Notícias Adventistas

Colégio adventista inicia ano letivo ao ar livre e orienta alunos sobre combate ao zika vírus

Atividades aconteceram no espaço do Jardim Botânico de Porto Alegre e reuniram turmas de Ensino Médio.

25 de fevereiro de 2016
aula ao ar livre

A iniciativa do Colégio Adventista do bairro Partenon, em Porto Alegre, deu incentivo para tornar o aprendizado mais leve. (Foto: Josean Muslera)

Porto Alegre, RS… [ASN] A moleza, enfim, acabou pra eles. O clima de férias e descontração ainda dá as caras nos primeiros dias. Faz parte. Mas o retorno destes estudantes ao primeiro semestre letivo não foi como o de sempre. Desta vez, tudo ocorreu ao ar livre, com carteiras –do jeito que acontece na escola – mas feito no espaço do Jardim Botânico da capital gaúcha.

Leia mais:

Educação Adventista mobiliza mais de 200 mil alunos contra zika vírus
Clique aqui para ver a galeria completa de imagens da aula ao ar livre

A iniciativa do Colégio Adventista do bairro Partenon deu um incentivo para tornar o aprendizado mais leve e, ao mesmo tempo, mais relevante. Além das disciplinas tradicionais, como matemática e geografia, eles estudaram sobre o fenômeno dos ventos que destruíram várias partes da cidade no mês de janeiro e receberam informações sobre um tema que está movimentando todo o país: o combate ao mosquito Aedes Aegypti.

“Esse ambiente aqui do Jardim Botânico é bem propício pela biodiversidade e ajuda a resolver com os alunos, estes dois assuntos que estão bem em alta”, explica Nádia da Silva, coordenadora pedagógica do colégio.

Em uma das palestras, a professora de biologia Neyla de Azevedo falou sobre como identificar possíveis focos nas residências, como evitar a proliferação e sobre sintomas da dengue, do zika vírus e da febre Chikungunya. “A gente mostrou uma técnica que está sendo bastante divulgada nas redes sociais que se trata de utilizar uma meia de nylon para proteger os pratinhos e eliminar as possibilidades de proliferação do mosquito”,

A pedagoga também abordou alguns mitos ligados ao assunto, como por exemplo, o que afirma que o inseto se prolifera apenas em água limpa, momento que chamou a atenção da aluna Giulia Mattos (à dir. na foto). “Isso, sobre ele se proliferar das duas formas, eu não sabia… Eu aprendi hoje”, conta.

zika virus2A estudante Monica Figueiredo (à esq. na foto) acredita que o formato de aula ao ar livre favoreceu o estudo do tema. “É ao ar livre onde mais têm essas situações de água parada, de descuido, pois é onde as pessoas não enxergam, não está ao alcance da visão delas e é muito melhor uma aula assim em contato com a natureza”, opina.

O líder da rede educacional adventista para o leste e sul do Rio Grande do Sul, Antônio Barreto, compreende que o fundamento de utilizar o meio ambiente para educar tem relação direta com a origem do ser humano, descrita no livro bíblico de Gênesis. “Eu imagino a primeira aula que o ser humano teve na natureza quando o professor era o próprio Criador. E nesta aula, Ele falou sobre o relacionamento que ele [homem] precisava desenvolver com a natureza. Essa relação faz parte da nossa vida e, é possível, hoje, a gente continuar desenvolvendo isso com uma responsabilidade ambiental de tal forma que a gente aproveite o que a natureza nos oferece sem agredi-la. Por isso trouxemos nossos alunos para cá, para que explorassem essa relação”, explica.

A proposta do colégio foi noticiada pelo jornal Zero Hora. A galeria completa de imagens pode ser acessada clicando AQUI. [Equipe ASN, Willian Vieira]

Assista a reportagem veiculada no programa Revista Novo Tempo:

 

nota zero hora

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox