Notícias Adventistas

Aos 68 anos, ciclista atravessa Argentina para construir escola

Arrecadando doações e promovendo o projeto de construção de um centro educacional adventista, Ramón pedalou mais de seis mil quilômetros

13 de novembro de 2015

Da redação, com informações de Eliana Villega

Ramón Verón na antiga bicicleta na qual planeja percorrer mais de seis quilômetros.

Ramón Verón na antiga bicicleta, na qual percorreu mais de seis mil quilômetros lor um propósito. (Foto: Arquivo pessoal)

Com o objetivo de construir uma escola na cidade de Escobar, localizada no nordeste da província de Buenos Aires, Argentina, Ramón Verón, 68 anos, que atua como líder na igreja adventista local, iniciou no dia 8 de novembro seu percurso de seis mil quilômetros entre La Quiaca e Ushuaia (cidades argentinas) para recolher doações e promover o projeto de construção do centro de estudos. “Não tenho como colaborar financeiramente, mas sei andar de bicicleta”, Ramón diz. Seu esforço faz parte do projeto Todos x Uma Escola.

Verón sente como sua a necessidade de que haja escolas adventistas. Os quatro filhos receberam uma educação adventista e, hoje, seus cinco netos também. Ramón deseja que, assim como eles, muitas outras crianças possam desfrutar da “educação para a eternidade”.

Uma de suas filhas, Florencia, concluiu o curso superior como assistente executiva na Universidad Adventista del Plata e, depois da formatura, foi atuar como missionária no Uruguai. Ao voltar para o país natal, Argentina, decidiu acompanhar o pai nessa aventura. “Desde pequena, meus pais me ensinavam que o principal era estudar e ajudar aos outros, e isso também me foi transmitido na escola. Fez com que minha mente se abrisse e eu sentisse que os outros vêm em primeiro lugar”, relata a jovem de 22 anos.

“Jovens assim têm uma atitude que melhora a família, o bairro e o país. Creio que dessa escola sairão jovens que tornarão isso realidade”, diz Ramón quando se lembra das crianças do bairro. “Penso neles e em meus cinco netos. Gostaria que eles pudessem frequentar essa escola”, ele acrescenta.

Ao ser perguntado sobre sentir-se seguro ou não, pouco antes de empreender sua travessia, Ramón declarou ao diário El Clarín de Argentina que “sempre há um risco, mas Deus está conosco e nos ajuda mesmo na situação mais difícil. E muito mais se fazemos pensando nos demais”.

Os sonhos de Ramón não se resumem à construção de uma escola de ensino fundamental. Ele diz que “no futuro, iremos fazer outra coisa para o ensino médio, porque Deus não tem limites”.

Para percorrer o país de norte a sul, o ciclista usa uma bicicleta de corrida, sua companheira há 18 anos. Sua ideia era conseguir uma nova, mas não foi possível. “Esta é velhinha, mas anda bem”, ele diz com um sorriso.

O projeto

A iniciativa surgiu de um grupo local de membros adventistas que têm o desejo de oferecer às crianças da região uma educação integral, com inclusão de valores e filosofia cristãos, fundamentados na Bíblia. O pastor Diego Varrenti, do distrito de Escobar, informou que há dez anos tem o desejo de contar com uma escola local. “Existe o terreno [a alguns metros do parque temático de Tamaiken] e são necessários 400 mil dólares para que o sonho do Ramón se torne realidade”.

Para Raúl Medina, que frequenta a igreja adventista de Escobar, os membros estão aderindo ao projeto com entusiasmo e emoção. “Todos estão motivados. Vemos a emoção na renovação dos pactos para esse projeto. As pessoas que desejam se envolver nesse sistema o estão fazendo com muita alegria, porque sabem que esta escola é o princípio da realização de um grande sonho”, ele destaca. Ainda enfatiza que “cada vez se sente a necessidade de que o projeto se torne realidade devido à grande quantidade de jovens no distrito. Sentimos a necessidade de abrir a obra”.

Uma paixão antiga

Verón conta que desde bem pequeno gostava de andar de bicicleta. Aos 14 anos já havia percorrido 100 quilômetros entre Villa Guillermina (localidade de Santa Fe, onde nasceu) e Resistencia, que é uma das cidades argentinas mais povoadas da Província de Chaco. “Então, fui a Buenos Aires, a Bahía Blanca e a Salta (cidades na Argentina)”. Porém, essa não é apenas outra iniciativa, conta o ciclista. “Faz quatro anos que tinha o desejo de unir La Quiaca à Ushuaia, mas queria que fosse por um motivo especial”.

A cada três ou quatro anos, Ramón faz travessias. “A maior foi quando fomos ao campori de Desbravadores, no Brasil, em 2005”.

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox