Notícias Adventistas

Desbravadores plantam flores e esperança em escola municipal de Luís Eduardo Magalhães

Por Lene Salles 27 de novembro de 2019

Clube de Desbravadores Plêiades, da Igreja Adventista Central de Luís Eduardo Magalhães, se reúne todos os domingos na Escola Municipal Amabílio Vieira dos Santos. Durante o ano, cada unidade desenvolveu suas especialidades e algumas contribuíram para deixar a escola que os desbravadores utilizam ainda mais bonita. Era só observar o jardim de entrada da escola, para perceber que os meninos e meninas do Clube Plêiades capricharam.

Além de cuidar do Jardim, o Clube decidiu plantar sementes de esperança no coração dos estudantes e distribuiu 600 livros, O Poder da Esperança para Crianças, nesta segunda-feira (19), e alinhado com o projeto de leitura da escola, os professores estão usando o material em sala de aula.

A diretora do Clube, Lucidalva Barcelos, é também diretora da escola. A educadora falou do impacto que o clube tem feito nesta comunidade escolar.

“Eu como diretor do Clube e da escola Amabílio, tenho visto o cuidado dos nossos desbravadores com o espaço que ocupamos para realizar as atividades do clube, e isso reflete na comunidade. E para levar esperança para os alunos da escola, nesta segunda-feira, fizemos a entrega do livro missionário para crianças. Foi muito emocionante ver os pequenos lendo os livros, na hora do recreio, na fila quando esperavam o ônibus, no pátio da escola e até mesmo em sala no momento de leitura. Não imaginava que este material seria tão bem recebido pelas crianças e professores. A semente foi espalhada, os frutos a Deus pertencem”, comentou.

A professora de matemática do ensino fundamental I, ficou encantada com o livrinho, e já incluiu no seu planejamento para usar em sala de aula.“Gostei muito do material e vou utilizar na próxima aula”, declarou Almira Neta.

A aluna Samara dos Santos, da 1ª série do fundamental I, já leu duas vezes a historinha.“Eu gosto de história em quadrinhos e dos desenhos, li que o pais da garotinha não leia o recado que ela deu para o pai e era uma declaração de todo seu amor”, lembrou a estudante.

Para a desbravadora Ana Clara Fiúza a distribuição dos livros superou suas expectativas.“Cada criança que pegava o livro já ia abrindo e quando eles viam que era uma história em quadrinhos já começavam a ler, foi muito legal entregar esse presente e ver que eles gostaram”.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox