estadual de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Fernanda Sampaio, elogiou a iniciativa, sugerindo que os deputados Jurailton e Arimateia promovam uma audiência pública sobre as temáticas, abrindo possibilidade para ouvir a sociedade e outros segmentos. Já o coordenador de Juventude da Secretaria de política para as Mulheres, Infância e Juventude de Salvador, Bruno Moreno, que representou a secretária municipal Rogéria Santos, defendeu mais oportunidades para os jovens, citando seu próprio exemplo e trajetória, iniciada com um estágio no serviço de sonorização da ALBA.

Também compuseram a mesa da sessão: os vereadores de Salvador, Isnard Araújo, e de Simões Filho, José Arnoldo; o especialista em direitos da Criança e do Adolescente, Marcus Magalhães; o professor e advogado Jackson Lessa; o diretor de bem-estar estudantil da Faculdade Adventista da Bahia, Herbert Cleber Cadeira; o pastor Walterley Macedo; e o coordenador do Força Jovem Universal (FJU), pastor Caio Dantas.

A campanha “Basta”, que alerta sobre a temática, foi apresentada e defendido pelos componentes da sessão especial. Foto: Wiliane Passos

Acompanhe o programa na íntegra:

https://www.facebook.com/legislativodabahia/videos/2440282872909068/

Informações: Agência ALBA

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox