Notícias Adventistas

Ex-aluna retorna à escola 30 anos depois para incentivar a leitura

Ana Paula Marini tornou-se escritora e participou de uma Tarde de Autógrafos em Colégio Adventista na região Leste paulista

Por Vanessa Moraes 4 de dezembro de 2018

Ana Paula Marini autografou mais de 200 livros (Foto: Elvis Natali)

O brasileiro está lendo mais. É o que aponta a quarta edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada em maio de 2016. O estudo, realizado em todas as regiões do país com mais de 5 mil pessoas a partir dos 5 anos de idade, revelou um aumento de 6% no número de leitores em comparação ao que foi registrado em 2011. De acordo com o levantamento, 104,7 milhões de brasileiros são leitores, o que representa 56% da população.

Leia também:

Uma pequena parcela desse montante são alunos da Rede Adventista de Educação. Na zona leste de São Paulo, o Colégio Adventista de Vila Alpina promove um curso de leitura que ao longo do ano incentiva os estudantes a terem cada vez mais contato com o mundo de possibilidades que somente a leitura é capaz de oferecer.

“É muito importante o incentivo à leitura para que o aluno possa desenvolver o raciocínio, aumentar o vocabulário, adquirir conhecimento e até mesmo se expressar no dia a dia”, afirma Raquel Gomes Sanches, professora de língua portuguesa.

Quem provou de todos esses benefícios foi a ex-aluna da Educação Adventista, Ana Paula Marini. Nos anos 80 ela cursou os dois primeiros anos do Ensino Fundamental no Colégio Adventista de Vila Alpina, e agora, 30 anos depois, retorna à escola como escritora. “Eu tenho vontade de transmitir essa mensagem para as crianças, a questão da leitura, pela qual sou apaixonada, e também da união, do respeito às diferenças”, diz a escritora.

Autora interpretou história contada em seu livro (Foto: Elvis Natali)

Tarde de Autógrafos

O livro “O Lápis Cor da Pele do Menino Marrom”, uma das quatro obras de Ana Paula, faz parte do curso de leitura da escola. E para tornar o projeto mais lúdico, a escritora foi convidada para uma tarde de autógrafos, onde pôde cantar e interpretar suas histórias para 238 alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental.

A obra chegou a concorrer ao prêmio Jabuti deste ano. O livro trabalha com o tema racismo, e foi baseado em fatos reais, na história da família da autora. “‘O Lápis Cor da Pele do Menino Marrom’ surgiu de uma vivência que tenho com meu filho. Ele foi adotado e tive experiências de racismo, de diferenças, eu senti na pele dele o que era o racismo, algo que antes eu não entendia”, revela Ana Paula.

A pequena Mariana Mota, de 10 anos, participou da tarde de autógrafos. Ao ler o livro, ela conseguiu captar a principal mensagem. “Eu aprendi que as pessoas são diferentes, cada um tem a sua cor”, compartilha.

Para o diretor da unidade escolar, professor Washington Luiz Volzzi, a presença de Ana Paula foi importante para reforçar o incentivo à leitura ao mesmo tempo em que as crianças aprendem sobre um tema tão importante. “Os alunos saem daqui sabendo que a leitura os ajuda a compreender melhor o mundo e a respeitar as pessoas, levando isso não só para a família, mas para a sociedade, que precisa de um pouco mais de respeito”, afirma Volzzi.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox