Notícias Adventistas

Educação Adventista proporciona experiências que vão além do currículo

Conheça as opções de troca de conhecimentos e experimentações culturais oferecidas pelas instituições de ensino da Rede Adventista.

Por Ana Tália Coelho e Mairon Hothon 14 de dezembro de 2018

Para os estudantes que estão em alguma faculdade adventista, os intercâmbios são mais acessíveis devido as parcerias entre instituições.

O terceiro episódio da Série Além do Ensino apresenta as oportunidades que os universitários da Rede Adventista de Educação encontram para desenvolver atividades nas áreas de estágio profissional, intercâmbios internacionais e voluntariado.

Pr. Éber Liesse, diretor da FADBA, ressalta a importância do profissional ter um ideal que o motivo ir além do salário.

No correspondente ao voluntariado – uma experiência espontânea em que o indivíduo doa uma parte do seu tempo, sem receber remuneração, para executar atividades de bem-estar social – as Instituições de Ensino Adventistas oferecem diferentes possibilidades para os estudantes contribuírem para o progresso na vida de outras pessoas ou comunidades.

“Nós temos a preocupação de que o jovem seja um profissional de destaque na empresa ou no serviço público, mas também na preparação de projetos para a melhoria das comunidades próximas a ele”, explica o Pr. Éber Liesse, Diretor da Faculdade Adventista da Bahia (FADBA).

Partindo desta ideia, a nutricionista Carla Hurtado percorreu mais de 5 mil quilômetros do país de origem, o Peru, para servir como voluntária na Faculdade Adventista da Amazônia (FAAMA) unindo o aprendizado profissional aos princípios morais. “Sou muito feliz e realizada por além de fazer o serviço voluntário, seguir a carreira que escolhi para servir a Deus”, reflete a voluntária responsável por elaborar o cardápio dos alunos e colaboradores da faculdade.

Outro exemplo de contribuição social, através do serviço voluntário, aconteceu na Amazônia, na cidade ribeirinha de Nova Jerusalém, onde cerca de 7 mil famílias vivem em estado de pobreza sem acesso a energia elétrica, saneamento básico e sem educação até 2016. Há 2 anos, as crianças desta comunidade foram presenteadas com as primeiras salas de aula da Escola Adventista Técnica do Massauri.

“Normalmente, nós enchemos um barco com capacidade para 30 pessoas. Dessa vez, levamos oito barcos, aproximadamente 230 voluntários”, conta Rolf Maier, arquiteto e líder de voluntariado no UNASP, campus Engenheiro Coelho, a respeito da experiência de coordenar uma equipe com centenas de pessoas para construir a escola na região amazônica.

Universitários do UNASP, em Engenheiro Coelho, dedicaram suas férias para fazer voluntariado no interior do Amazonas.

Débora Soares, estudante voluntária, participou do projeto pela segunda vez dedicando parte das férias universitárias para o desenvolvimento da atividade. “É uma experiência totalmente diferente. Na primeira vez que eu fui fiquei muito ansiosa porque nosso hotel e refeitório seria num barco. Mas, chegando lá, Deus nos capacitou e nós já não nos importávamos com coisas mínimas, como aonde íamos dormir ou comer”, revela a universitária sobre os dias vividos no interior do Amazonas.

Por consequência da união de forças do grupo, a instituição de ensino que deveria ser finalizada, apenas em 2024, teve as obras adiantadas proporcionando conhecimento para 50 crianças matriculadas no Ensino Básico. No entanto, os planos para a educação na região continuam e o próximo objetivo é a construção de salas de aula para o Ensino Superior.

“Nós percebemos, depois de alguns anos, a mudança na forma da comunidade ver a educação. Eles passam a ter interesse de que os filhos se formem e sejam bons cidadãos. Para nós, essa transformação é o mais importante”, esclarece Maier que desde 2014 participa de atividades de serviço voluntário.

Segundo David Penner, há um conceito concebido por alguns anos no campo da Liderança, para melhorar a vida de outros indivíduos, chamado Liderança Servidora. “É a ideia de que o trabalho de um líder existe para servir os outros, para tornar as coisas melhores para as outras pessoas, empregados, membros da igreja e moradores das comunidades”, explica o PhD em Liderança pela Universidade Andrews nos Estados Unidos.

Estágio profissional

Proporcional ao programa de voluntariado, o estágio profissional é outra atividade disponível para os estudantes das instituições adventistas de ensino. O estágio é o instrumento de complementação dos estudos numa área de formação específica, podendo ser realizado ainda no Ensino Médio – quando o aluno também participa de um curso técnico – ou em período estabelecido pela faculdade.

A Faculdade Adventista de Minas Gerais, a FADMINAS, realiza um intercâmbio profissional para acadêmicos e colaboradores, com estágio de 10 dias. A tarefa possibilita aos alunos das unidades de ensino a troca de experimentações com empresas de outros países.

“Assim que voltei, já coloquei no meu currículo o intercâmbio. Eu adquiri muito conhecimento e percebi que me tornei uma profissional mais flexível durante esse período”, admite Jéssica Barbosa participante de um intercâmbio profissional no Chile pela FADMINAS.

Na visão de Eduardo Silva, Diretor Acadêmico da FADMINAS, o estágio profissional demonstra ao universitário, de forma efetiva, a importância da educação. “O aluno pode ver que visitar uma empresa é importante.  O que ele aprende em sala de aula, ele enxerga na prática”, afirma o diretor. Além disso, a oportunidade permite o teste da inteligência emocional do estudante através de sua inserção em um novo ambiente onde se aprende a conviver e respeitar as diferenças.

“Não dá para as pessoas atuarem de forma isolada ou solitárias. Normalmente, elas precisam desenvolver uma capacidade de trabalhar em grupo ou num time”, afirma Joel Dutra professor da Universidade Pública de São Paulo.

Para assistir a série completa da temporada Intercâmbio Adventista, acesse: https://www.feliz7play.com/pt/intercambio-adventista/ 

Intercâmbio cultural

O intercâmbio cultural é também uma das opções de troca de experiências mais procuradas pelos estudantes adventistas. Tal atividade, além de ser uma oportunidade de aprender uma nova língua, funciona como uma forma de conhecer outras culturas, promover relacionamentos e desenvolver habilidades ainda desconhecidas.

Letícia Kaori, estudante da FAAMA, já no Ensino Médio pôde vivenciar uma experiência internacional

A estudante do Ensino Médio, Letícia Kaori, viajou pela Europa durante um intercâmbio cultural promovido pela FAAMA, sendo a vivência internacional a porta de entrada para ampliar os estudos em sala de aula.

“Isso me incentivou a falar inglês. Conheci lugares que eu apenas tinha visto nos livros de história, como o Coliseu e o Pantheon”, revela Letícia que decidiu trocar a festa de 15 anos para fazer a viagem ao continente europeu.

Do ponto de vista de Anna Agostini quanto mais o aluno vive a troca de conhecimentos com outras culturas, mais resultados positivos ele terá. “85% do nosso sucesso está atrelado a relacionamento e só 15% a habilidade técnica, e isto endossa as experiências com outras pessoas e outras culturas”, justifica a consultora de Comunicação e Liderança.

No UNASP, campus Engenheiro, o Instituto de Línguas oferece aos alunos do Ensino Médio e Superior todo o suporte necessário para uma experiência de imersão em outra cultura, com direito ao estudo da língua do país nas universidades e colégios adventistas.

“Na parte acadêmica são oferecidas duas opções para os alunos participantes do intercâmbio adventista: a primeira é o estudo do idioma nativo do país para o qual ele está indo e a segunda é o estudo das matérias pertencentes a grade curricular do curso que o aluno faz aqui no UNASP”, esclarece a coordenadora do Instituto de Línguas Ariadne Quint.

E foi assim, no segundo semestre de 2014, o universitário Stephan Max, viajou para a Inglaterra e estudou por cinco meses no Newbold College – uma das faculdades da Rede Adventista Mundial de Educação – localizado na região metropolitana de Londres. “Uma coisa é você aprender uma língua nova, outra é você imergir na cultura de um país”, revela Max que durante o período do intercâmbio teve a oportunidade de se familiarizar com as comidas e o modo de viver dos ingleses.

Além dos estudos no colégio inglês, o estudante, lembra que participou de diversos passeios a museus, pontos turísticos da região e escolas tradicionais do país, como a Universidade de Oxford, guiados pelos colaboradores do NewBold. “Eu tinha um sonho de conhecer o metrô londrino, pois sou de São Paulo e sempre um garoto muito urbano”, lembra o universitário.

Na perspectiva de Max, participar do intercâmbio promovido pelo Instituto de Línguas do UNASP fez bastante diferença na imersão cultural vivida durante os cinco meses na Inglaterra. “Eu achava uma utopia participar de um intercâmbio, mas a faculdade tornou isso possível junto com os meus pais”, confessa o estudante de Jornalismo que desde o Ensino Fundamental sonhava em viver esta experiência.

Dentre os serviços disponibilizados pelo Unasp, através do Instituto de Línguas, para os estudantes que desejam estudar alguns meses fora do país, estão a estadia, cartão para refeições, fornecimento de material didático e aulas em período integral. Os principais destinos ofertados aos alunos do Ensino Médio e Superior são Estado Unidos, Canadá, Inglaterra, Áustria, Espanha e Itália.

Para saber mais sobre as experiências dos estudantes que passaram pelos intercâmbios adventistas, clique aqui:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox