Notícias Adventistas

Aula de Ciência do 1º Ano ensina alunos a importância de ingerir alimentos saudáveis

A obesidade infantil está relacionada a uma série de fatores, entre eles, externos. Casais que não têm uma alimentação regrada ou não preservam hábitos saudáveis têm grandes possibilidades de terem filhos obesos.

19 de fevereiro de 2017

Rio de Janeiro, RJ [ASN] A aula de ciências foi realizada no Colégio Adventista de Campo Grande baseada  no conteúdo que os alunos estão estudando no livro desta matéria, do 1º ano. A ciência está presente em todos os lugares, inclusive nos alimentos. Foram ensinadas que o fermento químico é importante e tem suas funções em determinados alimentos como: bolo, pão, torta, etc.

Aluno participando da aula “Bolo de Cenoura” – Fotos: Márcia Cavalcante

Crianças entre 6 e 7 anos entenderam a importância de ingerir alimentos saudáveis. Nessa aula prática elas puderam vivenciar e comprovar como é importante ter o hábito de comer legumes, frutas e vegetais. Pela influência do grupo muitas experimentaram, algumas pela primeira vez, um pedaço de cenoura e constataram que alimentos saudáveis podem ser tão gostosos quantos os industrializados.

A aula foi realizada no laboratório de ciências no Colégio Adventista de Campo Grande. Cada aluno participou trazendo um ingrediente do bolo e todos participaram do preparo da receita.

“Está comprovado que o aprendizado do aluno se dá muitas vezes devido às suas experiências, principalmente nesta faixa etária, por isso é tão importante que elas mesmas vivenciem o experimento. Esse tipo de aula fica registrado na mente do aluno, mesmo depois de adultos”, declara a professora da turma.

Clara Castro (6) comentou: “Estou achando legal porque eu gosto de fazer bolo e amo bolo.” Jamile Marins declarou “Nunca fiz feito bolo, é minha primeira vez! Gostei de mexer os ingredientes” disse ela.

Da esquerda para direita Jamile e suas coleguinhas na aula prática

Cada aluno pode escolher com seus familiares os ingredientes que trariam para compartilhar e junto com as professoras puderam conhecer seus componentes nutritivos, como manuseá-los e prepará-los. Este processo já é um aprendizado, segundo educadores com formações pedagógicas.

Obesidade Infantil

A alimentação desregrada e fora de hora, a falta de exercícios físicos e o excesso de tempo em frente à TV, ao computador ou ao celular são os principais causadores da obesidade infantil. O indicado é que os pais sigam regras básicas como: não deixar a criança comer em frente à TV, dar preferência a consoles que tenham jogos que movimentam o corpo inteiro, respeitar os horários das principais refeições (café da manhã – almoço – lanche da tarde – jantar) e dar preferência às carnes magras, peixes, arroz integral, verduras, legumes e frutas.

Aprendendo na prática alunos fixam mais o que foi ensinado.

A obesidade é a principal causadora ou agravante para muitas doenças como hipertensão, colesterol alto, problemas articulares, diabetes, entre outras. Nas crianças, ainda há as questões psicológicas como bullying, que poderá afetar toda a vida da criança. Os pais podem evitar todos esses problemas em seus filhos. Estar sempre atento aos hábitos da criança e fazer consultas regularmente ao pediatra. São pequenas atitudes que demonstram a grandeza da maternidade.

Os quilos extras podem causar complicações para as crianças até a sua vida adulta, mesmo que a obesidade seja revertida nesse tempo. Doenças como diabetes, hipertensão e colesterol alto são algumas consequências da obesidade infantil não tratada. A doença também pode levar a baixa autoestima e depressão.

Fatores  de riscos

Alguns fatores podem aumentar o risco de obesidade em crianças e adolescentes. Veja:

  • Dieta desequilibrada, rica em fast foods, alimentos industrializados e congelados, refrigerantes, doces e frituras;
  • Sedentarismo, uma vez que a atividade física ajuda a queimar as calorias ingeridas;
  • Histórico familiar de obesidade, uma vez que a doença tem influência genética e os maus hábitos alimentares podem ser ensinados de pai para filho;
  • Fatores psicológicos, como estresse ou tédio, podem fazer as crianças comerem mais do que o normal.

Buscando ajuda médica

Se você tem alguma preocupação com o peso do seu filho ou filha, marque uma consulta médica. Pediatras irão considerar a história individual da criança, assim como seu crescimento e desenvolvimento. Prática de atividades físicas, além de queimar calorias, ajudam a fortalecer ossos e músculos das crianças, melhoram seu humor e ajudam no sono. Outro fator importante é o que o incentivo às atividades físicas na infância pode fazer com que ela mantenha esses hábitos no futuro, evitando a obesidade ao longo da vida. Crianças devem fazer pelo menos um tipo de atividade física todos os dias, seja ela programa (academia, esportes e outros) ou não programada (brincadeiras, como pega-pega, esconde-esconde e usar os brinquedos de um parque).

[Equipe ASN, Márcia Cavalcante]

 

Veja Também


Comentários

WordPress Image Lightbox