Notícias Adventistas

Escola Adventista de Natal é prata na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

A medalha foi conquistada na 13ª Mostra Brasileira de Foguetes que aconteceu no Rio de Janeiro, de 16 a 19 de dezembro em Barra do Piraí.

Por Andréa Figueiró 20 de dezembro de 2019

Participaram do evento mais de 1300 alunos e professores, de escolas públicas e privadas, do ensino fundamental e médio de todo o Brasil, que durante mais de seis meses estiveram elaborando o projeto e trabalhando na construção de um foguete, a partir de garrafas pet e outros materiais recicláveis. O objetivo da mostra incluía não só a construção do protótipo, mas lançar o mais longe possível, esses foguetes.

Em Natal, Rio Grande do Norte, a equipe do EAN aproveitou a orla da capital para fazer os testes, onde os estudantes observavam a aerodinâmica e faziam os ajustes para deixar o foguete mais leve, o que ajudou na pressão e consequentemente, no processo de decolagem e voo na nave.

Os exemplares apresentados no evento científico, pelo grupo do fundamental II da instituição, usaram como combustível; água e ar comprimido, como também, uma bomba de encher pneu de bicicleta e uma base feita de cano de PVC.

Para o professor Robson Brito, que esteve à frente de todo esse processo, a jornada proporcionou um grande diferencial na vida acadêmica de todos. “ Essa foi uma oportunidade única, pois ampliou nossos horizontes no conhecimento da astronomia e astronáutica, como também, no compartilhamento de informações com outras equipes de todo o pais. A equipe cresceu como um todo, isso não tem preço”, declarou.

Amanda Santos, uma das integrantes do grupo disse que não foi fácil, mas que agora é sonhar com o ouro. “Deu muito trabalho, mas receber essa premiação junto aos colegas foi muito gratificante. Nos superamos. Agora, é atingir a nova meta, ouro no próximo ano”, afirmou.

Os participantes puderam ainda, além de visitar oficinas, aprender sobre outros modelos de foguetes com uso de papelão, tecido, dentre outros, e compartilhar experiências com universitários de 40 universidades brasileiras que estavam expondo seus materiais. Além disso, prestigiar sessões no planetário móvel da OBA, onde tiveram noções de astronomia e palestras com engenheiros da Agência Espacial Brasileira.

Receberam a premiação as alunas: Amanda Santos, Rosane Macêdo e o Professor Robson Brito que alcançaram a distância de 128, 8 metros no lançamento do seu foguete.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox